Por que meu tratamento de gravidez não está dando certo?

Tratamento de gravidez

O tratamento de gravidez é uma alternativa muito buscada por casais que não conseguem engravidar de maneira espontânea. Os resultados são bastante positivos. Contudo, nem sempre tudo sai de acordo com o esperado, o que acaba gerando frustração não só nos futuros papais, mas também em toda a equipe médica envolvida nesse processo. Existem muitas dúvidas a respeito dos motivos que impedem um tratamento de gravidez de dar certo e hoje falaremos mais sobre isso.

Minha gravidez não deu certo. E agora?

Dizemos que o tratamento de gravidez falhou quando o resultado não é obtido, ou seja, quando a mulher não conseguiu engravidar ou quando ela sofreu aborto espontâneo ao longo da gestação. O fato é que não existe um único motivo que possa atrapalhar a gravidez assistida.

Existem variáveis diversas que atingem a mulher em maior ou menor grau, impedindo a gestação. Normalmente, essa falha está associada às causas da infertilidade no homem ou na mulher, que os induziram a buscar ajuda médica para engravidar.

É, portanto, uma questão individual que precisa ser averiguada de forma específica. E a primeira coisa que o casal deve fazer é procurar o médico responsável pelo procedimento para tentar descobrir o que deu errado.

 

Possíveis causas de falhas no tratamento de gravidez

Sabemos que o médico responsável pelo procedimento toma todas as precauções possíveis antes de iniciar o tratamento, conhecendo o histórico da paciente, buscando doenças que comprometem a fertilidade tanto no homem quanto na mulher, solicitando exames para fechar diagnósticos etc.

Ainda assim, é possível que alguns fatores prevaleçam e atrapalhem todas as medidas de prevenção aplicadas antes e durante o tratamento, gerando uma frustração em todos. A taxa de sucesso de um tratamento de gravidez como a Fertilização In Vitro, por exemplo, pode chegar a 60% dos casos. Os outros 40% que não deram certo podem ter relação com algumas das causas abaixo. Confira.

Mulher com idade avançada

A partir dos 35 anos de idade, as chances de uma mulher engravidar de maneira espontânea caem consideravelmente. Com o tratamento de gravidez, as chances aumentam, mas, ainda assim, há riscos de um resultado negativo.

Isso acontece por causa do envelhecimento natural do corpo, da redução no número de óvulos produzidos e liberados pela mulher e também porque a idade avançada aumenta as chances de alterações genéticas nos embriões, dificultando e até impedindo o seu desenvolvimento.

Processos inflamatórios crônicos

Doenças ou inflamações que atingem a região do útero são responsáveis por boa parte das falhas na gravidez. Essas alterações podem surgir durante a gestação ou podem não ter sido diagnosticadas durante a fase de preparação da mulher.

Outra possível causa é o fato do endométrio não estar pronto para receber aquele embrião introduzido no útero, o que também pode acontecer devido a processos inflamatórios locais. Como resultado, o embrião não encontra um ambiente satisfatório para o seu desenvolvimento.

Baixa qualidade dos espermatozoides

Ainda que o médico faça a seleção dos melhores espermatozoides para a fecundação do óvulo, é possível que os escolhidos apresentem algum problema ao longo do processo. Geralmente, esses espermatozoides de má qualidade estão mais relacionados aos abortos espontâneos.

Alterações nos embriões

Problemas embrionários são responsáveis pela maioria das falhas na gravidez assistida. No caso da FIV, a transferência de um embrião no momento errado de sua evolução compromete o seu desenvolvimento, impedindo a gravidez.

Além disso, o embrião pode trazer alguma alteração genética não identificada pelo médico durante a avaliação e no processo de escolha. Essa deformidade impede que o embrião tenha a evolução esperada.

O que fazer para reduzir essas falhas?

Como dissemos, cada caso é único e deve ser averiguado de forma individual. O médico precisa identificar e avaliar as possíveis causas da não gestação e tomar medidas de precaução para uma nova tentativa. Existem algumas maneiras de fazer isso. Vejamos.

Estudar alterações genéticas do embrião

Se for essa a provável causa, o médico faz um estudo genético do embrião, avaliando e optando por aqueles que não tenham anormalidades genéticas. Só depois, esses embriões são introduzidos no útero.

Avaliação do endométrio

Se a causa da não gravidez tiver relação com problemas no endométrio, que é uma razão bastante comum, o médico também vai reavaliar essa região uterina, identificar o melhor momento em que o embrião será mais aceito ou prevenir e tratar processos inflamatórios para que eles não comprometam o processo de gestação.

Além dessas medidas, o médico deve sugerir outras estratégias igualmente eficazes para que o casal tenha resultados satisfatórios na próxima tentativa de engravidar. Essas e outras técnicas dependem exclusivamente das características de cada paciente.

O que é possível fazer para aumentar as chances de engravidar durante o tratamento?

Não existe uma lista efetiva de recomendações que possam favorecer a gravidez. Mas, existem algumas dicas que melhoram a fertilidade do casal, uma vez que contribuem para a saúde do corpo como um todo.

  • Reduzir ou eliminar hábitos não saudáveis como o tabagismo e o alcoolismo;
  • Manter uma alimentação saudável com preferência para alimentos naturais, reduzindo industrializados e processados;
  • Sair do sedentarismo e se manter em movimento;
  • Ficar longe de situações de estresse, buscando maneiras de relaxar e descansar sempre que possível;
  • Controlar os níveis de ansiedade, por mais que seja um pouco mais difícil nesse momento tão importante para a família;
  • Por fim, é preciso ter muita paciência. Como vimos, os resultados positivos têm um ótimo índice, porém, não podemos deixar de observar todos os casos que não deram certo. Então, é uma situação normal, mesmo que não seja a ideal.

O importante é continuar insistindo, seguindo os protocolos e recomendações da equipe médica, controlando o que estiver ao seu alcance como o cultivo de bons hábitos, a redução do estresse e da ansiedade e tendo boas noites de sono para que o trajeto em busca da gravidez seja tão satisfatório quanto o resultado esperado.

O tratamento para gravidez traz resultados fantásticos para os casais que sonham em ter filhos, mas, como todo procedimento médico, pode apresentar falhas, sendo estas motivadas por inúmeros fatores. Essas possíveis causas são averiguadas pela equipe médica responsável que sugere alterações no tratamento para a obtenção de resultados satisfatórios para ambas as partes.

 

Marcações:
nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).