Pular para o conteúdo
Ovário Policístico

Ovário policístico

Ovário policístico

Ovário policístico, síndrome do ovário policístico ou anovulação crônica hiperandrogênica é um problema muito comum.

Porém, algumas mulheres ainda têm dúvidas sobre o que é, os sintomas e como saber se tem ovário policístico.

Nesse post serão respondidas as principais dúvidas sobre a síndrome do ovário policístico.

O que é ovário policístico?

A síndrome do ovário policístico é um distúrbio hormonal.

Esse distúrbio causa um aumento no tamanho dos ovários, além disso, aparecem pequenos cistos na parte externa dos ovários.

As causas podem ter relação com uma combinação de fatores genéticos e ambientais, mas, as causas ainda não são bem compreendidas.

Além disso, é uma condição crônica, que pode durar anos ou a vida inteira.

Sintomas

Esses são alguns dos principais sintomas do ovário policístico.

  • Ausência de menstruação
  • Menstruação anormal
  • Menstruação curta e leve ou muito intensa
  • Erupção na pele semelhante à verruga, pele com espessura diferente ou oleosa
  • Excesso de peso, ganho de peso ou obesidade
  • Acnes
  • Excesso de pelos
  • Barriga grande
  • Características masculinas inadequadas
  • Depressão
  • Queda de cabelo
  • Infertilidade

Os sintomas não provam que você tem ovário policístico, somente com uma avaliação médica o diagnóstico pode ser concluído.

YouTube video

 

Diagnóstico do ovário policístico

A única forma de saber se tem ovário policístico é através de avaliação médica.

Geralmente o médico solicita ultrassonografia ginecológica e exames laboratoriais, que é a forma de diagnosticar a síndrome do ovário policístico.

No caso de mulheres que já iniciaram a vida sexual, o exame de ultrassom solicitado é transvaginal.

LEIA TAMBÉM:  Teste de gravidez de farmácia: é confiável?
LEIA TAMBÉM:  Dor pélvica em mulheres

É relevante salientar que ao apresentar ovários policísticos, mas, sem distúrbios de ovulação ou hiperandrogenismo, então o diagnóstico pode não ser considerado como síndrome do ovário policístico.

Tratamento

O ovário policístico é uma condição que não tem cura, mas, se tratado a mulher pode ter uma qualidade de vida melhor.

Os tratamentos mais indicados são:

● Anticoncepcionais orais

Nesse caso, deve ser conversado com a paciente se ela deseja engravidar ou não.

Pacientes que não estão tentando engravidar, se beneficiam ainda prevenindo uma gravidez indesejada.

O tratamento com pílulas ajuda a reduzir a quantidade de pelos, as acnes, a irregularidade menstrual e as cólicas.

● Cirurgia

Apesar de ser uma das formas de tratamento, a cirurgia é pouco utilizada, já que a eficácia do tratamento com anticoncepcional é muito boa.

● Dieta e atividade física

Dieta e atividade física podem proporcionar benefícios para quem sofre com o distúrbio.

O médico pode orientar melhor sobre qual dieta e atividade física é melhor.

Existem estudos para a dieta antiinflamatória e dieta cetogênica.

● Antidiabetogênicos orais

Esse tratamento é necessário quando o ovário policístico está associado à resistência insulínica.

Indução da ovulação

Se for diagnosticada dificuldade em engravidar devido ao ovário policístico, o médico pode recomendar um tratamento para induzir a ovulação.

Além disso, geralmente é feita uma investigação de infertilidade antes de iniciar o tratamento.

A verdade é que o tratamento pode incluir mudanças no estilo de vida e diversos medicamentos, vai depender dos sintomas e condições de cada paciente.

LEIA TAMBÉM:  É possível engravidar mesmo quando o homem ejacula fora?
LEIA TAMBÉM:  Opções de tratamento para pacientes com síndrome dos ovários policísticos

Além disso, pode ser feito uso de dermocosméticos contra a acne e terapias para o controle da ansiedade e do estresse.

YouTube video

 

O que acontece se não tratar

A síndrome de ovário policístico pode ter sintomas mais leves como acnes até mais graves como depressão, infertilidade, obesidade e outros.

Se não for tratada, pode afetar a vida a curto e longo prazo.

Além disso, pode levar a uma série de condições mais sérias de saúde.

Alguns dos riscos de não tratar são:

  • Diabetes tipo 2
  • Apneia do sono, caracterizada pela respiração irregular no sono
  • Infertilidade
  • Doenças cardiovasculares
  • Gordura não alcoólica no fígado
  • Depressão
  • Câncer no útero

O mais valoroso é se cuidar

Antigamente, o tratamento de ovário policístico era feito com anticoncepcionais.

Era o primeiro tratamento a ser recomendado, mas, hoje, já se pode observar que se cuidar é o mais crucial.

Segundo a doutora Juliana Lelis S. Amato, manter uma alimentação saudável e balanceada, a prática de atividades físicas também é essencial.

A alimentação saudável e o exercício físico é fundamental para prevenir doenças e ajudar a tratar ou equilibrar doenças que você já tenha, por exemplo, o ovário policístico.

Mesmo quando feito tratamento com medicamentos, a alimentação saudável e exercício físico deve fazer parte do tratamento.

Quando devo procurar um médico

Se perceber que tem uma menstruação irregular e cólicas muito fortes já é recomendado procurar uma ginecologista.

Somente uma especialista vai poder te dar um diagnóstico e te passar o melhor tratamento de acordo com sua condição, seja ela ovário policístico ou não.

Dra. Juliana Amato

YouTube video

 

O que você achou?

LEIA TAMBÉM:  Laqueadura

Your page rank:

nv-author-image

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!