Pular para o conteúdo

Fertilidade e Alimentação

No vídeo, a ginecologista e obstetra Juliana Amato fala sobre a relação entre alimentação e fertilidade. Ela afirma que hábitos alimentares saudáveis contribuem para a fertilidade, enquanto que hábitos prejudiciais, como o consumo excessivo de proteína vegetal, álcool e cafeína, podem diminuir a fertilidade. A obesidade também é um fator que afeta a fertilidade, tanto em homens quanto em mulheres, enquanto que o baixo peso pode levar à ausência de ovulação. A especialista destaca a importância do ácido fólico para prevenir defeitos do tubo neural do bebê e aconselha a ingestão de frutas e vegetais orgânicos, que são livres de pesticidas. Não existe uma dieta específica para a fertilidade, mas sim hábitos saudáveis que podem melhorar a saúde geral e, consequentemente, a fertilidade.

Olá, meu nome é Juliana Amato. Eu sou ginecologista e obstetra do Instituto Amato. E hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre dieta da fertilidade. Muitas pacientes que vêm para a tentativa de engravidar me perguntam se existe alguma dieta específica que ajude na fertilidade. Então vamos conversar um pouquinho sobre isso. Na verdade, existem hábitos alimentares que pioram a fertilidade e hábitos alimentares que mantem o seu organismo saudável. O que sabemos sobre alimentação e fertilidade? Sabemos que alimentos ricos em proteína vegetal eles diminuem a fertilidade. Existem alguns trabalhos, poucos trabalhos sobre isso, mas eles mostram que pessoas que trocam a proteina animal, por proteína vegetal e consomem em excesso, podem ter uma diminuição dessa fertilidade. Por isso, pacientes veganos… Vegetarianos… Não é que vai diminuir a sua fertilidade num nível que não vai ter filhos… Mas é bom prestar um pouquinho mais atenção nessa parte da alimentação. Tem estudos que mostram que as proteínas animais. Têm até estudos com uma dieta mais cetogênica, rica em proteína animal, em gorduras, que disse que a fertilidade se mantém num estado normal ou tem um pequeno aumento nessa fertilidade. Mas são poucos estudos. O que sabemos ao certo é: que o álcool altera a fertilidade. O café, em excesso, pode alterar a fertilidade. Um copinho de café por dia não tem problema nenhum. Realmente é o álcool em excesso. Sabemos que a obesidade, tanto no homem quanto na mulher, diminui a fertilidade porque na mulher, as mulheres que estão sobrepeso têm ciclos anovulatórios, em que elas não ovulam. E, com isso, existe uma diminuição da sua fertilidade. Os homens também, quando estão muito obesos, têm uma conversão dos hormônios um pouquinho alterada e quando ele vai por exemplo fazer o espermograma, a gente vê que tem uma quantidade alterada de espermatozoides. As vitaminas? Muito se fala sobre as vitaminas. Tomo a vitamina? E o polivitamínico? ele melhora a fertilidade? Não sabemos muito em relação aos polivitamionicos . O que sabemos é que o ácido fólico tem que ser tomado. Ele tem que estar numa quantidade ideal no organismo para evitar defeitos do tubo neural do bebê. A vitamina A quando tomada em excesso e quando está em excesso no organismo ela pode estar associada a defeitos congênitos no bebê e o polivitamínicos têm uma dosagem pequena de cada vitamina. E eles estão associados com uma melhora, pequena mas uma melhora na fertilidade. Os laticínios estão associados com uma diminuição da concentração de espermatozoides no esperma do homem. O ideal é que se comam frutas e vegetais orgânicos. Porque os orgânicos são livres de pesticidas. Há estudos que dizem que os pesticidas alteram a morfologia do espermatozoide do homem. Como nós falamos da obesidade. Nós vamos falar aqui do baixo peso. Mulheres muito magras têm uma alteração também da sua fertilidade. Porque quando elas estão com um percentual de gordura muito baixo elas param de menstruar e, com isso, elas param de ovular. O ômega 3 que existem os peixes também são associados com uma melhora na produção de espermatozoides e portanto uma melhora na fertilidade. O que a gente conclui aqui na nossa conversa é que não existe uma dieta específica para fertilidade, mas existem hábitos de vida saudáveis. A manutenção da sua saúde, ou seja, pela manutenção do peso… Pelos exercícios físicos e uma alimentação mais saudável que melhoram essa fertilidade. A gente tem que levar em conta é bioindividualidade de cada um. Se você gostou do nosso vídeo dê o seu like. Inscreva-se no nosso canal e ative o Sininho de notificação.

LEIA TAMBÉM:  Dieta para um tratamento de gravidez saudável

O que você achou?

0 / 5 Resultado 0 Votos 0

Your page rank:

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

Marcações:
>
error: Alert: Content selection is disabled!!