Pular para o conteúdo

Gordura no Fígado: Um Problema de Saúde Crescente

A esteatose hepática, popularmente conhecida como gordura no fígado, é uma condição cada vez mais prevalente em nossa sociedade. Este problema de saúde, que afeta de 20% a 30% da população, não se restringe apenas aos adultos; crianças também estão sendo cada vez mais diagnosticadas com esta condição. Neste artigo, vamos explorar o que é o fígado, suas funções vitais, e como a gordura se acumula neste órgão tão importante.

Sumário

Este vídeo da Dra. Juliana Amato, ginecologista, foca na condição médica conhecida como esteatose hepática, que é o acúmulo de gordura no fígado. Ela explica a importância do fígado, suas funções vitais, como armazenar vitaminas e regular o açúcar no sangue, e as consequências do acúmulo de gordura nesse órgão. A Dra. Amato aborda os estilos de vida e dietas que contribuem para essa condição, os sintomas em diferentes estágios, e como detectá-la através de exames médicos. Ela também oferece conselhos sobre como reduzir a gordura no fígado, enfatizando a importância de uma dieta saudável, atividade física, e evitar o consumo de álcool. Além disso, sugere alimentos específicos que podem ajudar na limpeza do fígado.

Gordura no fígado. Por acaso você já fez algum exame e veio no laudo esteatose hepática? A deposição de gordura no fígado é muito mais comum do que a gente imagina. Ainda mais nos dias atuais. Você sabe o que é o fígado, que é órgão? E esse aonde ele está localizado? O que ele faz? Qual é a função dele? O fígado é um órgão muito importante e nesse vídeo a gente vai conversar sobre as suas funções e sobre como você vai fazer para diminuir essa gordura que se depositou lá naquele fígado que deu no seu exame, que está cheio de gordura acumulado. Fique aqui comigo nesse vídeo até o final que a gente vai conversar sobre dicas importantíssimas para você manter a sua saúde desse fígado aqui. Meu nome é Juliana Amato e eu sou ginecologista. Você sabia que no nosso país a prevalência de esteatose hepática, que é a deposição de gordura no fígado, ela chega A20A 30% da população? É muita gente. E não é só de adulto não. Criança hoje em dia já tem apresentado essa gordura no fígado e você já tem uma ideia por que a gente está acumulando mais gordura nesse nosso órgão tão importante? Muito tem a ver com o nosso estilo de vida, com a nossa alimentação. Ação, com o consumo de bebidas alcoólicas em criança está muito associado com a alimentação, que hoje em dia é muito rica em gordura saturada e muito rica em porcaria e muita química no nosso alimento. E quando isso ocorre, o fígado tem dificuldade de metabolizar essas gorduras e essa gordura vai acumulando ali nessa região. Você sabia que o nosso fígado ele armazena vitaminas? Isso mesmo, ele é capaz de armazenar vitamina A, vitamina D, a vitamina K, a vitamina E. Além disso, ele também armazena o ferro e o cobre e quando necessário, ele libera essas vitaminas no nosso sangue. Você lembra que a gente conversou que ele armazena energia na forma de glicogênio, que ele quebra a glicose e o carboidrato é armazenada? Você lembra que a gente conversou que o fígado, ele é capaz de quebrar os carboidratos e ele armazena esse açúcar na forma de energia, essa energia na forma de glicogênio. Ele também transforma a glicose e armazena ela na forma de glicogênio. Então, uma das funções do fígado é regular a concentração de glicose no nosso sangue. Ele também é capaz de regular os níveis de colesterol no nosso sangue. Nossa, que importante que é o fígado! Imagina se a gente tem a gordura acumulada nesse fígado e ele não está funcionando adequadamente. Nosso colesterol vai lá em cima. Ele também é importante para a produção de fatores de coagulação e albumina. Ele produz o líquido biliar, a bile, que é responsável pela emulsão e ficação da gordura, ou seja, pela quebra da gordura no nosso organismo. E você sabia que o nosso fígado, ele é respon sável pela produção da ureia, que é aquela substância que a gente elimina no nosso xixi. Ele pega a proteína, faz a quebra dessa proteína e a amônia, que é um produto tóxico para o nosso organismo, ele converte uréia e vai embora lá pelo nosso xixi, quando a gente vai no banheiro. Então deu pra entender que o nosso fígado é um órgão extremamente vital e a gente tem três graus