Pular para o conteúdo
Candidiase

Candidíase: o que é candidiase genital, seus sintomas, tratamento e dicas

Sumário

A candidíase genital é uma infecção causada pelo crescimento excessivo de fungos tipo Candida albicans nesta área (CID 10 – B37). É normal que haja algum nível de crescimento fúngico, mas pode se tornar excessivo quando as pessoas têm seu sistema imunológico enfraquecidos ou usam medicamentos que alteram sua microbiota (como antibióticos ou antifungicos).

Entre os principais sintomas estão a vermelhidão, dor e coceira vaginal.

A candidíase genital é uma doença infecciosa que pode afetar sua saúde sexual.

A candidíase é frequentemente causada pelo crescimento excessivo de Candida albicans, um fungo que localiza na vagina.
Em outras palavras, quando o corpo está “desequilibrado”, a flora vaginal torna-se afetada.

Essa candidíase geralmente é de fácil diagnóstico e de fácil tratamento, porém pode em alguns casos, tornar-se crônica / de repetição.

Olá! Hoje nós vamos conversar sobre o que é o corrimento.

Muitas mulheres têm dúvida qual é a secreção vaginal que tem que se preocupar em procurar um ginecologista e qual é a secreção vaginal que não tem necessidade de um tratamento.

Pois bem, o corrimento é uma secreção vaginal.

Ele pode ser de vários tipos e é isso que vai se diferenciar em um corrimento normal do nosso corpo, ou seja, fisiológico ou corrimento patológico, que é associado com algum tipo de infecção e deve ser tratado.
Vamos começar pelo corrimento fisiológico, toda mulher ela tem uma lubrificação vaginal e a mucosa, ela tem a sua umidade natural.

Quando a gente está perto
do nosso período ovulatório, os nossos hormônios,

eles têm uma alteração normal do próprio ciclo menstrual e com isso a gente produz mais muco, ou seja, mais secreção vaginal e
uma secreção incolor, mas com aspecto de gelatina então é um muco mesmo.

LEIA TAMBÉM:  Dicas Para Evitar a Candidíase! Chega de corrimento

Ele está associado com uma melhor permeabilidade do espermatozoide pra chegar lá dentro do útero.

Então esse corrimento é um corrimento normal que ocorre todo mês durante o ciclo normal de toda mulher, mas existem movimentos que eles
podem estar associados com algumas infecções tanto por fungo quanto combate por bactéria.
Um corrimento muito comum é a Cândida, a candidíase. A candidíase nada mais é do que a proliferação de um fungo, que existe na nossa vagina, que faz parte da nossa flora vaginal que por algum motivo de desequilíbrio, ela aumenta sua população e da famosa candidíase.

A candidíase, ela é caracterizada por um
corrimento esbranquiçado que forma grumos, parece o leite coalhado e uma característica muito importante é que coça muito. Quando a gente tem uma candidíase inicial, a gente tem esse corrimento, pode ter uma
leve coceirinha por dentro, mas quando ela alastra muito, pode ter até um inchaço
vaginal, onde é difícil até colocar sua própria calcinha, vestir a sua própria roupa.

Você vai sentir a região da vulva e da vagina mais inchada, mais avermelhada e a calcinha sempre conhecer esse corrimento característico.

E porque então essa
candidíase pode ocorrer?

Muito comum ela ocorrer com
alteração do pH vaginal, a nossa vagina tem o pH ideal e quando a gente tem uma alteração desse PH, a candida pode proliferar,por exemplo, quando a gente usa sabonete
normal na sua região vaginal, onde tem um ressecamento dessa mucosa vaginal,
então pode ocorrer essa candidíase.

Também pode ocorrer em mulheres que consomem
muito carboidrato, então quando você come muito carboidrato, pão, macarrão,
todo tipo de farinha branca.

Essa farinha, ela vai ser metabolizada pelo seu organismo e vai se transformar em glicose e essa glicose aumentada, ela faz com que a população de cândida aumente muito e também da todos esses sintomas de corrimento, de coceira.

LEIA TAMBÉM:  Gonorreia

Por isso que em mulheres diabéticas a candidíase, ela é um corrimento que existe com

muita frequência e pode ser de repetição durante vários meses ao ano com tratamento duas, três vezes ao ano.

Quando a gente está com a imunidade baixa,
também vai aumentar essa cândida da população vaginal e vai causar essa candidíase. Fora a candidíase, que outro tipo de corrimento
que a gente pode ter?

A gente pode ter os movimentos
causados por bactérias, as mais comuns são a Gardnerella vaginalis e o Trichomonas.

São duas bactérias que dão um corrimento diferentes e que devem ser tratados. de

A Gardnerella, ela dá um corrimento amarelado
em grande quantidade e ela tem um cheiro característico, esse cheiro é de peixe podre.

E mesmo que você lave essa região, faça uma higiene adequada, esse cheiro não passa e o corrimento também não vai passar.

Então nesses casos o ideal é procurar o seu ginecologista, fazer uma avaliação, o médico vai fazer um exame ginecológico e vai
prescrever antibiótico. Já a Trichomonas, a Trichomonas, ela também é uma bactéria que ela vai causar um corrimento mais acinzentado e um corrimento que às vezes parece um azul
mais clarinho, às vezes um cinza mais escuro, não está associado com nenhum tipo de cheiro característico, mas deve ser tratada também com antibióticos, então o ideal quando você sente esse tipo de corrimento, procurar o ginecologista. E porque essas
esses conhecimentos, eles são importantes serem tratados? Porque eles podem ascender
pelo colo do útero, ou seja, eles podem subir pelo colo do útero, e dar uma infecção no
útero, nas trompas, o que a gente chama de doença inflamatória pélvica, que muitas vezes pode estar associado, se não tratado corretamente, com até infertilidade.

LEIA TAMBÉM:  Candidíase, tudo o que você precisa saber sobre a doença

Importante ressaltar aqui também que uma má higienização na hora de ir ao banheiro, tanto para as fezes, quanto para urina, elas podem infectar essa parte da vagina, por isso que é tão importante o uso adequado do papel higiênico, porque pode infectar essa região vaginal e causar uma infecção bacteriana e com isso
também causar corrimento.

Se você gostou do nosso vídeo, inscreva-se no nosso canal, ative o sininho de notificação e dê o seu like!

Teste de sintomas para candidíase

Sintomas da candidíase vaginal

  • Coceira na região vaginal;
  • Dor e vermelhidão na vagina;
  • Corrimento vaginal branco e agrupado, parecido com queijo cottage;
  • Relações sexuais dolorosas

 

Por que minha pele tem tanta comichão? Eu tenho uma erupção cutânea em cima de mim! Também não é só em um ponto. O problema parece estar se espalhando pelo meu corpo – e há algumas manchas que não parecem estar melhorando, mesmo que outras já tenham sarado…
Uma infecção fúngica pode causar este tipo de inflamação quando sua imunidade enfraquecida por algo como doença viral ou mudanças na gravidez entra em excesso e luta contra estes fungos irritantes. A candidíase pode ainda manifestar-se em outros locais do corpo, como a pele, boca ou intestinos, por exemplo. Saiba mais sobre os vários tipos de candidíase e seus sintomas.

Candida albicans

Causas da candidíase

A candidíase é causada pela infecção pelo fungo do gênero Candida sp., principalmente o Candida albicans, que está presente naturalmente na região genital, mas que pode proliferar exageradamente devido a algumas situações, resultando na infecção e no aparecimento dos sintomas. Entre as causas do seu surgimento estão:

  • Uso frequente de antibióticos, contraceptivos orais/anticoncepcionais e antiifnlamatórios esteroidais (corticoides);
  • Desequilíbrio hormonal, por exemplo, durante a menopausa ou gravidez;
  • Durante a menstruação;
  • Estresse;
  • Fadiga.
  • Doenças imunodepressoras como diabetes, AIDS, HPV e lúpus;
    • Níveis glicêmicos mal controlados em pessoas com diabetes;
    • Enfraquecimento do sistema imunológico por outras razões;
  • Uso frequente de roupas apertadas ou molhados;
  • Uma dieta fraca em boas vitaminas e nutrientes;
    • Rieta rica em carboidratos;
  • Fazer higiene intima mais de 2 vezes ao dia e usar absorvente por mais de 3 horas seguidas.

É possível estar contaminada com o fungo e não saber, pois a doença normalmente se manifesta quando o sistema imunológico está enfraquecido.

Qual médico procurar? Quem é o especialista em candidíase?

O médico especialista para identificar e tratar a candidíase nas mulheres é o ginecologista, enquanto que, no caso dos homens é o urologista. Mas um bom clínico geral ou médico de outra especialidade também pode ajudar.

Como tratar a candidíase?

A candidíase genital pode afetar tanto o homem como a mulher mas seu tratamento é semelhante e feito com pomadas tópicas antifúngicas em ambos os casos, que devem ser aplicadas 2 a 3 vezes por dia entre 3 até 14 dias de acordo com a indicação do médico. Ainda faz parte do tratamento:

  • Usar roupa íntima de algodão com boa ventilação;
  • Lavar a região genital somente com água e sabonete neutro ou sabonete próprio para a região;
  • Dormir sem roupa íntima, sempre que possível;
  • Evitar absorventes internos;
  • Mudança alimentar (experimente a dieta cetogênica sem carboidratos);
  • Evitar ter contato intimo desprotegido durante o tempo de tratamento para não se reinfectar e passar para companheiro.
    • A candidíase não é considerada uma Infecção sexualmente transmissível (DST/IST). Por isso, pessoas que nunca tiveram relações sexuais podem ser diagnosticadas com a doença. Entretanto, pessoas com uma flora genital e sistema imunológico mais prejudicado podem acabar desenvolvendo a candidíase após o sexo.

Estas recomendações ajudam a acelerar o tratamento.

No caso de os sintomas não desaparecem após 2 semanas, é aconselhável retornar ao médico pois pode ser necessário iniciar o tratamento com comprimidos antifúngicos via oral, que ajudam a combater a infecção desde o interior do corpo, atingindo melhores resultados do que só com as pomadas.

Além de tudo isso, fazer uma alimentação pobre em açúcar também ajuda o organismo a combater mais facilmente o crescimento dos fungos, de forma que é possível curar a candidíase mais rápido.

Dicas para evitar a candidíase

o olá hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre algumas dicas para evitar a candidíase nesse momento que a gente tá em casa em quarentena que a gente sai muito pouco ou às vezes nem sai é importante a gente manter alguns cuidados em casa para evitar uma candidíase de repetição porque nesse momento que a gente fica mais parado em casa a gente come mais comendo mais a gente abusando os carboidratos nos doces e para quem já tem uma propensão a ter candidíase de repetição ela pode aparecer então vamos lá o que é interessante fazendo esse período não entre nessa de que a estou em casa vou fazer um bolo vou fazer uma massa vou comer tenho criança em casa estou ansioso então eu não tenho o que fazer se não comer não entre nessa mantém uma alimentação o fábio diminua a ingesta de carboidratos simples de preferência aos carboidratos complexos e mede a quantidade não em grande quantidade evite os doces de preferência para frutas mesmo assim não em grande quantidade porque as frutas elas têm a frutose que isso também sim excesso podem aumentar a propensão de ter uma candidíase mas melhor do que o açúcar vamos pelas frutas outras dica muito importante é manter-se ativo manter-se ativo vai fazer uma atividade física nessa época de pandemia tem vários personais profissionais da educação física dando aulas gratuitas no instagram então não tem desculpas para ficar parado entre e faça essas aulas são aulas adequadas para se fazer em casa se você mora em casa e tá aproveitando o tipo de sol para ficar na piscina lembre-se muita piscina muita umidade de nessa época profecia a candidíase então entre na piscina troque o seu maiô deixe seu maior secar no sol tem esses cuidados essenciais manter uma higiene vaginal adequada o que quer dizer isso na hora do banho lave bem a região genital o ideal é que se lave com sabonetes de ph balanceado próprios para região esse sabonetes em barra eles têm o ph muito básico e a o ph vaginal tem um ph mais ácido se você usa muito sabonete em barra para lavar essa região vaginal ela vai mudar o ph da sua vagina e você vai ter mais propensão a ter um corrimento uma candidíase então i o que você lave com sabonete apropriados para essa região vaginal se tiver ácido lático muito melhor não tem uma marca específica no mercado existem vários tipos desses tipos de sabonete tem gente que perguntar e sabonete neutro pode é melhor do que o sabonete em barra que é tem o ph mais básico mas não é o ideal na falta de um sabonete íntimo em casa pode usar o neutro porém você não vai estar livre de ter uma candidíase esses dias que tá em casa o ideal também é usar roupas mais leves de preferências vestidos vestidos mais compridos que você possa ficar sem calcinha em casa para arejar essa região e evitar também a alguns tipos de corrimento se você gostou do nosso vídeo e inscreva-se no nosso canal dê o seu like e ative o sininho de notificação [Música] e aí e aí 

