Clínica de Fertilidade e Reprodução Humana. Tel: (11) 5053-2222 Av. Brasil 2283. São Paulo. e-mail

Dor pélvica em mulheres

Crônica e Aguda

A pelve é a parte mais baixa da barriga (abdômen). A dor pélvica é mais comum em mulheres. Existem muitas causas diferentes de dor em sua pélvis. Elas podem ser classificadas por quando elas tendem a acontecer: se você está grávida e se elas são acompanhadas por outros sintomas, como sangramento vaginal. As causas mais comuns são mencionadas abaixo. Sendo que a maioria pode melhorar com analgésicos, que não devem ser tomados sem orientação médica. As causas mais recorrentes têm tratamentos disponíveis.

O que é a pelve?

A pelve é a parte mais baixa da barriga (abdômen). Os órgãos em sua pélvis incluem o seu intestino, bexiga, útero e os ovários. A dor pélvica, normalmente, se refere a dor que começa a partir de um destes órgãos. Em alguns casos a dor vem a partir de seus ossos pélvicos que estão ao lado destes órgãos, ou de músculos, nervos, vasos sanguíneos ou articulações próximas. Portanto, existem muitas causas para dor pélvica.

A dor pélvica é mais comum em mulheres do que em homens, e aqui falaremos das dores femininas.

Quais são as causas de dor pélvica?

Dor pélvica pode ser aguda ou crônica. Aguda significa que essa é a primeira vez que você tem este tipo de dor, de inicio rápido. Crônica significa que a dor tem sido um problema por um longo tempo - mais de seis meses.

Dor pélvica durante a gravidez

Aborto espontâneo: aborto é a perda de uma gravidez em qualquer momento até as 24 semanas. 7 a 8 abortos entre 10 ocorrem antes da 13ª semana de gravidez. Os sintomas mais comuns de aborto são sangramento vaginal e cãibras/dores na barriga (abdominal) ou pélvicas. Em seguida, pode sair algum tecido da vagina, que muitas vezes se parece com um coágulo de sangue. 

Gravidez ectópica: uma gravidez ectópica é uma gravidez que tenta se desenvolver fora do útero. Ocorre em cerca de 1 em cada 100 gestações. Os sintomas mais comuns são dor de um lado, na parte inferior do abdômen ou pélvis. Ela pode se desenvolver agudamente, ou pode piorar lentamente durante vários dias. Pode se tornar uma situação grave. Sangramento vaginal ocorre frequentemente, mas não sempre. Muitas vezes é de cor mais escura do que o sangramento de uma menstruação. 

Ruptura de cisto do corpo lúteo: um corpo lúteo faz hormônios que ajudam a manter você grávida, até que outros órgãos como a placenta façam sua parte. Forma-se após a liberação do óvulo na ovulação. Eles são frequentemente encontrados, por acaso, quando você faz uma ultrassonografia, por qualquer motivo. Eles muitas vezes não causam nenhum problema e somem sem tratamento. Às vezes podem também se tornar inchados e podem estourar. Isso pode causar dor aguda em um lado da sua pélvis. Se você tiver dor em sua pélvis nas primeiras 12 semanas de sua gravidez, consulte seu médico.

Parto prematuro: normalmente o trabalho de parto começa depois de 37 semanas de gravidez. O trabalho de parto normal geralmente começa com contrações que se sente em toda a parte inferior do abdome. Estas tornam-se mais fortes, mais dolorosas e mais próximas. Você também pode ter um 'aviso' prévio: o tampão mucoso do colo do útero. Se você tiver um jato de líquido da vagina, pode ser que sua bolsa tenha se rompido. Você deve contatar seu obstetra imediatamente. Se você tiver dores pélvicas que aparecem e desaparecem em um padrão regular, entre em contato com seu obstetra para o atendimento. 

Descolamento prematuro da placenta: raramente (cerca de 6 vezes em cada 1.000 partos), a placenta se desprende da parede do útero. Antes de 24 semanas de gravidez, isso é um aborto; no entanto, depois de 24 semanas é chamado de descolamento. Quando isso acontece, é uma emergência. Isto porque o bebê depende da placenta para o alimento e oxigênio. É uma emergência médica! Os funcionários no departamento de maternidade rapidamente tentarão fazer o parto. Isso geralmente ocorre através de uma cesariana de emergência.

 

Problemas ginecológicos

Ovulação: A ovulação se refere a produção de um óvulo no seu ovário. Algumas mulheres desenvolvem uma dor aguda quando um óvulo é liberado. Esta dor da ovulação é chamada 'Mittelschmerz' (dor do meio em alemão - porque ela ocorre no meio do ciclo). A dor pode ser de um lado diferente a cada mês, dependendo de qual ovário libera o óvulo. Esta dor dura apenas algumas horas, mas algumas mulheres acham que é grave.

