Pular para o conteúdo

Colocação de DIU

O DIU é uma das opções de método anticoncepcional disponíveis. No entanto, muitas pessoas têm dúvidas sobre sua colocação. Se você tem medo ou desconforto em relação ao DIU, continue lendo para saber mais sobre esse dispositivo.

 

O DIU é um pequeno aparelho em formato de T que é inserido no útero de maneira simples, sem precisar de cirurgia. Ele tem se tornado cada vez mais procurado por mulheres que buscam uma alternativa segura às pílulas anticoncepcionais. Existem dois tipos de DIU, o hormonal e o de cobre, e ambos são colocados de forma semelhante. A diferença entre eles está na forma como afetam o corpo. O DIU de cobre altera o endométrio e o muco cervical, impedindo a chegada dos espermatozoides ao óvulo. Já o hormonal controla o desenvolvimento do endométrio e aumenta a espessura do muco cervical, dificultando a fertilização. Ambos são eficazes e podem durar vários anos.

Sumário

Como é o passo a passo para colocação do DIU?

O DIU, ou dispositivo intrauterino, é um método anticoncepcional seguro e eficaz que tem se tornado cada vez mais popular entre as mulheres. A colocação do DIU é feita no consultório médico e geralmente dura cerca de cinco minutos. Neste artigo, vamos explicar passo a passo como funciona a colocação do DIU.

Antes de começar a colocação, o médico pode prescrever um medicamento para ajudar a abrir e/ou anestesiar o colo do útero. Durante o procedimento, a enfermeira ou o médico usará um espéculo para abrir a vagina e, em seguida, usará um aplicador especial para colocar o DIU pela abertura do colo do útero e dentro da cavidade uterina.

O DIU pode ser colocado em qualquer fase do ciclo menstrual, ou logo após o parto ou um aborto. Depois da colocação, um fio de cerca de 2,5 a 5 centímetros de comprimento sairá do colo do útero e entrará no topo da vagina, facilitando a remoção posteriormente. A remoção é feita por um enfermeiro ou médico.

É importante lembrar que, após a colocação do DIU, é necessário fazer uma consulta de acompanhamento com o médico para certificar-se de que ele está no lugar correto e para discutir qualquer possível desconforto ou efeito colateral. Além disso, é recomendável fazer exames ginecológicos regulares para monitorar a posição do dispositivo e sua eficácia.

Em resumo, a colocação do DIU é um procedimento rápido e simples que pode ser realizado no consultório médico. É uma opção segura e eficaz de anticoncepção e pode ser colocada em qualquer fase do ciclo menstrual. Consultas regulares com o médico são importantes para garantir a eficácia e segurança do dispositivo.

O vídeo trata sobre o uso de dispositivos intra-uterinos (DIU) por mulheres que nunca tiveram filhos. A ginecologista Juliana Amato explica que existem três tipos de DIU no mercado: o de cobre, o de prata e o hormonal, que contém o hormônio levonorgestrel. Ela esclarece que o DIU de cobre e prata funcionam matando os espermatozoides, impedindo a fertilização, enquanto o DIU hormonal impede a ovulação. A doutora indica o uso do DIU hormonal para mulheres com endometriose, miomas ou que não desejam menstruar, e o DIU de cobre para mulheres que não querem usar anticoncepcionais hormonais ou têm contraindicações. Ela afirma que o uso de DIU não afeta a fertilidade e não aumenta o risco de doenças inflamatórias pélvicas. A colocação do DIU é feita no consultório, geralmente com anestesia, e dura entre 20 e 30 minutos.

Olá meu nome é Juliana Amato, eu sou ginecologista e obstetra e hoje nós vamos conversar sobre o uso de DIU por mulheres que nunca tiveram filhos. É muito comum no consultório receber pacientes com dúvidas sobre o uso do dispositivo intra uterino. Então vamos falar um pouquinho sobre ele. No mercado, a gente tem basicamente três tipos de dispositivo intra uterino: o de cobre, o de prata, e o dispositivo intra uterino hormonal que tem um hormônio chamado levonorgestrel. Qual a Diferença desses dois fios de cobre? Eles secretam o cobre, o diu de prata secreta prata e essas substâncias elas são espermaticidas ou seja elas matam os espermatozoides. Com isso os espermatozoides não acendem para o útero, não encontram como óvulo e não há fecundação. Já o dispositivo intra uterino de levonorgestrel, que é o hormonal , ele secreta hormônio e com isso não há ovulação. Qual que é indicado para cada tipo de paciente? Normalmente usa o DIU medicado , ou seja, o DIU hormonal para mulheres que têm endometriose, para mulheres que tem mioma, ou mulheres que não desejam menstruar. Já o cobre é para as mulheres que não querem tomar nenhum tipo de anticoncepcional hormonal ou tem alguma contraindicação para o uso do hormônio. Então a gente utiliza esses. E qual é o receio das pacientes que não têm filhos ainda de usar um dispositivo intra uterino? Elas têm medo de ter mais doenças inflamatórias pélvicas e de não engravidar futuramente. Mas, vários estudos já foram realizados e hoje em dia a gente sabe que, não altera a fertilidade o uso de DIU, e não aumenta o número de doença inflamatória pélvica como o de uma paciente que já tenha tido filhos. Então é indicado o uso para pacientes que não engravidaram ainda. Como é feita a colocação desse DIU? É feito no consultório. Pode ser que com anestesia ou sem anestesia mas o mais indicado para pacientes que nunca tiveram filhos é com anestesia. Porque?. Porque elas não têm ainda o colo do útero um pouco alargado devido à gestação. É um pouquinho mais dolorido. Portanto a gente faz uma sedação e o procedimento demora de 20 a 30 minutos. Se você gostou do nosso vídeo se inscreva no canal dê o seu like. Comente aqui abaixo e ative o sininho de notificação.

O que você sente quando coloca um DIU?

Colocar um dispositivo intra-uterino (DIU) é uma opção de anticoncepção bastante segura e eficaz, mas pode ser desconfortável para algumas mulheres. A sensação de colocar um DIU varia de pessoa para pessoa, mas geralmente é descrita como cólica ou dor.

Antes de colocar o DIU, é recomendado que a mulher faça uso de remédios analgésicos para prevenir as cólicas. Isso pode ser feito com a orientação médica, já que alguns medicamentos podem interagir com outros medicamentos que a paciente esteja tomando. Além disso, o médico pode utilizar um medicamento anestésico local ao redor do colo do útero para tornar o procedimento mais confortável.

A colocação do DIU é geralmente feita no consultório do médico, e dura entre 20 e 30 minutos. Durante o procedimento, o médico inserirá o DIU no útero através do colo do útero, que é dilatado para facilitar a inserção do dispositivo. Após a colocação, é comum sentir dor ou cólica por alguns minutos, mas essa sensação geralmente desaparece em poucas horas.

É importante lembrar que, após a colocação do DIU, é recomendado que a mulher evite atividades físicas intensas ou relações sexuais por pelo menos 24 horas. Isso é para garantir que o dispositivo esteja bem posicionado e evitar a expulsão do DIU.

Em resumo, colocar um DIU pode ser desconfortável para algumas mulheres, mas é uma opção segura e eficaz de anticoncepção. Com a orientação médica e o uso de analgésicos e anestésicos locais, o procedimento pode ser menos incômodo e a paciente pode retornar às suas atividades normais em poucas horas. É importante lembrar que, após a colocação do DIU, é recomendado evitar atividades físicas intensas ou relações sexuais por 24 horas.

O que esperar após um procedimento de inserção de DIU?

Colocar um dispositivo intra-uterino (DIU) é uma opção de anticoncepção segura e eficaz, mas é importante saber o que esperar após o procedimento de inserção.

É comum que algumas mulheres se sintam perfeitamente bem depois de colocar o DIU, enquanto outras precisam repousar por um tempo. Algum desconforto, cólicas e dores nas costas são normais após a colocação do dispositivo. Por isso, é recomendado que as mulheres fiquem em casa e descansem logo após o procedimento. Almofadas térmicas e analgésicos de venda livre também podem ajudar a aliviar as cólicas.

É importante notar que o tipo de DIU pode afetar a menstruação. O DIU hormonal eventualmente torna a menstruação mais leve, ocasionando até mesmo a sua interrupção. Por outro lado, o DIU de cobre pode tornar o fluxo menstrual mais intenso. Em algumas mulheres, esses efeitos desaparecem com o tempo. No entanto, se o DIU estiver causando dor, desconforto ou efeitos colaterais indesejáveis, é importante consultar com um ginecologista de confiança.

É importante lembrar que há uma chance muito pequena do DIU sair do lugar ou cair. Portanto, a mulher deve fazer check-ups periodicamente para garantir que o dispositivo esteja no lugar e que ela esteja protegida de uma possível gravidez.

