Canais Deferentes

Canais Deferentes

Faz parte do sistema reprodutor masculino. Os ductos deferentes ou canal deferente é um canal que leva os espermatozóides para a uretra e sua exteriorização, a partir do epidídimo, que é o local onde eles são armazenados após serem produzidos nos testículos. Representam uma continuação direta do epidídimo e o seu tamanho pode variar entre 30 e 40cm.

Divide-se em: parte testicular, funicular, inguinal, pélvica e ampola do ducto deferente (que une-se com o ducto excretor da vesícula seminal para formar o ducto ejaculatório)

Ducto deferente

 Importância na Infertilidade:

  • Vasectomia: método cirúrgico de corte dos ductos deferentes utilizado como um método contraceptivo. Tratamento feito por homens que não desejam mais ter filhos. A cirurgia consiste em um corte na bolsa testicular interrompendo a passagem de espermatozoides pelos dois canais deferentes.
  • Azoopermia Obstrutiva:  Ausência de espermatozóides na ejaculação, causada por uma obstrução nos ductos deferentes. Quando a produção de espermatozóides no testículo é normal. Possíveis causas: cistos, congênitas, adquiridas pós infecção, cirurgias prévias. Obstrução completa e parcial do duto ejaculatório tocorre em 1 a 5% dos pacientes com infertilidade masculina. Os pacientes podem ter um vaso deferente normal, mas com diminuição do volume ejaculado ou hemospermia (sangue na ejaculação) ou pode sentir dor no momento da ejaculação. podem ser cistos, calcificação ductal e cicatriz pós-operatória. 

    • Obstrução dos Ductos Ejaculadores: A desembocadura dos canais deferentes na próstata ocorre numa região delicada que ocorre a mistura dos espermatozóides com o líquido produzido na próstata e nas vesículas seminais, dando origem ao sêmen. Se houver uma obstrução nesta região, a mesma poderá impedir a passagem dos espermatozóides. Como consequência, o líquido ejaculado não irá conter espermatozóides. 

    • Ausência Congênita dos canais Deferentes: A azoospermia obstrutiva pode ser causada pela agenesia dos canais deferentes desde nascença, onde os canais não são formados. Apesar de haver a produção de espermatozóides férteis, não há como exteriorizá-los, pois o ducto de transporte não existe. 

    • Obstruções ao Nível do Epidídimo e canais Diferentes: Sejam elas causadas por infecções, vasectomia ou aquelas congênitas, podem ser tratadas com sucesso por meio da microcirurgia, mas quando o objetivo final é gerar um bebê, outras soluções como a punção e biópsia devem ser consideradas.

Tratamentos relacionados:

  • Reversão de vasectomia: Reconecta as duas partes dos canais deferentes anteriormente separadas na vasectomia. Só é possível em algumas situações que devem ser avaliadas pelo médico urologista. É feita microcirurgia com pequena incisão no saco escrotal, de 3 a 5 centímetros. As pontas dos canais deferentes são localizadas com microscópio e preparadas para o procedimento, que consiste na sutura das duas partes feita com fios muito finos e usando um microscópio. O procedimento é feito com anestesia geral, máscara laríngea ou sedação com anestesia local em regime de hospital dia. Após 45 dias é feito um espermograma para avaliar a quantidade de espermatozoides no sêmen, além de sua motilidade e formato.
  • Punção e biópsia testicular Se o transporte do espermatozoide não está sendo feito adequadamente, à busca na fonte é uma solução.

* correto é ducto deferente, e não ducto diferente

Marcações:
nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).