Candidíase de repetição ou candidiase crônica

Quando os episódios de candidiase se repetem frequentemente, é chamado de candidíase de repetição. A candidíase crônica é caracterizada pela ocorrência de 4 ou mais episódios no mesmo ano.

Olá meu nome é Juliana Amato sou ginecologista e obstetra do Instituto Amato e hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre candidíase de repetição o que é candidíase. A candidíase é uma infecção vaginal. Normalmente ela ocorre como o corrimento esbranquiçado vaginal e que coça muito. A candidíase é causada por um fungo chamado Candida albicans que é o mais comum. Ele está presente na nossa vagina. Na vagina de todas as mulheres. Eles fazem parte da flora vaginal e ajudam a manter o pH nessa região com isso impedindo que outras infecções ocorram quando essa candidíase pode ocorrer? Principalmente quando a gente está com a imunidade mais baixa. Essa Candida aumenta sua população na região vaginal e ela com uma quantidade aumentada vai causar esses sintomas de coceira e corrimento esbranquiçado. O que mais pode propiciar é uma candidíase muito tempo em piscina muito tempo em praia biquíni molhado. Isso deixa a região muito úmida e também propicia ao desenvolvimento de mais candida nessa área. Mulheres imunosuprimidas também têm mais chances de ter candidíase de repetição. Assim como as usuárias de antibióticos em grande escala. Por exemplo têm uma infecção uma faringite ou uma amigdalite tomou um antibiótico não melhorou ou tomou da forma errada vai ter que repetir esse tratamento. A imunidade cai e com isso a candidíase pode proliferar. O que também ocorre e o uso de roupas muito apertadas então
calça jeans muito apertada e shorts muito apertado, muito curto. Isso também causa uma atração nessa região vaginal, forma pequenas lesões e que podem infectar pelo fungo. Algumas dicas para prevenir a candidíase é ter uma boa alimentação e uma alimentação equilibrada. Evitar o uso excessivo de antibiótico quando
não é necessário. Quando estiver na praia trocar o biquíni e não ficar muito tempo com esse biquíni molhado quando tiver na piscina tomar mais sol para secar esse biquíni. Evitar o uso de roupas muito apertadas também ajuda bastante a evitar candidíase. E se ela ocorrer. O que fazer?Procure seu médico porque nos casos de candidíase de repetição que ocorrem mais de três vezes em seis meses é feito um tratamento contínuo com medicações específicas. Se você curtiu o nosso vídeo inscreva no nosso canal comente aqui o seu like, ative o sininho de notificação para receber mais videos. 

Candidíase masculina

A candidíase em homens é chamada também de candidíase no pênis ou balanopostite. Não é tão comum quanto a candidíase vaginal, mas exige cuidados quando se manifesta. Na maioria dos casos da candidíase peniana, a baixa da imunidade no organismo causada por problemas de saúde é fator primordial para que o fungo se reproduza em excesso no homem. Diabetes e higiene precária são fatores frequentes para a doença. Normalmente o urologista é o médico procurado nessa situação.

Sintomas da candidíase peniana

  • Coceira, ardência e inchaço na ponta do pênis;
  • Dor na relação sexual;
  • Ardência ao urinar;
  • Feridas (rachaduras) na pele do pênis;
  • Corrimento branco e agrupado, smegma;
  • Odor forte

Candidíase na boca

A candidíase oral, chamada de sapinho, é caracterizada por pequenas aftas dolorosas na boca com dificuldade para engolir.

Pode ser diagnosticada em crianças, idosos, pessoas com diabetes, adultos ou após o contato íntimo desprotegido e pacientes em fase de tratamentos que comprometem o sistema imunológico.

Normalmente são tratadas por médicos de várias especialidades: pediatras, geriatras, ou o especialista que estiver acompanhando o caso.

Os sintomas frequentes são:

  • Vermelhidão, ardência e desconforto na boca;
  • Dor e dificuldade para engolir;
  • Manchas brancas dentro da boca e na língua;
  • Rachaduras no canto da boca

Alimentos que podem piorar a candidíase genital

Um dos fatores que desencadeiam os sintomas de candidíase é a alimentação. O fungo precisa de um ambiente ácido para se reproduzir, e alimentos ricos em carboidratos simples, gorduras e proteínas animais contribuem para essa acidez.

Veja alguns alimentos que podem atrapalhar a recuperação da candidíase:

  • Carboidratos simples;
  • Frutas e vegetais ricos em açúcar e amido;
  • Proteínas animais;
  • Carnes processadas;
  • Amendoim e outras oleaginosas;
  • Bebidas alcoólicas.

Remédios caseiros para candidíase genital

Receitas caseiras para a candidíase podem aliviar os sintomas, porém não tratam a doença. Devemos lembrar que a alimentaçõa é muito importante no tratamento da candidíase e não deixa de ser uma solução caseira. Entre os tipos de tratamentos feitos em casa, os que se destacam são:

  • Banhos de assento com chá de camomila (bem forte e morno);
  • Bicarbonato de sódio (1 colher de sopa em 1 litro de água morna);
  • Algumas substâncias encontradas em farmácias – Flogorosa e Lucretin (1 envelope em 1 litro de água morna);
  • A violeta genciana a 1%, se aplicada pelo médico localmente na vagina, pode também melhorar os sintomas.

