Quantos dias após a menstruação é o período fértil

Período fértil

Para engravidar ou evitar uma gravidez indesejada, a mulher deve ficar atenta ao seu período fértil. É durante essa fase que acontece a fecundação, com o encontro entre o gameta masculino (espermatozoide) e o gameta feminino (óvulo). O período fértil está diretamente ligado à menstruação e, assim como o fluxo menstrual, acontece todos os meses. Veremos agora quanto tempo depois da menstruação o corpo permanece apto para gerar um bebê.

Período fértil, ciclo menstrual e menstruação: o que tem a ver?

O ciclo menstrual é o intervalo entre uma menstruação e outra e começa a ser contado a partir do primeiro dia da menstruação daquele mês até o primeiro dia da menstruação seguinte.

Algumas mulheres têm ciclos regulares, com dias certos entre as menstruações. Outras não apresentam esse intervalo de forma rigorosa. Possuem ciclos irregulares, com intervalos que variam bastante sem seguir uma média.

Até aqui, você viu que o ciclo menstrual e a menstruação estão interligados. E o que tem a ver o período fértil com esses dois termos? Tem tudo a ver. O período fértil acontece, quase sempre, na metade do ciclo menstrual. Se a mulher tem um ciclo de 28 dias, o período fértil acontece por volta do 14º dia do ciclo. 

Mulheres que não têm certeza sobre o seu ciclo devem anotar em um calendário o primeiro dia da menstruação e o primeiro dia da próxima menstruação, durante uns 6 meses. Assim, ela terá mais certeza sobre a regularidade do seu ciclo.

Então, o ciclo menstrual é o tempo entre uma menstruação e outra. Enquanto o período fértil é quando a menstruação já foi embora e o corpo está pronto para liberar o óvulo e, caso esse óvulo seja fecundado, gestar um lindo bebê.

Quantos dias após a menstruação é o período fértil

Se o período fértil acontece depois da menstruação, quantos dias após o fluxo menstrual ele começa? Para visualizar melhor essa pequena conta, sugiro usar um calendário e anotar o primeiro dia da sua penúltima menstruação e o dia seguinte da sua última menstruação, ou da próxima, caso você saiba certinho quando ela deverá chegar.

Vamos lá. Normalmente, o período fértil da mulher acontece por volta da metade do ciclo menstrual, como já vimos no tópico anterior. Então, basta contar entre 10 e 14 dias após o primeiro dia da menstruação e você terá um momento propício para engravidar.

É uma conta simples, mas que pode confundir um pouco, principalmente quando a mulher não tem um fluxo menstrual bem definido ou quando o seu ciclo é bagunçado, o que é bem comum. Mesmo assim, é importante usar esse número de dias para ter um parâmetro pelo qual se basear.

YouTube video

 

É possível engravidar durante a menstruação?

Não é possível e para entender isso vamos definir a menstruação. O sangue menstrual que a mulher libera todos os meses acontece justamente porque não houve gravidez. 

O período fértil não é apenas a liberação do óvulo. É também a preparação completa do útero para acomodar e gerar uma criança. 

O corpo da mulher se programa para este evento. Quando isso não acontece, o endométrio (camada que reveste a parede interna do útero) se desprende e é liberada junto com outros tecidos uterinos, originando a menstruação.

Qual a probabilidade de engravidar após o período fértil?

Essa também é uma dúvida muito comum entre as mulheres. Na verdade, a mulher só engravida durante o período fértil porque é quando há a liberação do óvulo. Agora, o que pode acontecer é o ato sexual antes do período fértil, resultando em uma gravidez, às vezes, indesejada.

Explico: o espermatozoide tem uma sobrevida de até 4 dias dentro do útero da mulher. Caso ela mantenha relações sexuais alguns dias antes de entrar no período fértil, é possível que o seu óvulo encontre aquele espermatozoide circulando por ali e gere uma gravidez.

Engravidar depois do período fértil também pode acontecer desta forma. Supondo que você tenha certeza de que está no seu último dia fértil e, então, no dia seguinte mantém relações sexuais sem preservativo.

Caso o seu óvulo tenha sido liberado justamente no último dia fértil, ele permanecerá vivo por cerca de 24 horas e poderá encontrar o espermatozoide, liberado após o ato sexual sem camisinha. 

Também pode ser que a mulher não saiba que está dentro do período fértil e acabe engravidando. É muito comum quando ela tem um ciclo irregular ou quando se engana na hora de fazer o cálculo dos seus dias férteis.

É importante lembrar que o nosso organismo não funciona como um relógio, com exatidão de acontecimentos. Inúmeras variações e alterações podem acontecer até mesmo com mulheres que possuem ciclos regulares.

Como eu sei que estou no período fértil?

Para identificar melhor os dias em que está no período fértil ou não, temos algumas dicas que, juntas, aumentam a eficácia dessa informação. O que você deve observar:

  • A vagina libera um muco mais grosso e gelatinoso, sem cor e sem cheiro. Esse muco deixa o ato sexual mais agradável;
  • O seu apetite sexual aumenta;
  • A vontade de comer doces e frituras também fica mais forte;
  • Você sente seu corpo mais quente do que nos outros dias;
  • Você fica mais irritada, aborrecida sem motivo;
  • É possível que você sinta alguma pontada na região do ventre, como uma pequena cólica passageira;
  • Seu rosto fica mais oleoso, fazendo com que cravos e espinhas surjam com facilidade.

Algumas mulheres associam estes sintomas a uma possível tensão pré-menstrual (TPM) antecipada. Mas, na verdade, é o corpo que está se preparando para liberar o óvulo, receber o espermatozoide, realizar o encontro entre eles e iniciar uma gravidez.

Lembra que dissemos que o organismo da mulher se prepara para este evento? Todos esses sinais são resultado das funções biológicas do corpo, do gasto de energia e da ação dos hormônios, todos envolvidos nesse processo que acontece todos os meses.

E, quando não acontece, a menstruação desce, como também já explicamos anteriormente. 

É muito importante saber todas essas informações sobre o seu corpo. Apesar de serem conceitos básicos, ainda são muito envoltos em dúvidas, preconceito e desinformação, principalmente por causa da resistência da sociedade em falar sobre o assunto. 

Caso ainda tenha alguma dúvida sobre esta ou outra questão envolvendo a sua intimidade ou fertilidade, não deixe de consultar o seu ginecologista.

 

Marcações:
nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).