de esteatose hepática. A gente tem o grau um, que é quando a gente tem uma deposição leve de gordura nesse fígado. A gente tem o grau dois, que é quando tem essa deposição num nível mais moderado, é o grau três, quando essa gordura no fígado já está numa quantidade exagerada. Mas e agora, doutora? Cê me contou tudo isso? Entendi que meu fígado é super importante como vou saber que eu tenho essa gordura no meu fígado? O que eu vou falar para o médico? Que sintoma que eu vou sentir quando eu tiver com isso no meu corpo? Que exame eu devo fazer? Por isso que é muito importante você passar no seu médico com rotina pelo -1 vez ao ano, para fazer todos os exames, para ser bem examinada. E o importante é que você converse com o médico e tem uma relação tão boa que você consiga falar sobre tudo com ele. E você sabia que quando a esteatose hepática ela está no grau um, ela é assintomática? Ou seja, ela não dá sintomas nenhum? Então a maioria da população que descobre uma esteatose hepática grau um, ou seja, leve, é porque ela passou no médico e esse médico examinou, pediu um ultrassom e veio ali como um achado do ultrassom de abdômen total. Essa deposição de gordura no fígado. Mas é só esse exame que detecta essa presença dessa gordura. Não é? A gente tem os marcadores do fígado também, da função hepática o ou TGP, o gama GT, que podem ser pedidos pelo seu médico e que dão uma ideia. Sim, esse fígado ele está comprometido. E quando eu começo a sentir sintomas, então, já que você diz que acho sintomático algumas pessoas, elas podem começar a sentir um pouco de sintoma. Já no grau dois, por exemplo. E quais são esses sintomas? Um desconforto abdominal mais nessa região aqui no quadrante superior do abdômen. Nessa região aqui à direita também, ela pode ter mais gases, às vezes fica mais constipado, ou seja, tem dificuldade de ir ao banheiro, as fezes mais endurecidas. Algumas pessoas também têm uma sensação de plenitude. Sabe quando você come, você se sente cheio e parece que você não está digerindo muito bem aquele alimento. Essa é a sensação de plenitude. E também pode estar associado a sintomas de fraqueza, de cansaço. Sabe aquele cansaço que você tem todo dia? Por mais que você durma, por mais que você descanse, você sente que seu corpo, ele está muito cansado. Pode ser um sintoma de cetose hepática e, nos casos mais graves, nos casos mais graves, os sintomas são mais exacerbados, a coloração da pele fica mais amarelada. Esse branquinho do olho ele fica amarelado, dá uma sensação de inchaço, de um desconforto abdominal maior. Às vezes a barriga ela cresce e não é uma barriga de gordura. Você vê que é uma barriga mais lisa, a mais densa, que é pelo acúmulo de líquido ali na região abdominal. E esse acúmulo de líquido a gente chama de ascite e pode aparecer também hematomas na pele, aqueles roxos que não estão associados nem batida. E por que ele acontece? Ele acontece porque se a gente lembrar no início da nossa conversa, o fígado, ele está relacionado com a produção dos fatores de coagulação. Então, se ele não está funcionando normalmente, a gente tem uma dificuldade nessa produção dos fatores de coagulação. O sangue não coagula como deveria e qualquer coisinha sangra e fica esses hematomas no corpo. Outro sintoma muito importante é a fraqueza que a gente já viu anteriormente, mas também a dificuldade de concentração quando isso já está instalado e que é grave. E por que isso ocorre? Vamos lá. Se a gente pensar bem, a gente sabe que a nossa alimentação não é boa. Muitas pessoas comem muitos industrializados, não come verdura, não come fruta, não se alimenta de fibras e com isso o nosso organismo, ele começa a não funcionar normalmente. Então está muito relacionado aqui uma dieta pobre em nutrientes, pobre em diversificação de alimentos, ou seja, uma dieta que só tem, por exemplo, carboidrato ou gordura, é muito industrializado, com gordura saturada, vai prejudicar o funcionamento do nosso fígado. A atividade física é importantíssima porque a falta de atividade física vai fazer com que nosso metabolismo diminua o nosso corpo. Ele não vai funcionar como deveria. E a gente tem que ter essa ativação do nosso corpo continuamente. Se o consumo de álcool em excesso também é muito prejudicial, porque o álcool em si, ele destrói os tóxicos? E o que são os tóxicos? São