Nossa recomendação é que somente seja feito o tratamento caseiro se tiver sido avaliada pelo ginecoleogista

Vive tendo corrimento? Sabe o que mais pode ajudar? A Dra Juliana Amato, ginecologista do instituto Amato (www.amato.com.br) explica o que fazer além da medicação

Olá! Meu nome é Juliana Amato, eu sou
ginecologista e obstetra do Instituto Amato. E hoje eu vou dar algumas dicas
de como prevenir o corrimento. Muitas mulheres reclamam de que têm
corrimento crônicos, ou seja, vivem tendo algumas sujeirinha na calcinha, alguma secreção
que não lhe parece adequada. Às vezes com cheiro, às vezes sem cheiro, e
que algum período do seu ciclo menstrual, essa secreção melhora, mas
chega no mês seguinte, essa secreção volta. Às vezes, ela
pode ficar associada com a coceira, às vezes não, e como que a gente tem que
se cuidar para prevenir esse corrimento de repetição? O que a gente tem que
ter em mente é que a mulher, ela tem uma secreção
natural na área vaginal. Essa secreção natural, ela ocorre pra manter
o pH nessa região adequado, e prevenir doenças prevenir infecções, manter uma boa saúde genital, mas em alguns
casos esse corrimento, ele pode ser um pouquinho exagerado. Tem que lembrar também que existe
a parte da lubrificação vaginal, então quando a mulher está no período
fértil, essa lubrificação aumenta. Então a vagina, ela vai ficar mesmo com uma
secreção um pouco mais aumentada, mas é uma secreção incolor, mais mucosa e esse sinal
é um sinal de que está no período fértil. Não é nada patológico, não é nada
de doença que precisa se preocupar. Além disso tem algumas mulheres que
já têm uma secreção aumentada, isso é da própria pessoa. Então se você tem uma secreção que é
abundante e que não melhora nunca, mas que nunca associada prurido, não está associado
com coloração amarelada ou acinzentada, é a sua secreção vaginal normal. Já aquelas mulheres que têm uma secreção
vaginal mais amarelada, mais acinzentada, têm algumas características muito próprias, como
um cheiro mais específico, esse cheiro a gente se caracteriza como um cheiro
de peixe, um cheiro mais azedo. Aí são corrimentos que precisa se
preocupar, que precisam ser analisados pelo seu ginecologista e tratarmos. E
como que é feito o tratamento? Às vezes, é necessário somente um creme
vaginal indicado por esse tipo de infecção que vai ser diagnosticado pelo médico. Às vezes, é necessário associar
alguns antibióticos juntos. Como fazer para evitar, para manter a sua saúde vaginal? Então,
o ideal é manter uma boa higiene, ou seja, na hora do banho lavar a região
com sabonete adequado, com PH neutro. Ou esses sabonetes de uso genital, não usar
sabonete em barra, porque o sabonete em barra, ele tem um pH diferente do pH vaginal. Qualquer sabonete em barra, ele pode
propiciar a mulher a desenvolver certas infecções, porque ela vai manter o
ressecamento vaginal, vai alterar esse pH e com isso pode ter alguma proliferação
bacteriana aí nessa região. Então o ideal são sabonetes
íntimos ou um sabonete neutro. Além disso manter uma alimentação mais
saudável, manter uma alimentação livre de muito doce. Tudo que é muito doce, até as frutas,
muito excesso de fruta, muito doce e muito carboidrato. Ele vai alterar esse pH vaginal
e aí você tem mais propensão a ter candidíase. A candidíase é aquele corrimento
esbranquiçado que parece que tem grumos, parece um jornal molhado e que coça muito
e na maioria dos casos até dá um inchaço vaginal, uma vermelhidão e porque
é que ocorre essa candidíase? A cândida, ela é um fungo que
existe na flora vaginal da mulher. Toda mulher tem cândida na sua vagina, mas
ela tem um nível adequado para a produção dos nutrientes, para a produção dos elementos
de uma lubrificação vaginal normal. Se você come muito carboidrato, tem muito
excesso de açúcar no organismo, o que ocorre é que a cândida, ela prolifera e ela é um
desarranjo na parede vaginal, na mucosa vaginal. Ela vai causar esse aumento da
sua população e vai causar toda essa sintomatologia e aí
tem que ser tratado. Então a alimentação é
muito importante para previnir, principalmente dentro dos
corrimento os candidíase. Roupas muito apertadas, elas podem ocasionar o aumento do
corrimento, porque tem aquele atrito direto da da costura da calça, da calcinha, nessa região vaginal e com isso pode ter
micro fissuras, que a gente não percebe, e com isso aumentar a chance de infecção vaginal. Muitas mulheres têm dúvida, então “já ouvi
dizer que é melhor usar calcinha de algodão”, o ideal é aquela que tenha a melhor
malha, com uma boa respiração. Calcinhas de lycra, a gente sabe que se não tiver aquele
forrinho de algodão, ela é irritativa pra região vaginal, e isso também pode
ocasionar essas infecções. Então nesse vídeo a gente já dá algumas
dicas de como manter essa saúde vaginal e evitar esses corrimentos. Se você gostou do nosso vídeo, inscreva-se no
nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de notificação. 

