Clínica de Fertilidade e Reprodução Humana. Tel: (11) 5053-2222 Av. Brasil 2283. São Paulo. e-mail

O que é a sífilis? por que é chamada de doença francesa? pode levar à infertilidade? quais são as curas e como é causada?

Sifilis

A SÍFILIS é uma infecção bacteriana que muitas vezes é transmitida por contato sexual ou relação sexual com alguém que está infectado.

Os casos na Inglaterra subiram 13% entre 2013 e 2017 em meio a preocupações de que a Inglaterra estivesse em uma “crise de saúde sexual”. No Brasil dados do Boletim Epidemiológico da Sífilis 2018 mostram que a taxa de detecção da sífilis adquirida aumentou de 44,1 para cada grupo de 100 mil habitantes, em 2016, para 58,1/100 mil em 2017. No mesmo período, a sífilis em gestantes cresceu de 10,8 casos por mil nascidos vivos para 17,2. Já a sífilis congênita, passou de 21.183 casos em 2016 para 24.666 em 2017. O número de óbitos por sífilis congênita foi de 206 casos em 2017, enquanto em 2016, haviam sido 195.

O que é a sífilis?

A sífilis é uma infecção bacteriana curável que pode causar dores de cabeça, dores nas articulações, cansaço e febre.

É por vezes conhecida como a "doença francesa", já que os primeiros registros escritos de um surto ocorreram em Nápoles do século 15, após uma invasão francesa durante a guerra italiana de 1494-98.

Preocupante, a sífilis pode ter implicações para a saúde a longo prazo, incluindo problemas cerebrais e infertilidade.

As mulheres grávidas devem sempre ter cuidado com a infecção, pois ela pode ser transmitida a bebês não nascidos.

Os casos de sífilis podem passar despercebidos por anos, por isso é importante fazer check-ups regulares para garantir que você não a tenha contraído.

Como a sífilis se espalha?

A infecção bacteriana é tipicamente capturada após o contato próximo com uma ferida infectada.

Isso pode ocorrer através do sexo oral, vaginal ou anal, bem como compartilhar brinquedos sexuais com alguém que está infectado.

Assim como as pessoas sexualmente ativas estão em risco, os usuários de drogas podem pegar a infecção compartilhando agulhas.

Em casos extremamente raros, também pode ser infectado após uma transfusão de sangue - apesar das amostras serem sempre testadas para a sífilis.

Ao contrário da crença popular, você não pode pegar a infecção compartilhando o mesmo banheiro, roupa ou talheres com uma pessoa infectada.

Preocupante, os especialistas acreditam que a ascensão de aplicativos de namoro pode ser a razão pela qual a IST é a que mais cresce.

Outro estudo acredita que as doenças associadas à Era Vitoriana estão subindo rapidamente por causa da queda dos padrões de vida, da desigualdade financeira e da má alimentação.

Quais são os sintomas da sífilis?

A sífilis primária pode ser perceptível quando o doente experimenta dor e uma úlcera pequena e indolor chamada cancro.

A ferida normalmente estará no pênis, na vagina ou ao redor do ânus, embora às vezes possam aparecer na boca ou nos lábios, dedos ou nádegas.

A maioria das pessoas só tem uma ferida, mas algumas pessoas têm várias e você também pode ter glândulas inchadas no pescoço, virilha ou axilas.

Algumas semanas após esses sintomas iniciais, aqueles com sífilis podem reparar em...

  • Uma erupção cutânea vermelha que pode aparecer em qualquer parte do corpo, mas geralmente se desenvolve nas palmas das mãos ou nas solas dos pés
  • Pequenos crescimentos cutâneos (semelhantes às verrugas genitais) - em mulheres, estas aparecem frequentemente na vulva e tanto para homens como para mulheres, podem aparecer ao redor do ânus
  • Manchas brancas na boca
  • Sintomas semelhantes aos da gripe, como cansaço, dores de cabeça, dores nas articulações e alta temperatura (febre)
  • Glândulas inchadas
  • Ocasionalmente, perda de cabelo irregular

Se não tratada, a infecção pode ter várias implicações para a saúde, levando à sífilis terciária.

Essas incluem…

  • Meningite
  • Apoplexia
  • Sintomas de demência
  • Perda de coordenação
  • Dormência
  • Problemas de visão ou cegueira
  • Problemas cardíacos
  • Aortite e Aneurisma

As mulheres grávidas que não sabem que contraíram a Sifilis podem ter consequências devastadoras para o seu feto.

Pode levar a aborto espontâneo, natimorto ou uma infecção grave no recém-nascido (sífilis congênita).

O que fazer se você acha que tem sífilis

As pessoas sexualmente ativas são incentivadas a fazer testes regulares de Sifilis.

Se você acredita ter contraído a infecção, é aconselhável visitar o seu médico o mais rápido possível.

Quanto mais rápida a sífilis for tratada, mais fácil será para o seu corpo combater o contágio.

Como a sífilis é tratada?

Você pode se proteger contra contrair a infecção usando preservativos durante a relação sexual.

Após o diagnóstico de sífilis, os pacientes recebem uma injeção de antibióticos nas nádegas ou um ciclo de comprimidos antibióticos.

A mulher grávida que tem sífilis também pode ser tratada com segurança com antibióticos.

Se a infecção não foi tratada por um longo período de tempo, pode demorar um pouco para o tratamento funcionar.

É aconselhável evitar contato sexual ou atividade por duas semanas após o término do tratamento.

Os casos de sífilis estão se tornando mais comuns?

Em Agosto de 2018, um aumento nos casos de sífilis foi atribuído à ascensão dos aplicativos de namoro - e a onda de calor do verão tornou as pessoas mais sexualmente ativas.

Um conselho de saúde no País de Gales relatou ter visto cinco vezes mais diagnósticos de sífilis nos últimos quatro meses em comparação com o mesmo período de 2017.

Um porta-voz para O Conselho de Saúde da Universidade Abertawe Bro Morgannwg disse: "Houve um aumento na sífilis em geral em todo o País de Gales.”

"Mas temos visto um aumento significativo em toda a área do conselho de saúde, particularmente nas últimas seis semanas.”

"É possível que a onda de calor no início do verão tenha levado as pessoas a se tornarem sexualmente mais ativas.”

"Também acreditamos que as mídias sociais e o crescimento de sites e aplicativos de namoro são outro fator que contribuem para isso".

O que você achou deste conteúdo?: 
0
Sem avaliações

Dra. Juliana Amato: Especialista em Reprodução Humana

Dra. Juliana Amato
Ginecologista, Obstetra. Chefe da Reprodução Humana do Instituto Amato
Tratamento de Infertilidade em Laboratório de Reprodução Humana(11) 5053-2222
Tudo sobre tratamento da infertilidade. Ajuda para Engravidar.
www.fertilidade.org
Clínica de Reprodução Humana: Ajuda para engravidarAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin