Pular para o conteúdo

Diagnóstico e tratamento da trombose venosa na gravidez e após o nascimento

Se você ou alguém na família teve trombose venosa profunda ou embolia pulmonar, aqui falaremos o que fazer durante a gravidez ou logo após o nascimento. As informações também podem ser úteis se você é o parceiro ou um parente de uma mulher nessa situação.

Se você gostaria de obter informações sobre como reduzir o risco de uma trombose venosa, consulte seu cirurgião vascular.

Sumário

O vídeo discute a importância da trombose venosa profunda e como ela pode levar a embolia pulmonar, uma complicação que causa um grande número de mortes. A trombose venosa profunda ocorre quando o sangue coagula dentro de uma veia específica no sistema venoso profundo. Os fatores de risco incluem lesão do endotélio, alteração no sangue e aumento da coagulabilidade, e imobilidade prolongada. A embolia pulmonar é a complicação mais grave, mas também pode levar à síndrome pós-trombótica. O tratamento envolve anticoagulantes, com opções mais recentes, como os novos anticoagulantes orais, que são mais fáceis de usar. O diagnóstico é feito por meio de sinais de dor e inchaço e fatores de risco. A prevenção envolve evitar fatores de risco e seguir as orientações médicas, incluindo o uso rigoroso de anticoagulantes.

é uma em cada dez mortes no hospital ocorre por embolia pulmonar 500 mil mortes por ano na Europa por embolia pulmonar 300 mil mortes por ano nos Estados Unidos a embolia pulmonar causa mais mortes do que câncer de mama AIDS câncer de próstata e acidentes automobilísticos somados no mundo chamei sua atenção embolia pulmonar é importante que estão aqui o que leva embolia pulmonar é a trombose venosa profunda e eu me assustei que eu não tinha feito um vídeo falando da trombose venosa profunda aqui neste canal então tô corrigindo esse erro agora vamos falar sobre essa doença que é extremamente preocupante que todo mundo tem que se atentar e realmente quando alguém fala trombose é para para se preocupar não no intuito de ficar preocupado perdido mas de buscar informação o atendimento médico em primeiro lugar o quê que é a trombose venosa profunda trombose venosa profunda nada mais é do que sangue coagulado dentro de uma veia e de uma vez específica uma veia que tá lá no sistema venoso profundo e não no sistema venoso superficial essa separação é importante porque quando essa esse sangue coagulado em uma uma veia superficial a gente chama de tromboflebite superficial até essa nomenclatura é diferente para não causar tanto temor Então porque a trombose acaba sendo então para as veias Profundas quando a gente fala trombose geral a gente tá falando ou deverá profunda ou de uma trombose arterial mas este vídeo aqui é sobre trombose venosa Por que que tem essa diferenciação por causa do risco de levar a uma embolia pulmonar uma trombose superficial uma tromboflebite tem um risco pequeno de levar uma uma embolia pulmonar agora uma trombose venosa profunda e esse risco vai aumentando e quanto mais proximal ao coração essa trombose maior o risco Então se a gente tá falando de uma trombose bem de estar lá na planta do pé é esse risco de embolia é pequeno mas uma trombose venosa de uma veia em linha com uma veia cava tem um risco enorme de ter uma embolia pulmonar então por isso essa separação então o que leva à formação desse desse coágulo no sangue no sangue é a trombogênese Ou seja a capacidade de formar um trombo gerar um trombo isso foi escrito há muito tempo atrás por vir chove como uma Tríade são três fatores principais então primeiro é lesão do endotélio que significa o quê um pequeno trauma nessa parede do vaso o segundo o quê que é a alteração no sangue e aumento da coagulabilidade são as trombofilias e em terceiro lugar as as pazes sanguínea então Samsung ficar parado por muito tempo ele também aumenta a probabilidade de formar um trombo você ficar parado ele vai ele vai coagular e nós temos o nosso sangue é um equilíbrio muito tendo em para manter a fluidez desse sangue esse equilíbrio é entre os fatores pró-coagulantes e os fatores anticoagulantes Sim nós temos anticoagulantes naturais no nosso corpo que aliás se eles diminuir em muito acaba causando uma trombofilia acaba gerando ou uma probabilidade maior de causar um trombo agora do ponto de vista da trombose venosa profunda a gente tem que pensar o que que ela pode levar a trombose em se ela vai causar uma inflamação naquele local vai causar a dor vai casar um inchaço a gente pode se preocupar com esses sintomas Mas não é isso que traz a relevância para trombose O que traz a relevância é são as suas complicações E então em primeiro lugar a embolia embolia pulmonar é assim disparado o a complicação principal que a gente tem que se preocupar porque ela leva assim a óbito ela leva à morte muito frequentemente então em primeiro lugar a gente trata trombose não por causa da trombose mas para ir visitar a embolia pulmonar uma segunda complicação também aguda seriam as flores demasias as folhas de magras são thrombosis maciças são realmente complicações bem graves Mas infelizmente elas são bem raras Não não é algo que você tem que se preocupar com com tanta frequência assim e chegando no atendimento médico a gente na na parte das vezes consegue ajudar desde que seja com tempo hábil para isso agora a gente pode pensar na complicação mais tardia da trombose venosa profunda que seriam a síndrome após trombótica Então pessoal teve uma trombose hoje E daqui a dez anos pode ter varizes pode ter insuficiência venosa tudo de corrente aí dessa dessa trombose Inicial então tudo que a gente faz é para evitar a embolia em primeiro lugar evitar uma filha demasia também embora mais rara obviamente a gente vai ter que tratar também os sintomas que podem incomodar mas também evitaram a síndrome pós-trombótica no futuro cirurgia para trombose venosa não é tão frequente assim tá existem alguns procedimentos que podem ser feitas então a colocação de um filtro de veia cava que tem uma indicação bem restrita não é não é rotina em nenhum caso tá especificamente quem tem a impossibilidade do tratamento com anticoagulação por exemplo é um dos uma das necessidades aí de colocar um filtro de veia cava existem outras cirurgias que seriam a retirada desse desse trombo são um dos físicos por métodos químicos farmacológicos né e Esses medicamentos eles podem quebrar esse tombo aí você pode pensar puxa isso é tão legal acho que deve funcionar para todo mundo mas na verdade são os cirurgias que tem um risco e que você tem que colocar na balança o risco-benefício então normalmente elas vão evitar aí a grande indicação é evitar aquela síndrome pós-trombótica no futuro então se a gente tira esse tombo esse trombo ele não vai causar uma reação inflamatória muito grande nessa parede do vaso não vai destruir as válvulas venosas de modo que não leva aquela síndrome pós-trombótica no futuro a questão é quem vai se beneficiar disso normalmente são as pessoas mais jovens que têm menos risco cirúrgico e cuja trombose foi muito extensa maciça de forma que a probabilidade de ter essa síndrome pós-trombótica é muito alta então é esse não é um procedimento como evitar uma embolia pulmonar por exemplo então o tratamento você tem que levar muito muito muito a sério se foi feito o diagnóstico de trombose você tem que tratar rigorosamente e assim Existem algumas novidades são muito boas por um lado mas elas atrapalham por outro então eu lembro no início de carreira né que a gente não tinha muita opção de medicamento para fazer anticoagulação e os medicamentos que a gente tinha disposição é um medicamento que necessitavam um Rigor e que a gente já vai ficar acompanhando quase que diariamente a alteração no no sangue então eu lembro até que a gente pedir às vezes fax para o paciente mandar o resultado do exame que a gente acompanhar semanalmente as evolução a questão é que isso mostrava para o paciente o quanto era necessário e importante o controle os medicamentos atuais são os novos anticoagulantes Eles não precisam desse Rigor Todo no acompanhamento só que ao retirar esse Rigor Todo e facilitar a vida do paciente alguns não levam tão a sério o tratamento né pode esquecer o medicamento pode esquecer a importância do medicamento e pode esquecer a razão pela qual a gente está tratando que aí eu volto tudo que eu falei e é por causa da embolia pulmonar a gente tá tratando a trombose para evitar uma uma embolia pulmonar consequentemente evitar um óbito então por isso é extremamente importante você seguir à risca a orientação do seu médico não é para parar com anticoagulante sem a indicação e o acompanhamento médico e não é para continuar também sem o Rigor de um acompanhamento médico faça consultas periódicas isso é muito importante e para fazer o diagnóstico da trombose a gente precisa de dos sinais né principais são dor e inchaço paciente vai se queixar de dor inchaço só que dor inchaço e extremamente Genérico e frequente quem aqui nunca teve dor e inchaço nas pernas e não necessariamente Isso foi uma uma trombose é tem por exemplo a síndrome da pedrada né uma lesão muscular fazendo Esporte e subindo uma escada e também causa dor inchaço e não é uma trombose então só isso não é o suficiente a gente tem que usar os critérios de fatores de risco quanto mais fatores de risco mais chance dessa dor e inchaço ser decorrente de uma trombose Então quais são os fatores de risco mais comuns neoplasia ou cansa ou próprio tratamento para o câncer a quimioterapia também pode desencadear trombose uma trombose e prévia Então quem já teve uma trombose e já entra no grupo O que têm uma probabilidade maior de ter trombose uma trombofilia então uma doença na Cascata da coagulação do sangue uma doença do sangue que aumenta a probabilidade de ter trombose uso de anticoncepcionais também aumenta o risco aumenta um pouquinho mais aumenta uma gravidez aumenta mais ainda o risco de uma trombose Esses são fatores comuns existem também por exemplo o trauma tão politraumatizado principalmente a imobilização de um membro Então se alguém ficou imobilizado por muito tempo usando gesso usando alguma bota Ortopédica ou uma cadeira de rodas vai causar essa imobilidade que é um fator de risco para trombose a desidratação Então quem é ou toma pouca água e duas vezes toma muito pouca água fica desidratado isso também aumenta o risco de trombose a idade né passou dos 40 anos já tem um risco maior de ter trombose var O que é extremamente frequente na população também é um fator de risco para trombose não quer dizer que quem tem varizes Todo mundo vai ter trombose não é isso é que você vai somando um fator de risco ao outro na verdade mas nem somar você vai multiplicar por que quanto mais fatores você vai aumentando exponencialmente aí o risco da de desenvolver uma trombose então tem esses fatores tendo dor e inchaço a probabilidade de ser uma trombose aumenta então é necessário uma avaliação médica muitas vezes com o exame de sangue ou o exame de imagem tá comprovar esse diagnóstico gostou do nosso vídeo inscreva-se no nosso canal compartilhe com seus amigos e até o próximo E aí

