Azoospermia: falta de espermatozóides

Espermatozóide
Espermatozóide

Vamos direto ao assunto?

Azoospermia é quando nenhum espermatozóide é detectado no semen ejaculado. É diagnosticada no espermograma, exame que analisa o líquido ejaculado pelo homem e verifica não só a presença e ausência de espermatozoides, como também sua qualidade e mobilidade avaliando a fertilidade do homem.

Tipos e causas


Azoospermia não obstrutiva — falta de produção de espermatozóides pelos testículos. As causas deste tipo de azoospermia incluem defeitos congênitos dos testículos ou danos externos.
Azoospermia obstrutiva — bloqueio do sistema de transporte do esperma. Pode ocorrer por danos, uma vasectomia ou anormalidades do epidídimo ou canais deferentes.

O que é azoospermia?

 

Para entender a azoospermia além da ausência de espermatozóides, é preciso compreender que os espermatozoides são produzidos nos testículos e ficam depositados em estruturas chamados epidídimos, onde os eles amadurecem e ganham mais movimentação. Quando existe a estimulação sexual, os espermatozoides armazenados viajam pela uretra (canal por onde passa a urina e o sêmen), onde desagua também o material proveniente da próstata e das vesículas seminais: o sêmen.

Sêmen é o líquido ejaculado na relação sexual pelos homens e que normalmente carrega os espermatozoides. Serve para manter os espermatozoides vivos até chegarem no local da fecundação, no encontro com o óvulo. Milhares de espermatozoides precisam envolver um óvulo no interior da trompa uterina da mulher para que apenas um consiga penetrar e iniciar toda a mágica da formação do embrião.

Causas de azoospermia:

Portanto, a azoospermia é causada por problemas na produção (testículos), no armazenamento (epidídimos), ou ainda na distribuição dos espermatozoides, no caminho das células até a uretra. Isso inclui todas as doenças que afetam os testículos ou epidídimos como:

  • trauma,
  • infecções,
  • radiação,
  • tumores/neoplasias/câncer,
  • seu tratamento com medicamentos quimioterápicos,
  • torções,
  • criptorquidia (testículo oculto que não desceu para a bolsa escrotal),
  • cirurgias pélvicas,
  • varicocele (dilatação das veias que drenam os testículos);
  • e doenças que provocam obstruções no caminho que liga os testículos até o canal da uretra, tubo por onde o sêmen é ejaculado.
LEIA TAMBÉM:  Tratamentos para homens

Cada uma das causas possui tratamento diferente, quando o objetivo é tratar a causa. Mas, quando o objetivo final é ter um bebê, a coleta dos espermatozóides pode ser feita, muitas vezes por:

nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).