as células do nosso fígado. Então você imagina se você é uma pessoa que toma uma taça de vinho por dia, ou toma cerveja todos os dias, não pára de beber. Você vai estar destruindo os seus tóxicos. Você vai estar destruindo as células que fazem toda essas funções dentro do nosso corpo. Outras causas seriam a diabetes, a obesidade, os níveis elevados de triglicérides. E alguns medicamentos também, como os corticóides. Então tome muito cuidado quando você tem uma gripezinha, um resfriado zinho que você vai lá na farmácia e compra um corticoide para melhorar os sintomas. Você pode estar destruindo o seu fígado. E você pode estar se perguntando agora, doutora, e agora? Tem como reverter? Tem como eu tirar essa gordura do meu fígado? Sim, tem como tirar a gordura do seu fígado. E tem como você prevenir o aparecimento dessa gordura aqui no seu fígado? Você sabe como? Corte de uma vez por todas o álcool, o álcool. Ele danifica os epa tóxicos que são as células do nosso fígado. Então nada de beber, nada de pensar assim Ah, eu não vou beber a semana inteira, mas naquele final de semana eu vou num churrasco e vou beber muita cerveja, ou vou beber muita caipirinha, ou vamos jantar e vou beber muito vinho. Não. Se você já está com essa gordura no fígado instalada, você tem que parar de beber. Você tem que cuidar também da sua alimentação. A alimentação é importantíssima para o funcionamento desse nosso órgão tão vital. Então, coma mais frutas, verduras. Estudos mostram que a dieta mediterrânea ela é ótima para ajudar a reverter essa questão do nosso fígado. E o que é uma dieta mediterrânea? A dieta mediterrânea é aquela que tem muita fibra, que tem muito vegetal, que é pobre em carboidratos e que tem proteínas muito boas, como o peixe, A casa, a carne ou o frango. O uso na alimentação de azeite, de oliva, de nozes, de grãos integrais é outra medida muito importante é perder o peso. Então, se você está acima do seu peso, é melhor já começar uma dieta, começar um exercício físico. Se você tiver dificuldade de emagrecer, converse com o seu médico para descobrir a causa dessa obesidade. Às vezes é uma doença inflamatória. E aí que está por trás dessa dificuldade de perder peso e pratique atividade física. A atividade física é essencial. Pratique atividade física quatro vezes na semana. Escolha um esporte que te interesse, que faça você ficar ativo, que queime calorias, que trabalha o seu sistema cardiovascular. Você sabia que a atividade física ela diminui a resistência à insulina? Ela diminui os níveis de triglicérides e colesterol? Então tá na hora de se mexer. E agora? Quem ficou aqui até o final desse vídeo vai receber dicas muito interessante de alimentos que você vai colocar agora na sua alimentação a partir de hoje e que vão fazer parte da sua rotina diária para você limpar essa gordura no seu fígado. A cúrcuma. Ela é um tempero muito utilizado lá na Índia, lá em Bangladesh, e é um tempero que tem uma ação anti inflamação. É antioxidante. Estudos mostram que a cúrcuma. Ela é capaz de diminuir os níveis de JGP, que são os marcadores de função do nosso fígado. As frutas também são capazes de ajudar a gente limpar toda essa gordura acumulada. Sabe quais? O abacate, o abacate. Ele é rico em gorduras boas. O açaí. Ele é rico em polifenóis, que ajudam a desintoxicar também o nosso corpo. As fibras. Coloque aí na sua alimentação diária o uso de chia, linhaça, aveia, castanhas e folhas que são muito ricas em fibras. O azeite de oliva. Pare de usar fritura em casa. Óleo em casa usa o azeite duas a quatro colheres por dia é o indicado nas pesquisas científicas para você manter a sua saúde do fígado. É uma curiosidade. É que você sabia que o café ele ajuda a melhorar essa condição? Sim, ele diminui a progressão dessa doença hepática porque ele é muito rico em polifenóis. Então se você gosta de um cafezinho, que boa notícia, hein? E você aí, me conta você já usa esses alimentos aqui na sua rotina diária? Deixa aqui o seu comentário e espero que esse vídeo tenha esclarecido muito sobre essa questão da gordura no fígado. Compartilha com as amigas, com os parentes, com as pessoas que você acha que vão se beneficiar desse conteúdo. E se você gostou aqui do nosso vídeo, inscreva se no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de notificação. Até a próxima!