Dicas para lidar com o corrimento vaginal

o olá meu nome é juliana amato ginecologista obstetra no instituto amato vamos conversar um pouco hoje sobre cinco lições do dia a dia para lidar com corrimento vaginal nós que somos mulheres sabemos que o corrimento vaginal ele é muito frequente pode ser por uma infecção ou não pode ser por uma infecção fúngica bacteriana ou só pelo período do ciclo menstrual tão que tem umas lições básicas algumas dicas de como a gente se cuida a respeito de cada tipo de corrimento é muito comum no meio do ciclo menstrual a gente ter o corrimento que não é bem um corrimento é mais uma secreção parecendo um muco transparente essa secreção ela não é um corrimento ela é a secreção que ocorre no período ovulatório e por que a gente tem essa secreção no período ovulatório para facilitar se tiver relação na que um dos espermatozoides acenderem pelo trato reprodutivo e ocorrer a fertilização dentro do útero com o espermatozoide outros tipos de corrimento ou de secreção que pode ocorrer antes da menstruação uma semana antes pode ter um corrimento mais esbranquiçado parecendo leite uma coisa mais leitosa é comum é comum se não vier associado a outros sintomas então pode ser que ocorra que venha a sujar a calcinha porém tem que se preocupar se tiver uma um prurido associado uma coceira é o inchaço na região de vulva isso pode levar a crer que seja uma candidíase ou seja a proliferação deste fungo na vagina nesse período e por que ocorre antes da menstruação antes da menstruação oi gente tem uma pequena queda da imunidade vai trocando o ph vaginal e essa esse fungo ele pode se proliferar dando essa candidíase o que é o ideal fazendo essa fase se tiver com esse corrimento não esteja exacerbado o ideal é que se use o sabonete ou de ph neutro líquido ou mesmo é associar no banho o vinagre de maçã nessa região para manter esse ph porque depois que a menstruação viel ph vai alterar de novo e aí essa sensação vai mudar essa cândida ela vai diminuir porque não vai estar mais no ph ideal dela outra dica importante em relação à corrimento se você estiver com uma secreção amarelada ou uma secreção mais esverdeado ou acinzentado o que tenha um cheiro que não seja muito agradável isso leva a crer que pode ter uma infecção então não espere para procurar o seu ginecologista já marque a sua consulta para ser avaliada por que alguns tipos de infecção elas podem piorar e acender pelo trato reprodutivo infeccionar trompas ovários e mais para frente se não tratada corretamente pode levar até infertilidade secreções é que tem raias de sangue às vezes você vai ao banheiro vai se limpar ver que tem essa secreção que tem um pouquinho de sangue o ideal é você é perceber se teve relação naquele dia se teve pode ser por causa da relação e se não teve pode ser alguma ferida de colo de útero alguma lesão em colo de útero então ideal também é marcar um ginecologista para ser avaliada às vezes é uma é uma lesão em colo de útero que tem que ser tá me dá o cauterizada ou fazer uma biópsia dessa lesão de colo então é importante atentar para esses sintoma tem mulheres que no consultório chegam e falam doutora eu tenho um corrimento que me persegue a vida inteira eu trago eu passo no médico eu trato melhor os dois dias e volta aí eu mudo de médico o médico me avalia me dá outro creme vaginal para eu usar eu trato tudo direitinho dali dois e três dias volta então eu estou vindo aqui para uma terceira quarta quinta opinião para ver porque que esse esse corrimento ele não tá parece tem mulheres que tem uma secreção vaginal aumentada uma lubrificação vaginal aumentada o que não quer dizer que é um corrimento que não é patológico é fisiológico é dela própria não tem coloração não tem cheiro não possa e não tem características de uma infecção então se você for trocando de médico e reclamar da mesma do mesmo sintoma todas as vezes cada um vai achar que aquela secreção não é normal para você e vai acabar te passando um creme vaginal um tratamento que vai diminuir um pouquinho essa secreção nesse período mas ela vai voltar porque é uma coisa normal eh eh faz parte do seu organismo então se você tem essas essa secreção que você passa várias vezes em vários médicos traga já fez vários tipos de exame e não não tem nenhum nenhuma infecção diagnosticada nenhuma patologia é sua fisiologia fique tranquila não precisa fazer nada o importante é sempre tirar as suas dúvidas com seu médico receitas de internet muitas vezes não são tão boas né na internet a gente acha de tudo a gente se acho bom a gente achou ruim oi gente acha de tudo um pouco então o ideal é que marque uma consulta com seu ginecologista e tire todas as dúvidas seja orientado para sua boa saúde vaginal sexual e da mulher se você gostou do nosso vídeo inscreva-se no canal dê o seu like e ative o sininho de notificação para receber mais vídeos e e aí 

Mais dicas para evitar a candidíase de repetição:

o olá hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre algumas dicas para evitar a candidíase nesse momento que a gente tá em casa em quarentena que a gente sai muito pouco ou às vezes nem sai é importante a gente manter alguns cuidados em casa para evitar uma candidíase de repetição porque nesse momento que a gente fica mais parado em casa a gente come mais comendo mais a gente abusando os carboidratos nos doces e para quem já tem uma propensão a ter candidíase de repetição ela pode aparecer então vamos lá o que é interessante fazendo esse período não entre nessa de que a estou em casa vou fazer um bolo vou fazer uma massa vou comer tenho criança em casa estou ansioso então eu não tenho o que fazer se não comer não entre nessa mantém uma alimentação o fábio diminua a ingesta de carboidratos simples de preferência aos carboidratos complexos e mede a quantidade não em grande quantidade evite os doces de preferência para frutas mesmo assim não em grande quantidade porque as frutas elas têm a frutose que isso também sim excesso podem aumentar a propensão de ter uma candidíase mas melhor do que o açúcar vamos pelas frutas outras dica muito importante é manter-se ativo manter-se ativo vai fazer uma atividade física nessa época de pandemia tem vários personais profissionais da educação física dando aulas gratuitas no instagram então não tem desculpas para ficar parado entre e faça essas aulas são aulas adequadas para se fazer em casa se você mora em casa e tá aproveitando o tipo de sol para ficar na piscina lembre-se muita piscina muita umidade de nessa época profecia a candidíase então entre na piscina troque o seu maiô deixe seu maior secar no sol tem esses cuidados essenciais manter uma higiene vaginal adequada o que quer dizer isso na hora do banho lave bem a região genital o ideal é que se lave com sabonetes de ph balanceado próprios para região esse sabonetes em barra eles têm o ph muito básico e a o ph vaginal tem um ph mais ácido se você usa muito sabonete em barra para lavar essa região vaginal ela vai mudar o ph da sua vagina e você vai ter mais propensão a ter um corrimento uma candidíase então i o que você lave com sabonete apropriados para essa região vaginal se tiver ácido lático muito melhor não tem uma marca específica no mercado existem vários tipos desses tipos de sabonete tem gente que perguntar e sabonete neutro pode é melhor do que o sabonete em barra que é tem o ph mais básico mas não é o ideal na falta de um sabonete íntimo em casa pode usar o neutro porém você não vai estar livre de ter uma candidíase esses dias que tá em casa o ideal também é usar roupas mais leves de preferências vestidos vestidos mais compridos que você possa ficar sem calcinha em casa para arejar essa região e evitar também a alguns tipos de corrimento se você gostou do nosso vídeo e inscreva-se no nosso canal dê o seu like e ative o sininho de notificação [Música] e aí e aí 

