Pular para o conteúdo
Vasectomia

Vasectomia

Vasectomia

Saiba tudo sobre o procedimento de vasectomia.

Nesse artigo você vai saber o que é vasectomia e como é feito o procedimento de vasectomia.

Além disso, tudo o que você precisa saber sobre esse procedimento, desde os cuidados, até os riscos e mitos sobre a vasectomia.

O que é vasectomia

O procedimento de vasectomia também é conhecido como esterilização masculina.

Em outras palavras, a vasectomia torna o homem estéril, incapaz de ter filhos.

O procedimento impede a chegada dos espermatozoides até a sua uretra, consequentemente que fecunde os óvulos da parceira.

No entanto, não interfere na produção de hormônios do homem nem que o líquido produzido na próstata e na vesícula seminal seja eliminado durante a ejaculação.

Como é o procedimento

O procedimento é feito no mesmo dia em uma clínica ou hospital dia sem necessidade de internação.

É um procedimento simples, onde o médico aplica anestesia local e uma simples sedação, depois são feitas duas pequenas incisões em cada lado da bolsa escrotal.

Então, é realizada a ligadura (fechamento) entre canais deferentes com o objetivo de interromper a circulação dos espermatozoides produzidos nos testículos.

Além disso, é um procedimento rápido, geralmente dura de 30 a 40 minutos.

Quais cuidados tomar depois da vasectomia?

Os cuidados depois da vasectomia são bem simples.

No primeiro dia é recomendado repouso.

Além disso, evitar dirigir por no mínimo 7 dias, também evitar atividades físicas por no mínimo 7 dias.

Alguns cuidados como colocar bolsa de gelo no local, além de fazer uso de anti-inflamatórios e analgésicos também são recomendados pelos médicos na maioria das vezes.

Riscos de fazer vasectomia

As taxas de complicações da vasectomia são baixíssimas.

Por esse motivo, os riscos de fazer vasectomia são baixos, mas não inexistentes, converse muito com seu médico para entender a proposta.

LEIA TAMBÉM:  A colher cheia de açúcar pode influenciar na sua fertilidade?
LEIA TAMBÉM:  Canais Deferentes

Algumas complicações mais comuns que podem ocorrer são: dor na bolsa escrotal, que geralmente é leve.

Além disso, pequenos hematomas ou mesmo infecção na incisão.

No entanto, a maioria das complicações são controladas com repouso, anti-inflamatórios e, em alguns casos, antibióticos.

Mitos sobre a vasectomia

Alguns mitos sobre a vasectomia devem ser esclarecidos, principalmente se você está pesando em realizar o procedimento.

Esses mitos causam medo e muitas dúvidas em alguns homens que desejam fazer o procedimento.

Esses mitos são:

Vasectomia é irreversível

A maioria acredita que a vasectomia é irreversível, no entanto, isso é um mito.

A vasectomia é reversível, porém, não é um procedimento tão simples e garantido quanto fazer a vasectomia.

Além do custo ser maior, realinhar os canais deferentes não é tão simples.

Além do tempo que é maior, sendo de mais ou menos 2 a 3 horas.

O tempo entre o procedimento de vasectomia e a decisão pela reversão também influencia no êxito na hora de reverter o procedimento.

Já que quanto mais tempo tiver o procedimento, menores são as taxas de sucesso da reversão.

Prejudica a vida sexual

Um grande mito é que a vasectomia causa impotência sexual ou prejudica a vida sexual.

O procedimento não interfere na vida sexual do homem.

O processo do organismo responsável pelo estímulo sexual continua o mesmo, além disso, alguns estudos até mostram uma melhora no desempenho sexual após a vasectomia.

Não posso engravidar uma mulher após a vasectomia

Quem nunca ouviu alguma história de a mulher ter engravidado e o homem garantir que o filho não é seu por ser vasectomizado?

Mas, na prática, existem algumas situações que podem sim, levar um homem vasectomizado a engravidar uma mulher.

A primeira é que, em mais ou menos 25 ejaculações após o procedimento, o homem ainda continua a expelir espermatozoides.

LEIA TAMBÉM:  6 DSTs que podem afetar a fertilidade
LEIA TAMBÉM:  Infertilidade Inexplicável

Além disso, apesar de ser uma possibilidade muito pequena, existe a chance de a vasectomia ter falhado.

Também existe a possibilidade de ocorrer uma reversão espontânea do fluxo de espermatozoides pelos ductos deferentes. Porém, essa possibilidade pode acontecer em apenas 0,2% das pessoas submetidas à vasectomia, o que é uma taxa considerada muito baixa.

Por isso, é crucial usar camisinha e métodos contraceptivos nas primeiras relações após o procedimento.

Acima de tudo, após 60 dias depois do procedimento é valoroso fazer um espermograma para avaliar a eficácia da vasectomia que foi feita.

Através do espermograma é possível confirmar a ausência completa de espermatozoides no líquido seminal ejaculado.

Para finalizar, qualquer dúvida sobre o procedimento de vasectomia, seja antes de fazer ou após o procedimento, deve ser sanada pelo médico.

Além disso, antes de realizar o procedimento, tenha certeza de que você de fato não deseja ter filhos futuramente, pois o procedimento de reversão é mais difícil.

O que você achou?

/ 5 Resultado Votos

Your page rank:

nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!