LEIA TAMBÉM:  Alimentação e a sua libido

 

O Fígado: Funções e Importância

O fígado, localizado no quadrante superior direito do abdômen, desempenha um papel crucial em várias funções do corpo. Ele é responsável pela regulação dos níveis de glicose e colesterol no sangue, armazenamento de vitaminas (A, D, K, E) e minerais (ferro e cobre), produção de fatores de coagulação e albumina, e produção de bile, essencial na digestão de gorduras. Além disso, o fígado converte amônia em ureia, eliminada na urina, e armazena energia na forma de glicogênio.

A Esteatose Hepática: Causas e Sintomas

Esteatose hepática é caracterizada pelo acúmulo de gordura nas células hepáticas. Estilos de vida sedentários e dietas ricas em gorduras saturadas e alimentos processados são os principais contribuintes para este acúmulo. Além disso, o consumo excessivo de álcool, diabetes, obesidade, e altos níveis de triglicerídeos também são fatores de risco.

Os sintomas podem variar dependendo do estágio da doença:

  • Grau 1: Geralmente assintomático, descoberto em exames de rotina.
  • Grau 2: Desconforto abdominal, gases, constipação, sensação de plenitude, e fadiga.
  • Grau 3: Sintomas mais graves, como icterícia (amarelamento da pele e olhos), inchaço abdominal (ascite), hematomas fáceis, fraqueza e dificuldade de concentração.

Diagnóstico e Prevenção

O diagnóstico da esteatose hepática geralmente ocorre por meio de ultrassonografia abdominal e exames de sangue para verificar a função hepática. É crucial realizar check-ups médicos regulares, pois muitos casos são assintomáticos nas fases iniciais.

LEIA TAMBÉM:  A Busca pela Longevidade: Práticas para uma Vida Saudável e Feliz

Para prevenir e tratar a esteatose hepática, algumas mudanças de estilo de vida são fundamentais:

  • Dieta Saudável: Adotar uma dieta mediterrânea, rica em fibras, vegetais, proteínas de boa qualidade (como peixe), azeite de oliva, nozes e grãos integrais.
  • Exercícios Físicos: Praticar atividade física regularmente para melhorar o metabolismo e a saúde cardiovascular.
  • Redução do Consumo de Álcool: Eliminar ou reduzir significativamente a ingestão de álcool.
  • Controle de Peso: Perder peso se estiver acima do ideal, em consulta com um profissional de saúde.

Alimentos Benéficos para a Saúde do Fígado

  • Cúrcuma: Conhecida por suas propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes.
  • Frutas como Abacate e Açaí: Ricos em gorduras saudáveis e polifenóis.
  • Fibras: Incluir chia, linhaça, aveia e castanhas na dieta.
  • Azeite de Oliva: Substituir óleos de fritura por azeite de oliva.
  • Café: Estudos mostram que o café pode ajudar a reduzir a progressão da doença hepática.

Conclusão

A esteatose hepática é uma condição séria que requer atenção e mudanças no estilo de vida para prevenir e tratar. Com a adoção de uma dieta saudável, exercícios regulares, e redução do consumo de álcool, é possível manter a saúde do fígado e prevenir complicações futuras. Lembre-se, a saúde do fígado é vital para o bem-estar geral, e cuidar dele deve ser

LEIA TAMBÉM:  Óleo de Girassol e Fertilidade

O que você achou?

0 / 5 Resultado 0 Votos 0

Your page rank:

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!