Causas de coceira na região íntima

Aqui a Dra Juliana Amato lembra também do líquen escleroso atrófico e do líquen plano

Olá! Hoje nós vamos conversar um pouquinho
um sintoma que a maioria das mulheres tem pelo menos várias vezes ao ano,
que é coceira na região da vulva. Meu nome é Juliana Amato, eu sou ginecologista do Instituto Amato
e vamos conversar sobre esse assunto hoje. Bom, dificilmente uma mulher não tem
coceira em alguma época da sua vida e essa pode estar associado
a vários problemas. Hoje eu quero comentar sobre dois
problemas que têm o mesmo sintoma e que se fizeram o diagnóstico errado,
o tratamento não vai dar certo. A maioria das mulheres,
quando pensa em coceira, já pensa em candidíase
e a candidíase, o que é? Ela é uma infecção fúngica que ocorre
na região da vagina, a cândida, ela é um fungo que existe normalmente
na vagina de toda mulher. Faz parte da microbiota normal vaginal. E por que a gente tem,
então essa candidíase? A gente tem, porque, por algum motivo,
esse PH vaginal muda, a cândida, ela aumenta sua população na região vaginal
e ela, em desequilíbrio, causa a candidíase. Está associada com uma coceira bem intensa
nessa região, uma ardência intensa, e muitas vezes associada a um
corrimento branco que parece leite coalhado, então parece nata. Às vezes, você olha na calcinha,
você vê que parece que tem grumos mesmo. Então essa é a candidíase, e a candidíase, a gente sabe que o tratamento é antifúngico, normalmente a gente usa
creme vaginal com fungicida e a mulher tem que mudar
os hábitos dela. Por quê? Porque a candidíase, ela pode estar associada
com uma alimentação ruim. Então, quando você tem hábitos
ruins de alimentação, ou seja, quando você come muito carboidrato,
o carboidrato no nosso organismo, ela metaboliza usado em glicose, em
açúcar e que fungo que não gosta de açúcar? É um prato cheio para os fungos proliferarem
e piorarem a infecção nessa área. Além disso, mulheres diabéticas, elas também têm em sua urina,
uma quantidade maior de glicose. Então, elas também têm mais
propensão a ter a candidíase, além de mulheres menopausadas também
pelo ressecamento e atrofia vaginal. E nas mulheres mais jovens, a causa mais comum de candidíase é alimentar
e também por maus hábitos em sua vida, ou seja, às vezes vai na academia,
faz um exercício físico, sua e sai com aquela roupa
de academia molhada. Isso não é legal, porque mantém a umidade na região vaginal
e isso também faz com que a cândida aumente. A mesma coisa quando
a gente vai para a praia, e fica com aquele biquíni
molhado por muitas horas ou na piscina também, que a
umidade nessa região faz proliferar a cândida. Então, muito cuidado,
nessa situação, está na academia, acabou de fazer atividade física,
mas tem várias coisas para resolver. Vá num shopping ou vai num banco,
troca de roupa, toma banho, põe uma roupa seca. Você vai ver que vai diminuir
a incidência desse problema. E mesmo na praia, se você tiver
a possibilidade de sair da água, e tomar um sol, esperar esse maiô secar e não ficar entrando várias vezes na água
e deixar ele por muito tempo úmido ajuda bastante. Agora eu vou falar de uma outra
doença que muitas mulheres provavelmente não conhecem,
que é o líquen escleroso, o líquen escleroso ele é de difícil diagnóstico, porque
nem todos os médicos estão aptos para fazer esse diagnóstico ou por desconhecimento da doença, ou porque o aspecto da vulva não
está tão específico para esta doença. Na hora do exame vaginal,
ou seja, na hora da consulta não tem as lesões características
da doença, aí tem só a coceira. Então, às vezes leva a um erro diagnóstico, é tratado como candidíase e na verdade
tem um alívio dos sintomas na hora. Porém, dois, três dias a coceira volta. Então, o que é o líquen escleroso? Ele é uma doença dermatológica
que afeta a pele e afeta e epiderme. Normalmente, ela acomete
meninas antes da puberdade, antes da primeira menstruação,
em mulheres após a menopausa. Porém, em mulheres
fora dessa faixa etária, ela também pode ocorrer,
mas em menor incidência. É uma doença crônica e benigna. Alguns estudos mostram
que o líquen escleroso, ele pode estar associado a doença autoimune. Então, quando você faz o diagnóstico correto e você for procurar outras doenças nessa mulher, às vezes ela
está associada com uma alopécia androgenética, uma síndrome de joubert. E é aí que a gente precisa ficar
mais atento. O líquen escleroso, ele tem dois tipos, líquen escleroso
atrófico e o líquen escleroso plano. Mas o que é? Como que eu
sei que eu tenho isso? Então, vamos lá!
O primeiro sintoma e o mais evidente, realmente é a coceira. É uma coceira bem intensa e muitas vezes
a mulher não consegue ter relação sexual, porque na hora da penetração,
dói bastante. Então, além de coçar,
ela tem uma dor nesse local. Muitas vezes, ela está associada
com lesões esbranquiçadas na pele da vulva, a vulva, ela fica mais ressecada, fica com
essas lesões mais mascaradas, esbranquiçadas, como se fosse um pedaço
de pele bem seca mesmo. E, às vezes, pode ser até descamativo. E isso dói muito, afetando a vida dela social, a vida sexual, porque, às vezes, coloca uma roupa,
a roupa está apertada, ela sente mais dor. E quando eu falo que ela
tem um componente auto imune, isso quer dizer que as células
do nosso organismo, elas reconhecem as células
dessa região de vulva como uma célula estranha e começam a produzir anticorpos contra essa pele,
por isso que dá esses sintomas. Além disso, sabe-se que
também o líquen escleroso, ele pode ter um componente genético. Então, se você for procurar na família alguém que tem o mesmo sintoma
uma avó, uma mãe ou uma tia, isso também dá um indício para a
gente fazer um diagnóstico correto. E essa doença tem tratamento? Sim! Ela tem tratamento e é um tratamento
que deve ser realizado a longo prazo. Então, primeiro, o mais importante
é um diagnóstico bem realizado. Quando é realizado um diagnóstico bem feito, o tratamento, ele inicia
com medicações à base de corticóide. Muitas vezes são cremes de corticóide na região, e ele é a longo
prazo, como eu disse, então vai ser por muitos meses. Muitas mulheres desistem de tratamento,
porque elas sentem uma melhora e logo param de usar a medicação. Porém, não é indicado para esses tipos
de tratamento, porque vai piorar, vai voltar e você vai ter que
reiniciar o tratamento. Além desses corticóides, tópicos que se usam dependendo dos sintomas das
mulheres, são utilizados também algumas outras medicações
que têm um efeito nessa região. São medicações de uso neurológico, mas
que a gente sabe que ajudam a melhorar a dor nessa região. Hoje em dia, a gente tem muitas tecnologias que podem estar associadas
ao tratamento também. Então, o uso de laser e o uso
de radiofrequência fracionada traz um resultado muito bom e com melhora
da qualidade de vida para essas mulheres. Então, se você sente coceira,
é essa coceira é crônica. E você acha que seu tratamento
não está sendo adequado porque o sintoma ele não passa. Então, procure o seu ginecologista, converse
com ele, porque pode ser um líquen escleroso. Se você gostou do nosso vídeo,
inscreva-se no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de notificação! 