[Música] E aí [Música] E aí

E aí [Música]

O que é a trombose venosa profunda?

Uma trombose é um coágulo de sangue em um vaso sanguíneo (veia ou artéria). Trombose venosa profunda ocorre em uma veia. As veias são vasos sanguíneos que levam sangue para o coração e os pulmões, considerando que as artérias levam o sangue do coração para os órgãos.

Uma trombose venosa profunda (TVP) é um coágulo de sangue que se forma em uma veia profunda da perna, panturrilha ou pelve.

Quanto comum é na gravidez?

A gravidez aumenta o risco de uma TVP, com o risco mais elevado no puerpério, ou seja, depois de ter tido seu bebê.

No entanto, a trombose venosa profunda é ainda rara na gestação ou nas primeiras 6 semanas após o nascimento, ocorrendo em apenas 1-2 em cada 1000 mulheres (0,1%).

A TVP pode ocorrer a qualquer momento durante a gravidez, incluindo os primeiros 3 meses.

Quais são os sintomas de uma TVP durante a gravidez?

Os sintomas de uma TVP geralmente ocorrem em uma perna só e podem incluir:

  • perna inchada, vermelha e quente
  • inchaço da perna inteira ou apenas parte dela, ou ela pode apenas parecer pesada.
  • dor e/ou sensibilidade – você só pode experimentar isto quando está em pé ou andando.

Se notar qualquer um destes sintomas, deve procurar aconselhamento imediatamente do seu médico.

Durante a gravidez, o inchaço e o desconforto em ambas as pernas é comum e nem sempre significa que há um problema. Pergunte ao seu médico obstetra se estiver preocupada.

Por que uma TVP é grave?

Trombose venosa pode ser grave porque o coágulo de sangue pode romper e viajar na corrente sanguínea, até que ela obtém alojamento em outra parte do corpo, tal como o pulmão. Isso é chamado de embolia pulmonar (EP) e pode ameaçar a vida. No entanto, morrer de uma EP é raro em mulheres que estão grávidas ou que tiveram um bebê.

