Pular para o conteúdo
Principal » Como o esperma chega ao óvulo: O espermatozóide e o óvulo

Como o esperma chega ao óvulo: O espermatozóide e o óvulo

O espermatozoide deixa o pênis masculino através da ejaculação e é depositado na vagina próximo ao limite superior do cervix (abertura para o útero). Os espermatozoides  imediatamente começam a nadar com sua cauda ou flagelo, e alguns irão encontrar o caminho para a cervix.

No vídeo, a Dra. Juliana Amato, ginecologista obstetra e especialista em reprodução assistida, explica seu interesse em escrever um livro para esclarecer as dúvidas comuns dos pacientes. O livro aborda diversos tratamentos de fertilidade, como fertilização in vitro, coito programado e namoro em casa, além das principais causas de infertilidade feminina e masculina. Também oferece dicas para casais preservarem sua fertilidade, como alimentação, exercícios físicos e índices hormonais adequados. O livro está disponível para pacientes que se cadastrarem no site fertilidade.org e é uma fonte confiável de informações, em contraste com informações não comprovadas cientificamente encontradas na internet.

Meu nome é Juliana Amato, eu sou ginecologista obstetra, especialista em reprodução assistida. Aqui na nossa clínica a gente tem muito interesse do paciente ele sempre não saia com dúvidas e sempre tem as suas dúvidas sanadas. Eu tive interesse de escrever um livro sobre essas dúvidas dos pacientes, porque realmente são muitas e eu recebo muitos e-mails vários todos os dias, sempre com as mesmas dúvidas. Então, esse livro ele fala é de todos os tipos de tratamento, desde da fertilização in vitro, o coito programado, o namoro em casa e fala das principais causas tanto femininas, quanto o masculinas e o que você deve fazer, as dicas do que o casal deve fazer para preservar a fertilidade, tanto alimentação, exercícios físicos os índices hormonais que essa paciente tem que estar para ter uma boa fertilidade, entre outras coisas. Então aqui esse livro ele vende no nosso site, mas os pacientes que se cadastrarem no site do fertilidade.org, elas recebem esse livro em casa, para quem tiver interesse é bem legal, porque no Google a gente vê muita coisa e a gente tem que filtrar o que é certo e o que é errado, porque tem muita coisa que não é cientificamente comprovado. Se você se interessar por esse ou mais assuntos, é só acertar nossas redes sociais.

Curiosidade: Um pouco de história… Embora a existência dos espermatozoides tenha sido descoberta no século 17, foi só no século 19, no ano de 1890, que a forma como a fertilizaçãoe a fecundação acontece foi, finalmente, desvendada. Nessa época, alguns cientistas acreditavam que humanoides, minúsculos e pré-formados, ficavam presos na cabeça dos espermatozoides. Estes, por sua vez, se desenvolveriam no útero feminino, que só funcionava como uma espécie de forno.

Caminho do espermatozóide

Os espermatozoides então iniciam sua longa jornada em direção ao óvulo. Passando pela cervix, eles adentram ao útero. Aqui, eles nadam em direção aos tubos/trompas de falópio. A vagina e o útero são ambientes um tanto hostis para os espermatozoides, no entanto, uma vez que chegam aos tubos de falópio estão praticamente livres dos efeitos potencialmente negativos do sistema imunológico feminino. Apenas alguns em 14 milhões dos espermatozoides ejaculados chegarão aos tubos de falópio, mas uma vez lá, os espermatozoides devem utilizar-se de sinais químicos advindos do óvulo para guiá-los no caminho de seu encontro.

Curiosidade: Como você imagina que seja a aparência um espermatozoide? Se você tem aquela imagem tradicional de uma cabeça e corpo oval e uma cauda, tipo um girino, saiba que essas células bonitinhas correspondem a apenas um terço do total. A grande maioria dos espermatozoides é bem desengonçada, com duas cabeças ou caudas curtas por exemplo.

Os espermatozoides finalmente aproximam-se do óvulo e pressionam a sua superfície (chamada de zona pelúcida). Vários espermatozoides ligam-se a esta superfície, mas apenas um espermatozoide receberá a permissão para ir através do óvulo e chegar ao seu interior, carregando seu material genético. Espermatozoides podem sobreviver por dois dias ou mais no muco cervical e, devido a isto, uma sincronização exata com o intercurso sexual (coito) não se faz necessária. Um espermatozoide ejaculado durante um intercurso realizado numa segunda-feira pode fertilizar um óvulo ovulado um ou dois dias após.
Curiosidade: O espermatozóide vencedor, aquele fecundado, derrotou outros 300 milhões de concorrentes.

pênis > sistema reprodutor feminino > vagina > cérvix > útero > trompas de falópio > óvulo > zona pelúcida > interior do óvulo

Fonte: Amato, JLS. Em Busca Da Fertilidade. 2014

O que você achou?

0 / 5 Resultado 4.27 Votos 11

Your page rank:

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>