Cólicas dolorosas (dismenorreia): a maioria das mulheres tem um pouco de dor durante suas menstruações. A dor é geralmente leve, mas, em cerca de 1 em cada 10 mulheres, a dor é grave o suficiente para afetar as atividades diárias. A dor pode ser tão grave que elas são incapazes de ir à escola ou trabalhar. Médicos podem chamar a dor da menstruação de 'dismenorreia'. 

Doença inflamatória pélvica (DIP): DIP é uma infecção do seu útero. Os germes (bactérias) que causam a infecção geralmente viajam para o seu útero de sua vagina ou colo do útero. Na maioria dos casos é causada por clamídia ou gonorreia. Os sintomas da DIP incluem dor no abdômen na parte inferior ou na pelve, alta temperatura (febre), sangramento vaginal anormal e um corrimento vaginal. 

Ruptura ou torção de cisto de ovário: um cisto no ovário é um saco cheio de líquido que se desenvolve em um ovário. A maioria dos cistos ovarianos não são cancerígenos (benignos) e não causam nenhum sintoma. Alguns causam problemas como dor e sangramento irregular. A dor pode acontecer quando eles explodem (ruptura) ou torcem (chamado de torção). Nenhum tratamento pode ser necessário para certos tipos de cistos ovarianos, que tendem a ir embora por conta própria. 

Mudanças degenerativas em um mioma: miomas são tumores não cancerosos que podem ocorrer no seu útero. Eles são comuns e costumam não causar nenhum sintoma. No entanto, às vezes podem causar menstruações pesadas, inchaço abdominal e problemas urinários. Raramente, o mioma ultrapassa seu suprimento sanguíneo. Isto pode fazê-lo diminuir (se degenerar), o que pode ser muito doloroso. Veja sobre embolização de miomas.

Varizes pélvicas: Acúmulo de veias dilatadas ao redor do útero, causando dor, sensação de peso na barriga. Às vezes causa dor pós coito. É um problema muito comum, mas também muito frequentemente pouco considerado. Deve ser avaliado em conjunto com o cirurgião vascular.

Endometriose: esta é uma condição encontrada em mulheres, entre as idades de 13 e 50. É mais comumente diagnosticado em mulheres na casa dos trinta. É mais comum em mulheres que estão tendo problemas para engravidar. Pode ser encontrada em 1 em cada 5 mulheres. Causa dor na época da sua menstruação. Também pode causar dor quando faz sexo. 

Dor pélvica crônica: Este é o termo usado quando uma mulher tem dor há pelo menos seis meses. Dor pélvica crônica pode ocorrer em cerca de 1 em cada 6 mulheres, por isso é muito comum. Às vezes encontra-se uma causa (tais como aquelas acima) e às vezes não há nenhuma causa óbvia. Se a fonte de sua dor pélvica crônica puder ser encontrada, o tratamento centra-se sobre essa causa. Algumas mulheres nunca recebem um diagnóstico específico, que explica a dor delas. Se nenhuma causa pode ser encontrada, seu tratamento incidirá sobre a gestão da dor. Manter um diário de sintomas pode ser útil. Isto pode identificar um padrão para a dor e os gatilhos em sua vida que podem ser os responsáveis. Depressão, estresse crônico ou um histórico de abuso físico ou sexual aumenta o risco de desenvolver dor pélvica crônica. Além disso, qualquer sofrimento emocional muitas vezes aumenta a dor, e a viver com dor crônica contribui para o sofrimento emocional. Seu médico considerará frequentemente tratamentos psicológicos para ajudar com a dor. Para obter mais informações, consulte referências abaixo.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

 

Problemas de intestino ou bexiga

Apendicite: apendicite se refere a inflamação do seu apêndice. O apêndice é uma pequena bolsa que sai da parede do intestino. Apendicite é comum. Os sintomas típicos incluem dor abdominal e mal estar (vômitos) que gradualmente pioram ao longo de 6-24 horas. Algumas pessoas têm sintomas menos típicos. Uma operação para remover o apêndice inflamado, geralmente é feita antes que estoure (perfure). Um apêndice perfurado é grave. É o cirurgião geral que atua na apendicite.

Síndrome do intestino irritável (SII): SII é um distúrbio intestinal comum. A causa não é conhecida. Os sintomas podem ser bastante variáveis e incluem dor abdominal, inchaço e às vezes crises de diarreia e/ou constipação. Os sintomas tendem a ir e vir. Não existe cura para a SII, mas os sintomas muitas vezes podem ser aliviados com o tratamento. 