Os sintomas de uma EP podem incluir:

  • dificuldade na respiração repentina e inexplicável
  • aperto no peito ou dor no peito
  • tosse com sangue (hemoptise)
  • sensação de indisposição ou desmaio.

Você deve procurar ajuda imediatamente se sentir algum destes sintomas. Ao diagnosticar e tratar uma TVP, reduz o risco de desenvolver uma EP.

O que aumenta o meu risco de TVP ou EP?

Você tem risco aumentado de trombose venosa se qualquer um dos seguintes se aplicam a você.

Antes da gravidez

Se você:

  • Tem mais de 35 anos de idade
  • Já teve três ou mais bebês
  • Teve trombose anterior
  • Tem mãe, pai, irmão ou irmã que teve trombose venosa profunda
  • Tem trombofilia (uma condição que torna um coágulo de sangue mais provável)
  • Tem condição médica como doença cardíaca, doença pulmonar ou artrite – seu médico ou parteira será capaz de dizer se qualquer condição médica que você tem aumenta o risco de uma TVP/EP
  • Têm varizes graves que são dolorosas ou estão acima do joelho com vermelhidão/inchaço
  • É usuário de cadeira de rodas (cadeirante).

Estilo de vida

Se você:

Durante a gravidez

Se você:

  • Foi admitida ao hospital
  • Está carregando mais de um bebê (gravidez múltipla)
  • Ficou desidratada ou menos móvel na gravidez devido, por exemplo, a vômitos no início da gravidez, estando no hospital com uma infecção grave, tal como apendicite ou infecção renal, ou se você está mal com o tratamento de fertilidade (síndrome de hiperestimulação ovariana)
  • Ficou imóvel por longos períodos de tempo, por exemplo, após uma cirurgia, ou quando viajou por 4 horas ou mais (pelo ar, carro ou trem)
  • Teve pré-eclâmpsia

Após o nascimento do seu bebê

Se você:

  • Teve um trabalho de parto muito longo (mais de 24 horas) ou fez cesariana, perdeu muito sangue, depois de ter tido seu bebê ou recebeu uma transfusão de sangue.

Você deve fazer avaliação de risco durante a gravidez e depois de ter tido seu bebê durante a qual o seu médico obstetra perguntará se você tem qualquer dos fatores de risco acima.

Como TVP e EP são diagnosticadas durante a gravidez?

TVP

Se estiver tendo sintomas, seu médico examinará a sua perna e pode recomendar uma ultra-sonografia da sua perna para avaliar se você tem uma trombose. Se a trombose não for vista, mas você ainda está tendo sintomas, a ultra-sonografia pode ser repetida alguns dias mais tarde.

EP

Os testes podem incluir:

  • raio-x – também pode identificar problemas comuns que poderiam ser a causa de seus sintomas, tais como uma infecção no peito
  • tomografia computadorizada (raio-x especializado) dos pulmões
  • ultra-sonografia de ambas as pernas, se você tiver quaisquer sintomas de uma TVP.

Existe algum risco de fazer os exames?

O raio-x e a tomografia computadorizada de tórax fazem uso de radiação. O raio-x do tórax utiliza uma pequena dose de radiação que não é considerada nociva para você ou seu bebê. Ainda mais usando protetor de chumbo.

As varreduras CT carregam um risco pequeno, mas isso precisa ser pesado contra o risco para você e seu bebê de uma EP não diagnosticada. O risco de seu bebê desenvolver câncer na infância após uma tomografia computadorizada é extremamente baixo.

Seu médico conversará com você sobre os benefícios e riscos e fará o de melhor para você.

Qual é o tratamento para trombose venosa profunda?

Se seu médico suspeitar que tenha uma trombose venosa, será aconselhada a iniciar o tratamento com uma injeção de um medicamento chamado heparina para afinar o sangue. Existem vários tipos de heparina. O mais comumente usado na gravidez é heparina de baixo peso molecular (HBPM) – Clexane/Enoxaparina.

Para a maioria das mulheres, os benefícios da heparina são que:

  • funciona para evitar que o coágulo fique maior, então seu corpo gradualmente pode dissolver o coágulo
  • reduz o risco de uma EP
  • reduz o risco de desenvolver outra trombose venosa
  • reduz o risco de problemas a longo prazo se desenvolverem na perna.

O que envolve o tratamento de heparina?

Heparina é dada como uma injeção embaixo da pele (subcutânea) no mesmo horário diariamente (às vezes duas vezes por dia). A dose é ajustada para você de acordo com o seu peso no início da gravidez.

Você não precisa ficar no hospital durante o tratamento com heparina. Você (ou um membro da família) diz como e onde em seu corpo dar as injeções. Agulhas e seringas (já preparadas) são utilizadas e será dado orientações sobre como armazená-las e descartá-las. Sugere-se check-ups regulares em consultório.

Existe algum risco da heparina para meu bebê e para mim?

Heparina de baixo peso molecular, não atravessa a placenta e, portanto, não pode prejudicar seu bebê.

Podem ocorrer alguns hematomas onde você a injeta – que geralmente desaparecem em poucos dias.

Uma ou duas mulheres em cada 100 (1-2%) pode ter reação alérgica. Se notar uma erupção cutânea após a injeção, informe o seu médico para que o tipo de heparina possa ser alterado.

Por quanto tempo vou precisar tomar heparina?

O tratamento é geralmente recomendado para o restante de sua gravidez e por pelo menos 6 semanas após o nascimento. O tempo mínimo de tratamento é de 3 meses e você pode precisar continuá-lo por mais tempo.

O que mais posso fazer para ajudar, se eu tenho uma TVP?

  • Movimente-se, fique tão ativa quanto puder.
  • Será prescrita meia elástica especial (meia elástica de compressão graduada), que ajuda a reduzir o inchaço na perna.
  • Se precisar de alívio da dor, peça ao seu médico.

O que devo fazer quando começar o trabalho de parto?

Se você acha que está começando o trabalho de parto, não deve tomar mais injeções. Telefone para a sua maternidade, avise seu obstetra e diga-lhes que está em tratamento dcom heparina. Eles vão te aconselhar o que fazer.

Uma injeção peridural (injeção anestésica regional dada no espaço ao redor dos nervos nas suas costas para anestesiar a parte inferior do corpo) não pode ser dada até 24 horas após a última injeção de heparina. Você terá como opção de alívio da dor medicamentos alternativos.

Se o plano for induzir o trabalho de parto, você deve parar suas injeções 24 horas antes da data prevista.

E se eu fizer uma cesariana?

Se você for fazer uma cesariana planejada, sua última injeção de heparina deve ser 24 horas antes da data prevista. A heparina será reiniciada normalmente dentro de 4 horas após a operação.

Se o seu bebê precisar nascer por cesariana de emergência 24 horas depois de sua última injeção, você não será capaz de receber uma injeção epidural ou espinhal. Em vez disso, precisará de uma anestesia geral para sua operação.

O que acontece após o nascimento?

O tratamento deve ser continuado pelo menos 6 semanas após o nascimento, com acompanhamento pelo cirurgião vascular. Você provavelmente precisará de tratamento por mais tempo se a TVP ou EP foi diagnosticada tarde na gravidez ou após o nascimento.

Após o parto, há possibilidade de escolha de tratamento: continuar com injeções de heparina ou usar comprimidos de varfarina. Seu médico irá discutir suas opções com você.

Após o nascimento geralmente você fará uma consulta com seu médico, obstetra, cirurgião vascular ou hematologista. Na consulta o médico irá:

  • Perguntar sobre seu histórico familiar de trombose e discutir testes para uma condição que torna mais provável trombose (trombofilia) – estes testes devem ser feitos quando você tiver parado o tratamento e idealmente antes de qualquer futura gravidez
  • Discutir as suas opções de contracepção – você deve ser aconselhada a não tomar qualquer contracepção que contenha estrogênio, tais como a ‘pílula combinada’
  • Discutir futuras gestações – você geralmente será recomendada ao tratamento de heparina durante e após a próxima gestação.

Posso amamentar?

Sim – Ambas heparina e varfarina são seguras para tomar enquanto amamentar.

O que você achou?

0 / 5 Resultado 0 Votos 0

Your page rank:

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

Marcações:
>
error: Alert: Content selection is disabled!!

Dicas para conseguir engravidar

Receba o livro definitivo de tratamento para casais que desejam engravidar

Ao baixar o livro você concorda com nossos termos