Pular para o conteúdo
casal engravidar

Quando procurar ajuda para engravidar?

Quando procurar ajuda para engravidar?

Essa pode ser uma dúvida de muitos casais que estão na expectativa de ter um filho, não vendo a hora de sua chegada. Também pode ser uma questão aquelas pessoas que desconfiam ter alguma condição que dificulte a concepção de um bebê. Para esclarecer essas e outras dúvidas, separamos 8 situações que devem fazer você procurar ajuda médica na hora de engravidar.

Casais que estão há mais de 1 ano tentando engravidar:

A regra é que deve-se procurar ajuda para engravidar após 1 ano de tentativas sem sucesso, pois esse é o período em que a maior parte dos casais levam para conseguir uma gravidez. Se vocês estão tendo vida sexual ativa sem uso de métodos contraceptivos há mais de 1 ano e a concepção não aconteceu, procurem um especialista para orientá-los nos próximos passos.

Homens com baixa contagem de espermatozoides:

Um homem com uma fertilidade saudável tem entre 20 e 15 milhões de espermatozoides por mililitro de esperma. Uma contagem de espermatozoide inferior a 15 milhões diminui as chances de uma concepção. Quando essa condição é detectada, o homem deve procurar um médico que irá orientá-lo como melhorar sua contagem de esperma.

Homens com espermatozoides com má formação:

Existe também a possibilidade dos espermatozoides possuírem anomalias em sua formação.

Estes, portanto, não conseguem fecundar o óvulo. Homens que possuem espermatozoides com má formação devem procurar um urologista a fim de conseguir uma gravidez.

Homens com problemas no aparelho reprodutor:

Certas condições no sistema genital masculino dificultam a gravidez por obstruir a passagem do esperma ou alterar sua qualidade. Condições como varicocele, fimose, criptorquidia, fibrose cística e processos infecciosos no sistema genital devem ser acompanhadas por um médico.

LEIA TAMBÉM:  Nosso Centro Cirúrgico para tratamento de Infertilidade
LEIA TAMBÉM:  Como aumentar e manter a fertilidade masculina

Mulheres que possuem um ciclo menstrual irregular:

O fato do ciclo menstrual de uma mulher estar irregular sinaliza que a ovulação não está ocorrendo como deveria. Isso significa que a mulher não consegue produzir um óvulo, todo mês e, devido a isso, sua menstruação não acontece regularmente. Neste caso, deve-se procurar um ginecologista para que se avalie a causa do problema e se inicie um tratamento apropriado.

Mulheres com mais de 35 anos de idade:

Se a mulher tem mais de 35 anos de idade, o casal deve tentar engravidar durante 6 meses.

Após esse período, é crucial que procurem ajuda médica. A partir dos 35 anos a mulher produz óvulos com menos qualidade e isso acaba dificultando a gravidez. Sendo assim, quanto mais cedo se procurar o médico, maior é a chance de sucesso de uma gestação.

Mulheres com histórico de 3 ou mais abortamentos:

O histórico de abortamentos é motivo para procurar ajuda, pois é necessário identificar suas causas e planejar com cuidado a próxima gestação. A fim de evitar complicações para a mamãe e o bebê, a gestação deve ser acompanhada de perto por um médico.

Mulheres com problemas no aparelho reprodutor:

Problemas como útero septado, endometriose, ovário policístico ou obstrução tubária são motivos para se buscar ajuda médica logo que se decidir ter um filho. São condições que dificultam a concepção.

É bastante normal que exista uma ansiedade a partir do momento em que se decide ter um filho. Porém, é significativo lembrar que é natural que o resultado positivo demore mais que o desejado. Nessas horas, o essencial é que o casal se apoie e continue tentando, procurando ajuda quando for preciso.

YouTube video

 

Dra. Juliana Amato

LEIA TAMBÉM:  Tratamentos para mulheres
nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!