Pular para o conteúdo

A obesidade é uma doença crescente que afeta milhões em todo o mundo. A obesidade também afeta significativamente a capa…

A obesidade é uma doença crescente que afeta milhões em todo o mundo. A obesidade também afeta significativamente a capacidade da mulher de ter uma gravidez.⠀

A obesidade é definida por um Índice de Massa Corporal (IMC) extraordinariamente alto, no qual o índice é um reflexo da quantidade de gordura corporal. Cerca de 1 em cada 4 mulheres tem pelo menos excesso de peso de acordo com pesquisas e estudos. As taxas são mais altas entre as mulheres que enfrentam problemas de concepção.⠀

Junto com vários outros problemas de saúde sexual causados pela obesidade, a infertilidade é um problema importante, levando preocupante necessidade, e falha, de técnicas de reprodução assistida para a concepção.⠀

Uma das conexões mais bem estabelecidas entre obesidade e problemas reprodutivos é a ligação entre obesidade e infertilidade. A obesidade diminui as taxas de gravidez bem-sucedida em ciclos de concepção natural e em mulheres que estão se submetendo a terapias reprodutivas. ⠀
? Tem alguma dúvida? Deixe uma mensagem e tire sua dúvida.⠀⠀
⠀⠀
? Procure sempre o médico(a) de sua confiança.⠀⠀

➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖⠀⠀
PARA RECEBER DICAS E NOVIDADES BASTA MANDAR UM “EU QUERO” NO ZAP (11) 93318-3661⠀

➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖⠀

?‍⚕ Dra. Juliana Amato CRM-SP 106.072⠀

➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖⠀

? (11) 5053-2222 ou 93318-3661⠀

➖➖➖➖➖➖➖➖➖➖⠀

#sãopaulo #saopaulospbr #sãopaulospbrasil #saopaulosp #saopaulocity⠀

#ginecologia #ginecologista #saudefeminina #consultamedica #fertilidadefeminina #gineco #obesidade
nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!