Cistite: trata-se de uma infecção de urina na bexiga. É comum em mulheres. Um tratamento curto de medicação antibiótica é um tratamento comum. Pode melhorar espontaneamente sem a necessidade de antibióticos. Cistite some rapidamente sem complicações na maioria dos casos. 

Se você tiver sintomas da cistite mas não há sinais de infecção quando sua urina é testada, você pode ter cistite intersticial. Esta é uma condição mal compreendida onde as paredes da bexiga estão inflamadas. É uma causa de dor a longo prazo. É também chamada 'síndrome da bexiga dolorosa'.

Aderências: aderências podem acontecer após a cirurgia. Enquanto seu corpo tenta se curar após a cirurgia, os tecidos se tornam pegajosos. A viscosidade pode acidentalmente causar junção dos tecidos. O órgão mais comumente afetado é o intestino. Isso pode causar dor.

Estrangulamento de Hérnia: uma hérnia ocorre onde há uma fraqueza na parede do abdômen. Como resultado, alguns dos conteúdos de dentro do abdômen podem então avançar (causar protuberância) sob a pele. Então, você pode sentir um nódulo macio ou um inchaço sob a pele. Há uma pequena chance de que a hérnia possa sofrer estrangulamento. Uma hérnia sofre estrangulamento quando muito intestino chegou através da abertura no músculo ou ligamento, tornando-se então espremido. Isso pode cortar o fornecimento de sangue para a parte do intestino na hérnia. Isso pode levar a dor severa e alguns danos à parte dos intestinos na hérnia. Também é o cirurgião geral o responsavel pelo tratamento das hérnias.

Problemas musculares e ósseos

Problemas com a parte inferior das costas, nos ossos em sua pélvis e nas articulações próximas, como as articulações do quadril, podem causar dor. Muitas vezes é claro de onde vem a dor. No entanto, em alguns casos, a dor pode ser sentida como se estivesse na sua pélvis e pode ser difícil identificar sua origem.

O que devo fazer se eu tiver dor pélvica?

Existem muitas diferentes causas de dor pélvica. Algumas são mais graves do que outras. Se você está confiante de que você conhece a causa ou a dor - por exemplo, cólica durante a menstruação - você poderia tentar tomar um analgésico como o paracetamol ou ibuprofeno, com a orientação prévia de seu médico especialista.

Se você não tem certeza da causa da dor ou se a dor for grave, você deve consultar um médico. Em particular, algumas causas são emergências - por exemplo, uma gravidez ectópica. Procure ajuda médica urgentemente se você suspeitar que seja isso. Você também pode querer consultar um médico se a dor continua voltando. Para muitas das condições listadas acima, existem tratamentos disponíveis.

Podem-se recomendar quais investigações?

Seu médico irá lhe fazer algumas perguntas (anamnese) e poderá examiná-la. Baseado no que ele acha, ele pode aconselhá-la a fazer outras investigações.

Uma infecção de urina é uma causa muito comum de dor pélvica e seu médico pode pedir uma amostra de urina. Se ele achar que existe um risco de infecção, ele pode pedir para tirar uma amostra para exame. Um teste de gravidez pode ser recomendado se você não tiver certeza. Ele pode providenciar um ultrassom urgente (se houver suspeita de aborto ou gravidez ectópica) no seu hospital local. Uma ultrassonografia de rotina pode ser agendada para diagnosticar problemas, como cistos ovarianos.

Laparoscopia é comumente realizada por ginecologistas. Neste procedimento, uma pequena câmera de video é colocada através de um pequeno corte no seu umbigo. Isto permite ao médico ver o interior de sua pélvis. 

Médicos que se especializam no intestino podem usar vídeos flexíveis para olhar dentro do seu intestino. O esôfago e o estômago podem ser vistos por endoscopia. O intestino inferior (reto e cólon) são vistos por colonoscopia.

O que pode ser recomendado para ajudar a gerenciar o problema?

Isso vai depender da causa provável. Siga os links acima para as respectivas páginas para obter mais informações sobre isso.

Se o problema não for uma emergência, seu médico pode encaminhar você para uma consulta com um especialista investigações adicionais - como acima.

O que você achou deste conteúdo?: 
0
No votes yet

Dra. Juliana Amato: Especialista em Reprodução Humana

Dra. Juliana Amato
Ginecologista, Obstetra. Chefe da Reprodução Humana do Instituto Amato
Tratamento de Infertilidade em Laboratório de Reprodução Humana(11) 5053-2222
Tudo sobre tratamento da infertilidade. Ajuda para Engravidar.
www.fertilidade.org
Clínica de Reprodução Humana: Ajuda para engravidarAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin