Pular para o conteúdo
Peráengravidar fora do período fértil

Quais as chances de engravidar fora do período fértil?

Quais as chances de engravidar fora do período fértil?

Você já ouviu alguma mulher falar que engravidou fora do período fértil? É uma afirmação comum, gera muitas dúvidas, mas que, na verdade, mostra o pouco conhecimento sobre o funcionamento do corpo feminino e seu sistema reprodutivo. Neste artigo, vamos falar se existem e quais as chances de engravidar fora do período fértil. Se você também tem essa dúvida, continue lendo.

O que é o período fértil

Para entender sobre gravidez fora do período fértil é preciso saber que o período fértil é aquele espaço de tempo em que o corpo da mulher está propício para conceber um filho. É a fase em que ocorre a ovulação.

Ovulação

A ovulação é o momento em que o ovário libera o óvulo para que ele seja fecundado pelo espermatozoide, que foi lançado ali durante uma relação sexual. Se esse encontro acontecer, uma gravidez é iniciada. É o que chamamos de fecundação. Se o espermatozóide não penetrar o óvulo, ele é eliminado junto com a menstruação.

O período fértil acontece todos os meses, geralmente na metade do ciclo menstrual, e dura cerca de 5 dias. O ciclo menstrual, por sua vez, inicia no primeiro dia da menstruação e termina quando começa a menstruação seguinte.

Assim, o período fértil são aqueles 5 dias em que o corpo da mulher está com um óvulo disponível, pronto para receber o espermatozoide e começar uma gravidez. É o que acontece se essa mulher mantiver relações sexuais com seu parceiro, sem preservativo.

 

É possível engravidar fora do período fértil?

Depois de ter compreendido o que é o período fértil, é mais fácil saber por que não é possível engravidar fora dele. A fecundação é o encontro do gameta feminino (óvulo) com o gameta masculino (espermatozoide). Logo, a ausência de um dos dois gametas impossibilita a gravidez.

Mesmo que a mulher mantenha relações sexuais sem preservativo, ela não engravida se não houver um óvulo para ser fecundado. E esse óvulo só é liberado dentro daqueles 5 dias citados. Então, é praticamente impossível engravidar fora do período fértil porque não ocorre ovulação.

LEIA TAMBÉM:  5 Maneiras de Aumentar Suas Chances de Ficar Grávida
LEIA TAMBÉM:  Como saber quando está no período fértil?

Essa é uma das muitas diferenças entre o homem e a mulher quando o assunto é fertilidade. O homem produz espermatozóides o tempo inteiro, mas a mulher só ovula uma vez por mês e libera apenas um óvulo a cada período fértil.

Para que haja a gravidez, esses dois momentos devem coincidir.

Período fértil e ciclos irregulares

Como vimos, o período fértil, geralmente, acontece na metade do ciclo menstrual da mulher. Por que dizemos “geralmente”? Porque não é uma regra, visto que muitas mulheres possuem ciclos irregulares.

Algumas mulheres têm ciclos certinhos, de 25, 28 ou 30 dias, por exemplo. Nesses casos, é mais fácil calcular o período fértil. Outras mulheres, no entanto, não seguem essa regularidade. Podem ter um ciclo de 25 dias, o próximo de 35 dias, o seguinte de 30 dias e assim por diante.

Diante disso, é um pouco mais difícil identificar a ovulação. Muitas mulheres com ciclos irregulares se confundem na hora de calcular o período em que estão férteis, engravidam e acham que a fecundação aconteceu fora da ovulação. Na verdade, elas estavam na fase ovulatória e, por isso, engravidaram.

 

 

YouTube video

 

Ciclos regulares também podem variar

Mulheres com ciclos regulares controlam mais facilmente o período fértil. Muitas delas conseguem identificar o melhor momento para manter relações sexuais e alcançar, ou evitar, a gravidez.

Contudo, erros também podem acontecer e a mulher pode se enganar em relação a essa contagem. Isso porque nenhum ciclo é 100% regular. Mesmo que haja uma variação bem pequena, ela pode acontecer.

Então, a mulher com ciclo regular também pode achar que engravidou fora do período fértil quando, na verdade, estava exatamente dentro do período da ovulação. Por isso, a gravidez se concretizou. É preciso que haja o gameta masculino e o feminino para a fecundação, lembra?

LEIA TAMBÉM:  Como saber quando está no período fértil?
LEIA TAMBÉM:  Planejamento de Fertilidade

Tabelinha é um método bom para calcular o período fértil?

A tabelinha é um método muito utilizado pelas mulheres quando elas querem ter mais controle sobre o corpo e saber quando é possível engravidar ou não. Contudo, não é uma ferramenta 100% eficaz porque só funciona com um ciclo extremamente regular. Então, não engloba todas as mulheres.

Sem contar que até quem tem um ciclo regular pode sofrer variações por questões biológicas, o que invalida todo esse processo de controle de dias férteis ou inférteis.

YouTube video

 

Relações sexuais fora do período fértil podem resultar em gravidez. Entenda.

Um acontecimento muito frequente, e que talvez seja o que confunde muito a cabeça das mulheres, é quando elas engravidam mesmo tendo mantido relações sexuais bem antes do seu período fértil. Quando isso acontece, elas acreditam que houve gravidez fora da ovulação.

É totalmente possível uma fecundação nessas condições. A mulher marca a sua tabelinha, identifica o período fértil e tem o cuidado de manter relações sexuais alguns dias antes da ovulação. Para sua surpresa, a gravidez acontece.

Nesse caso, a fecundação tem a ver com o tempo de vida do espermatozoide. Em condições saudáveis, e desde que encontre uma situação propícia para a sua sobrevivência, o espermatozoide permanece vivo e pronto para penetrar um óvulo por até 5 dias dentro do corpo da mulher. Veja a frequencia ideal de relações para conseguir uma gravidez.

Portanto, se o período fértil da mulher iniciou no dia 15, por exemplo, e ela manteve relações sexuais sem contraceptivo até o dia 10 ou 11, é possível que ocorra uma gravidez, já que o espermatozoide estará ativo até o dia 15 ou 16, dentro do seu corpo.

E é por isso que a mulher engravida mesmo sem manter relações sexuais dentro do seu período fértil, desde que esta relação tenha acontecido alguns dias antes. O espermatozoide continuou vivo, à espera do óvulo, e o encontro de ambos aconteceu logo que ocorreu a ovulação.

LEIA TAMBÉM:  Vasectomia
LEIA TAMBÉM:  Espermograma

Essa, aliás, é mais uma diferença entre a mulher e o homem em relação à fertilidade. Na mulher, o óvulo tem uma sobrevida de até 36 horas (cerca de um dia e meio), enquanto o espermatozoide pode sobreviver por até 120 horas (5 dias), com uma média de 48 a 72 horas depois da ejaculação. 

Agora, uma curiosidade sobre o espermatozoide e o sexo do bebê

Os espermatozoides que sobrevivem por mais tempo são os que carregam cromossomos X. Se eles fecundarem um óvulo, darão origem a uma menina. Eles são mais lentos e economizam energia. Já os espermatozóides Y, que dão origem a meninos, são mais rápidos, gastam mais energia e vivem menos. 

Agora você já sabe quais as chances de engravidar fora do período fértil e entendeu que elas são quase inexistentes. Também descobriu que, apesar de muitas mulheres acreditarem que isso realmente exista, na verdade, trata-se de um engano na hora de calcular o ciclo menstrual ou tem a ver com a sobrevida do espermatozoide. Para resultados mais precisos e honestos sobre fertilidade, converse com o seu ginecologista e tire todas as suas dúvidas.

O que você achou?

Quais as chances de engravidar fora do período fértil? Você já ouviu alguma mulher falar que engravidou fora do período fértil? É uma afirmação comum, gera muitas dúvidas, mas que, na verdade, mostra o pouco conhecimento sobre o funcionamento do corpo feminino e seu sistema reprodutivo. Neste artigo, vamos falar se existem e quais as chances de engravidar fora do período fértil. Se você… Continue a ler »Quais as chances de engravidar fora do período fértil?
1 1 5 1
/ 5 Resultado 1 Votos 1

Your page rank:

nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!