Probióticos e prébióticos 

Probióticos e prébióticos no tratamento da candidíase

Olá, hoje nós vamos conversar um pouquinho mais sobre a  candidíase. Já fiz alguns vídeos anteriores sobre esse  assunto, mas eu vejo que é um assunto muito recorrente no  consultório e que muitas mulheres tem dúvida. A candidíase ela é  uma infecção que ocorre na na região vaginal e é causada pela  Candida albicans que é um fungo que toda mulher tem na vagina e  ele é responsável por manter o PH vaginal e evitar outros  tipos de infecção. A gente que as infecções mais comuns em  mulheres pós a adolescência, idade adulta, elas são a  candidíase em maior parte, mas também pode ter a vaginose  bacteriana causada por algumas bactérias e a tricomonas  vaginais. Qual que é a diferença entre elas? A  diferença entre elas é o sintoma e o impacto na  qualidade de vida dessa mulher, ou seja, a candidíase, ela tá  relacionada ao aumento da população cândida na região  vaginal e ela causa um prurido intenso e esse prurido intenso,  ele tem um impacto bastante negativo durante a vida dessa  mulher e durante o período que ela tá com essa infecção, porque  incomoda, coça, ela não consegue usar roupas mais  apertadas, ela não consegue manter uma atividade física  adequada porque realmente incomoda, relação sexual nem  se diga, porque não vai conseguir ter mesmo. A vaginose bacteriana  e as tricomonas vaginais, elas tão associadas com corrimento que não tem  coceira, tá associado com a coloração mais amarelada ou  acinzentada associado a um mau cheiro ou não, mas que pode  ocasionar uma infecção que acende no útero e nas trompas,  levando a uma doença inflamatória pélvica ou até a  uma infecção em região pélvica total, elevando inclusive a  infertilidade. Agora a cândida, ela tem uma característica que  algumas mulheres apresentam que é a sua frequência, tem  mulheres que tem candidíase sempre antes da menstruação e  isso ocorre pela alteração de PH que essas alterações  hormonais causam nesse período. Então o que a gente pode  fazer pra ajudar a diminuir as infecções vaginais e a  candidíase? A maioria das mulheres quando tem os sintomas,  elas procuram um médico e são tratadas com cremes vaginais,  com comprimidos antifúngicos e muitas vezes no mês seguinte  ela aparece com os mesmos sintomas. Passa em outro  ginecologista ou passa no pronto-socorro e aí é prescrito  outro creme vaginal com outro comprimido antifúngico e assim  vira um ciclo vicioso e a gente não trata a causa, somente os  sintomas. Então aqui vai algumas dicas de como a gente  prevenir a infecção pela candida. A candidíase tá muito relacionada com  alimentação. Os alimentos ricos em carboidrato, eles são  metabolizados em glicose, em açúcar. E o fungo, ele tem uma  afinidade pela glicose e com isso aumenta a sua população e  pode dar candidíase. Então uma dica legal é diminuir a  ingestão desse carboidrato ou você muda pra carboidratos que  tem um alto índice glicêmico ou você muda pra carboidratos com baixo índice  glicêmico que levam mais tempo pra ser digeridos e  metabolizados. Não causam pico de insulina e com isso diminuem  a incidência de candidíase. Alguns alimentos eles são  responsáveis pela mudança do PH vaginal. Então o açúcar que são  os carboidratos, como a gente já falou, é um desses alimentos. A  alimentação que eu indico aqui é o aumento da ingesta de  frutas e verduras. Além disso da ingesta de açúcar, café,  carboidrato e associado a essa alimentação é muito usado hoje  em dia e tem efeitos muito bons. Nesses casos o uso dos  probióticos. E o que são os probióticos? Eles são  micro-organismos vivos que são ingeridos e que eles vão  colonizar o a nossa região intestinal. Mas são  micro-organismos do bem. São lactobacilos que crescem no  nosso intestino e que vão ajudar ao bom funcionamento do  mesmo, ou seja, vai diminuir o índice de inflamação intestinal  e com isso uma melhora no funcionamento na metabolização  dos alimentos e na digestão. Os probióticos eles são  microrganismos vivos que a gente ingere e que eles  colonizam a nossa região intestinal. Muitos deles fazem  parte da nossa microbiota intestinal e eles potencializam  o crescimento desses microrganismos que fazem bem  pro nosso intestino, ajudando na metabolização dos alimentos  na digestão e absorção correta dos nutrientes. Os probióticos  eles podem ser usado em associação com os prebióticos e  isso é muito bom porque um ajuda o outro. E o que são  prebióticos? Os prebióticos são substâncias que são encontrados  nos alimentos e essas substâncias eles ajudam os  probióticos a se manterem ativos no nosso meio intestinal  e a continuar sua ação benéfica no nosso intestino. Então uma  estratégia terapêutica pra mulheres que vivem usando creme  vaginal que vivem usando antifúngico é usar métodos mais  naturais e a associados a esses prebióticos e probióticos pra  ajudar na saúde intestinal. E além desse tratamento com  probióticos, com alteração dos hábitos alimentares, a gente  pode associar o laser nos casos mais resistentes. E hoje em dia  também a gente tem as terapias relacionadas com o aumento da  imunidade. Então a imunoterapia que está sendo bastante  utilizada hoje em dia pra diminuição da recorrência  desses casos. Então se você tem alguma dúvida, deixe sua pergunta aqui  embaixo, vamos conversar um pouquinho mais sobre isso.  Inscreva-se no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de  notificação pra você receber mais vídeos.  

Minha candidíase não melhora, e agora?

Olá, hoje nós vamos conversar um pouquinho mais sobre a  candidíase. Já fiz alguns vídeos anteriores sobre esse  assunto, mas eu vejo que é um assunto muito recorrente no  consultório e que muitas mulheres tem dúvida. A candidíase ela é  uma infecção que ocorre na na região vaginal e é causada pela  Candida albicans que é um fungo que toda mulher tem na vagina e  ele é responsável por manter o PH vaginal e evitar outros  tipos de infecção. A gente que as infecções mais comuns em  mulheres pós a adolescência, idade adulta, elas são a  candidíase em maior parte, mas também pode ter a vaginose  bacteriana causada por algumas bactérias e a tricomonas  vaginais. Qual que é a diferença entre elas? A  diferença entre elas é o sintoma e o impacto na  qualidade de vida dessa mulher, ou seja, a candidíase, ela tá  relacionada ao aumento da população cândida na região  vaginal e ela causa um prurido intenso e esse prurido intenso,  ele tem um impacto bastante negativo durante a vida dessa  mulher e durante o período que ela tá com essa infecção, porque  incomoda, coça, ela não consegue usar roupas mais  apertadas, ela não consegue manter uma atividade física  adequada porque realmente incomoda, relação sexual nem  se diga, porque não vai conseguir ter mesmo. A vaginose bacteriana  e as tricomonas vaginais, elas tão associadas com corrimento que não tem  coceira, tá associado com a coloração mais amarelada ou  acinzentada associado a um mau cheiro ou não, mas que pode  ocasionar uma infecção que acende no útero e nas trompas,  levando a uma doença inflamatória pélvica ou até a  uma infecção em região pélvica total, elevando inclusive a  infertilidade. Agora a cândida, ela tem uma característica que  algumas mulheres apresentam que é a sua frequência, tem  mulheres que tem candidíase sempre antes da menstruação e  isso ocorre pela alteração de PH que essas alterações  hormonais causam nesse período. Então o que a gente pode  fazer pra ajudar a diminuir as infecções vaginais e a  candidíase? A maioria das mulheres quando tem os sintomas,  elas procuram um médico e são tratadas com cremes vaginais,  com comprimidos antifúngicos e muitas vezes no mês seguinte  ela aparece com os mesmos sintomas. Passa em outro  ginecologista ou passa no pronto-socorro e aí é prescrito  outro creme vaginal com outro comprimido antifúngico e assim  vira um ciclo vicioso e a gente não trata a causa, somente os  sintomas. Então aqui vai algumas dicas de como a gente  prevenir a infecção pela candida. A candidíase tá muito relacionada com  alimentação. Os alimentos ricos em carboidrato, eles são  metabolizados em glicose, em açúcar. E o fungo, ele tem uma  afinidade pela glicose e com isso aumenta a sua população e  pode dar candidíase. Então uma dica legal é diminuir a  ingestão desse carboidrato ou você muda pra carboidratos que  tem um alto índice glicêmico ou você muda pra carboidratos com baixo índice  glicêmico que levam mais tempo pra ser digeridos e  metabolizados. Não causam pico de insulina e com isso diminuem  a incidência de candidíase. Alguns alimentos eles são  responsáveis pela mudança do PH vaginal. Então o açúcar que são  os carboidratos, como a gente já falou, é um desses alimentos. A  alimentação que eu indico aqui é o aumento da ingesta de  frutas e verduras. Além disso da ingesta de açúcar, café,  carboidrato e associado a essa alimentação é muito usado hoje  em dia e tem efeitos muito bons. Nesses casos o uso dos  probióticos. E o que são os probióticos? Eles são  micro-organismos vivos que são ingeridos e que eles vão  colonizar o a nossa região intestinal. Mas são  micro-organismos do bem. São lactobacilos que crescem no  nosso intestino e que vão ajudar ao bom funcionamento do  mesmo, ou seja, vai diminuir o índice de inflamação intestinal  e com isso uma melhora no funcionamento na metabolização  dos alimentos e na digestão. Os probióticos eles são  microrganismos vivos que a gente ingere e que eles  colonizam a nossa região intestinal. Muitos deles fazem  parte da nossa microbiota intestinal e eles potencializam  o crescimento desses microrganismos que fazem bem  pro nosso intestino, ajudando na metabolização dos alimentos  na digestão e absorção correta dos nutrientes. Os probióticos  eles podem ser usado em associação com os prebióticos e  isso é muito bom porque um ajuda o outro. E o que são  prebióticos? Os prebióticos são substâncias que são encontrados  nos alimentos e essas substâncias eles ajudam os  probióticos a se manterem ativos no nosso meio intestinal  e a continuar sua ação benéfica no nosso intestino. Então uma  estratégia terapêutica pra mulheres que vivem usando creme  vaginal que vivem usando antifúngico é usar métodos mais  naturais e a associados a esses prebióticos e probióticos pra  ajudar na saúde intestinal. E além desse tratamento com  probióticos, com alteração dos hábitos alimentares, a gente  pode associar o laser nos casos mais resistentes. E hoje em dia  também a gente tem as terapias relacionadas com o aumento da  imunidade. Então a imunoterapia que está sendo bastante  utilizada hoje em dia pra diminuição da recorrência  desses casos. Então se você tem alguma dúvida, deixe sua pergunta aqui  embaixo, vamos conversar um pouquinho mais sobre isso.  Inscreva-se no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de  notificação pra você receber mais vídeos.  

nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!
× Como posso te ajudar? Available from 08:00 to 20:30 Available on SundayMondayTuesdayWednesdayThursdayFridaySaturday