Em resumo, colocar um DIU é uma opção segura e eficaz de anticoncepção, mas é importante saber o que esperar após o procedimento. Algum desconforto, cólicas e dores nas costas são normais após a colocação do dispositivo. O tipo de DIU pode afetar a menstruação, mas esses efeitos geralmente desaparecem com o tempo. Se o DIU estiver causando dor, desconforto ou efeitos colaterais indesejáveis, é importante consultar com um ginecologista de confiança. É importante fazer check-ups periodicamente para garantir que o dispositivo esteja no lugar e que a mulher esteja protegida de uma possível gravidez.

Quais são os tipos de DIU?

Os dispositivos intrauterinos (DIU) são um método anticoncepcional altamente eficaz e seguro, e existem vários tipos disponíveis no mercado. Um dos tipos mais comuns é o DIU de cobre, que é um dispositivo em formato de T e contém cobre na sua haste principal. Esse cobre cria um ambiente hostil para os espermatozoides, impedindo a fecundação. Outro tipo comum é o DIU de prata, que é semelhante ao DIU de cobre, mas contém prata no seu núcleo, o que ajuda a diminuir os efeitos colaterais, como aumento de sangramento menstrual e cólicas.

Outro tipo de DIU é o DIU hormonal, que contém um hormônio chamado levonorgestrel. Existem dois tipos de DIU hormonais no mercado, o Mirena e o. O Mirena tem uma dosagem mais alta desse hormônio, enquanto o tem uma dosagem menor. Esses dispositivos são indicados para tratar problemas como menorragia e endometriose, e também para mulheres que desejam interromper a menstruação. É importante lembrar que a escolha do tipo de DIU deve ser feita de acordo com as características individuais de cada mulher e em conjunto com um ginecologista de confiança.

No vídeo, é discutida a diferença entre os diferentes tipos de dispositivos intrauterinos (DIU), como o DIU de cobre, o DIU de prata e o DIU hormonal. É mencionado que o DIU é um método contraceptivo altamente eficaz e pode ser usado por qualquer mulher em idade reprodutiva. O DIU de cobre funciona criando um ambiente hostil para os espermatozoides, impedindo a fecundação. Já o DIU de prata tem uma pequena diferença, pois contém prata no seu núcleo, o que ajuda a diminuir os efeitos colaterais do cobre, como aumento de sangramento menstrual e cólicas.
O DIU hormonal, existem dois tipos no mercado, o Mirena e o, e a escolha entre eles é baseada nas características individuais da mulher. O Mirena é indicado para tratar a menorragia e controlar a endometriose, enquanto o é indicado para mulheres que desejam interromper a menstruação. Também é mencionado que os DIUs têm uma duração de três a cinco anos e são mais recomendados para mulheres que não têm filhos e não podem usar hormônios.

Olá, hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre a diferença entre o DIU, DIU cobre e o DIU hormonal. O DIU ele é um dispositivo que a gente coloca dentro do útero e que serve como um método contraceptivo. Antigamente a gente colocava em mulheres que já tinham tido filho e hoje em dia a gente sabe que a gente pode colocar em qualquer mulher que esteja em idade reprodutiva. O DIU é um método contraceptivo altamente eficaz com cerca de zero dois a zero cinco por cento de falha somente. E quando então colocar um DIU de cobre quando colocar um DIU hormonal? O DIU hormonal é o DIU de cobre ou o DIU de cobre mais prata. Como que ele funciona? O DIU de cobre ele é em formato de T e ele tem na sua haste principal o cobre que tem uma ação iônica. Como que ele funciona? Ele cria um ambiente hostil pro espermatozoide ou quando em contato com a vagina aquele muco que a gente tem na vagina, aquele muco cervical ele é hostil pra subida do espermatozoide no útero e assim ele não consegue encontrar com o óvulo não acontecendo a fecundação. Já o mais prata tem uma pequena diferença, ele tem na sua haste principal o cobre, porém ele tem no seu núcleo a prata e pra que que a prata funciona? Na ela funciona pra diminuir os efeitos que o cobre pode ter na mulher que são aumentos de sangramento vaginal na menstruação e cólica. Então a gente escolhe o tipo de DIU baseado em algumas características da mulher, então essa escolha tem que ser individualizada quando a gente se fala de DIU de cobre ou DIU de prata. Existem vários tamanhos de DIU não hormonal, a gente tem o DIU pra mulher que teve filho, que é um pouquinho maior e a gente tem DIUs pra mulheres com um volume uterino pequeno e que nunca tiveram DIUs e essa escolha também é individualizada de acordo pra cada mulher. A durabilidade desse DIU, ele varia de acordo com o tamanho dele, então ele pode variar de três a cinco anos e a gente indica mais em mulheres em idade reprodutiva que não tiveram filhos e mulheres que não podem por alguma razão fazer o uso de hormônio. Já o DIU hormonal a gente tem dois tipos no mercado, a gente tem o Mirena e a gente tem o o DIU hormonal ele tem um hormônio chamado que é uma progesterona. A diferença entre o Mirena e o é que o Mirena ele tem uma dosagem mais alta do levonorgestrel que é cinquenta e dois miligramas. Já o ele tem uma dosagem menor que é dezenove dessa progesterona. E quando indicar um, quando indicar o outro? O DIU mirena ele é indicado no tratamento da menorragia, ou seja, aquelas mulheres que tem um sangramento contínuo e abundante irregular em mulheres com endometriose que ajuda a controlar a doença e em mulheres que tem o desejo de não menstruar. Um adendo aqui é que o Mirena ele diminui os ciclos menstruais, tem mulher que entra em ou seja, deixa de menstruar e tem mulheres que podem apresentar ciclos menstruais quatro, cinco vezes ao ano. Já o ele veio pro mercado uns anos depois do Mirena e qual a indicação do ele é indicado somente como anticoncepção pra mulheres com úteros menores e que não tiveram filhos. E qual a atuação do DIU hormonal? O DIU hormonal ele libera essa então ele não vai deixar que ocorra a ovulação e também ele atua como modificador desse muco cervical, então ele mantém um ambiente hostil pro espermatozoide pra ele acender no útero e causar fecundação. E o DIU hormonal tanto eles tendem a diminuir o fluxo menstrual da mulher. Então é um pró em relação ao DIU de cobre pras mulheres que podem utilizar o hormônio. Converse com o seu ginecologista, existe específico pra você, mas essa escolha tem que ser bem individualizada. Se você gostou desse vídeo, inscreva-se aqui no nosso canal, dê o seu like e ative o sininho de notificação.

Qual o melhor DIU para mim?

Quando se trata de escolher o melhor dispositivo intrauterino (DIU) para cada mulher, é importante levar em conta as suas necessidades e desejos individuais. Existem quatro tipos de DIUs disponíveis no mercado: dois deles são hormonais e dois são sem hormônio. O DIU não hormonal não contém hormônio em sua composição, portanto a mulher vai ciclar todos os meses de acordo com as alterações hormonais do seu corpo, normalmente menstruando a cada 28 a 30 dias. Já o DIU de cobre e o DIU de prata são os tipos que não contêm hormônio. O DIU de cobre possui na sua superfície uma camada de cobre com uma ação espermicida, ou seja, ele é tóxico para os espermatozoides. Já o DIU de prata foi criado para diminuir os efeitos que o cobre pode ter na menstruação de algumas mulheres. Esses dois tipos são indicados para mulheres que têm contraindicação ao uso de hormônio, como hipertensão, trombofilia ou varizes. Por outro lado, os DIUs hormonais liberam hormônios e podem causar amenorréia, ou seja, a interrupção da menstruação. Eles são indicados para pacientes com endometriose, mioma ou que não desejam menstruar.

Existem quatro tipos de DIU (dispositivo intrauterino) disponíveis no mercado: dois deles hormonais e dois deles sem hormônio. O DIU não hormonal não contém hormônio em sua composição, e a mulher cicla normalmente todo mês de acordo com as alterações hormonais do seu organismo. Já o DIU de cobre e o DIU de prata são os tipos sem hormônio. O DIU de cobre tem uma camada de cobre na sua superfície que é tóxica para o espermatozoide, funcionando como uma barreira física e química. Já o DIU de prata foi criado para diminuir o fluxo menstrual intenso em algumas mulheres. O DIU hormonal libera o hormônio e é indicado para pacientes com endometriose, miomas ou que não desejam menstruar. O novo DIU hormonal tem uma menor quantidade de hormônio e age apenas como anticoncepcional, mas a menstruação pode variar de mulher para mulher.

o olá hoje a gente vai ter uma conversa sobre qual o melhor dispositivo intrauterino para mim recebo muitas perguntas pelo whatsapp qual a diferença dos tipos de dius existentes e qual é melhor para um caso ou para outro caso nós temos quatro tipos de deus dois deles hormonais e dois deles sem hormônio qual que é a diferença do diu hormonal para o diu não hormonal o diu não hormonal ele não contém hormônio a na sua composição então a a mulher ela vai ciclar todo mês conforme as alterações hormonais do seu organismo normalmente é uma lá menstrua a cada 28 30 dias fica menstruada uns 45 dias e depois ela ela vai menstruar novamente depois de um certo período o diu de cobre e o diu de prata são o que não contém hormônio qual que é a diferença entre os dois o diu de cobre ele tem na sua superfície uma camada de cobre que tem uma ação e super maxi da ou seja ela é tóxica para o espermatozoide então esse dill é além de ele funcionar como uma barreira física ele vai funcionar como uma barreira química também o diu de prata ele foi criada um tempo depois para uma particularidade que o diu de cobre dava em algumas mulheres que tinha um fluxo menstrual muito alto muito intenso como é isso tão mulheres que já tinham uma propensão até uma menstruação em maior quantidade que demora mais dias elas sempre colocavam dill ficava dois três meses e queria tirar porque achava que está sangrando muito então não tá adequado para mim aí veio criar a prata esse diu de prata ao invés do cobre ele tem a prata e essa prata ela é liberada aos poucos e dizem que diminui o fluxo sanguíneo nas mulheres que já tem tendência a ter um fluxo sanguíneo aumentado então esses dois tipos são os rios não hormonais ele é indicado em que caso em mulheres que têm contraindicação ao uso de hormônio por exemplo pacientes que têm hipertensão a que tem trombofilia que tem varizes é indicado esse tipo de dill e o diu hormonal bom o diu hormonal são 21 muito conhecido que já existe há um bom tempo e outro que saiu recentemente qual que é a diferença desses dois rios os dois eles são hormonais ou seja eles liberam o hormônio o e com isso a paciente entra em amenorréia por que que a gente usa esse dwin pacientes que têm endometriose mioma ou em pacientes que não querem a menstruar por quê porque jesus há três meses para de menstruar não tem alteração normal do ciclo hormonal e aí ela não menstrua e diminui e muito a tpm atualmente foi lançado o outro dia o hormonal que tem uma menor quantidade de hormônio mas que ele só age como anticoncepcional e não como um tratamento para acerta o tipo de doença como avanço de endometriose e de mioma com esse outro dia hormonal vai se menstruar ou não todo mês defendi muito de mulher para mulher mas a intenção é que ele me instruiu um pouco e ele tem um pouquinho de hormônio então hoje em dia nós temos esses quatro tipos de diu qual que é o melhor para mim é muito por isso que é importante uma avaliação dos seus ginecologista conversar saber os antecedentes se tomar alguma medicação que vai interferir com esse dil se tem algum problema em utilizar o hormônio se tem algum problema vascular se você gostou do nosso vídeo inscreva-se no nosso canal dê o seu like inscreva-se para receber vídeos novos a e aí e aí

Como o DIU fica dentro do utero?

A transcrição do vídeo fala sobre como o DIU é colocado dentro do útero. Ele explica que o útero é um órgão pequeno na cavidade pélvica e que ele cresce em situações como gravidez, miomas uterinos e câncer. Ele mostra uma imagem de um molde do útero para ilustrar que ele é fechado e não tem uma abertura na frente. Ele explica como o DIU é colocado no útero, através da cavidade vaginal, onde é visualizado o colo do útero. Ele explica que o DIU é colocado e fica preso no útero, devido ao fio que fica para fora do colo do útero e é cortado a 1,5 a 2 centímetros para facilitar a retirada do dispositivo.

Olá! Hoje eu vou tirar uma dúvida muito frequente das mulheres, que é como o DIU fica dentro do nosso útero. Muitas mulheres têm dúvida de como esse DIU vai ficar lá dentro, se ele fica solto, se ele tem muita facilidade em se deslocar, em sair do lugar. Como o útero é por dentro? Então vamos conversar um pouquinho sobre isso?! Bom, o útero da gente, ele é pequenininho. Ele é um órgão pequeno que a gente tem na nossa cavidade pélvica e que ele cresce em algumas situações, como numa gravidez, quando se desenvolve um embrião sozinho lá dentro, quando se desenvolve o bebê, pode crescer quando a gente tem miomas uterinos e pode crescer em algumas outras situações, como nos casos de câncer. Então, vamos conhecer um pouquinho do útero. O útero, aqui a gente tem um molde mostrando o útero num corte lateral. Então o útero ali realmente é pequenininho. Se vocês verem aqui, ele tem uma parte muscular e por dentro ele tem uma camada fina que a gente chama de endométrio. Esse endométrio, todo mês ele prolifera e quando a gente menstrua o sangue, ele vem da descamação desse endométrio. Se a gente não menstrua, se a gente engravida, esse endométrio aqui, que é essa camada, esse filhotinho é onde o embrião vai se colar e aqui se desenvolve o bebê e com isso o útero, ele vai crescendo aqui para a região abdominal e o bebê se desenvolve. Vendo bem essa cavidade, a gente vê que o útero, ele não tem ele não tem uma abertura lá na frente. Ele não é como se fosse um órgão que tem uma bola aberta lá dentro, onde a gente coloca as coisas. Não é bem isso! Ele é fechadinho, ele é colabado. A hora que a gente coloca o DIU, o DIU, ele não fica solto lá. Então, como se coloca o DIU? O DIU, ele é colocado pela cavidade vaginal. A gente coloca um espetáculo, visualiza o colo do útero. O colo do útero, ele é essa região aqui, essa entradinha. A gente consegue entrar com o DIU aqui por dentro e colocá lo lá dentro. Como vocês podem ver aqui na imagem, o útero ele colaba, então o útero ele é coladinho. É como se fosse duas folhas de papel que você passa uma régua por dentro. É a hora que você tira, elas continuam juntinhas. Então o DIU é a mesma coisa, a gente coloca ele ali, ele abre essas abinhas que vocês estão visualizando aqui e ele fica ali paradinho, porque o útero vai fechar nele o fio. Esse fio, ele fica para fora do colo do útero e a gente corta esse fio mais ou menos 1,5 a 2 centímetros. Por quê? Porque a hora que a gente for trocar esse DIU, a gente puxa por essa região e a gente consegue retirar esse DIU. “Ah, então se eu puxar esse DIU, ele vai sair do meu útero?” Sim, se você chegar, pegar com uma pinça e puxar com força, você pode ser capaz de retirar o DIU do seu útero. Mas, por exemplo, se você está usando um coletor menstrual e você tira esse coletor menstrual. Muitas mulheres têm medo de estar puxando o fio do DIU. Você não vai conseguir tirar tirando um coletor menstrual. Ele não tem força pra puxar um fio de DIU e retirar esse do lugar e retirar esse fio do Ele não tem força pra puxar um fio de DIU e retirar esse do lugar e retirar esse fio do local, porque precisa ter uma pressão mais forte e firme para retirar esse DIU que está dentro desse útero que é fechadinho. Algumas mulheres relatam que o parceiro diz que sentiu o fio do DIU durante a relação sexual. Pode acontecer? Pode! Às vezes a vagina é um pouquinho mais curta. Aí o homem pode sentir. “Ah, vai machucar o homem?” Normalmente não machuca, porque esse fio, ele é maleável e com a relação sexual também não é capaz de puxar esse DIU. Ele não vai grudar no pênis do parceiro, não vai retirar esse DIU do lugar, então é muito seguro. O DIU, ele fica aí fechadinho, bonitinho e pra tirar realmente precisa de uma força um pouquinho maior e uma atração um pouquinho maior. Então não se preocupe que esse DIU, ele fica solto no útero, porque ele não fica! E é um anticoncepcional muito seguro, que chega a ter só 2% de falha. A gente tem dois tipos de DIU, o DIU medicado, que é aquele DIU que tem o hormônio, e o DIU não medicado, que pode ser o de cobre ou de prata. Para você saber qual o DIU melhor no seu caso, converse com seu ginecologista. Ele vai saber orientar, ele vai saber qual DIU é melhor para você e use esse método, que é um método bem interessante. Se você tem a indicação, vale muito a pena. E se você gostou do nosso vídeo, inscreva-se no nosso canal. Dê o seu like e ative o sininho de notificação!

DIU ou implante hormonal? o que é melhor para mim?

O DIU (Dispositivo Intra-Uterino) e o implante hormonal são dois métodos anticoncepcionais que podem ser usados pelas mulheres. Ambos têm suas vantagens e desvantagens, e é importante que a mulher escolha qual é o melhor para ela.

O DIU é um dispositivo pequeno, geralmente feito de cobre ou prata, que é colocado dentro do útero. Ele funciona como uma barreira física, impedindo que os espermatozoides cheguem ao óvulo. Ele também pode ser hormonal, liberando um hormônio chamado levonorgestrel que impede a proliferação da camada interna do útero, responsável pela menstruação. O DIU hormonal é indicado para mulheres que não querem menstruar, tem endometriose ou mioma. O DIU é colocado em consultório geralmente com anestesia local ou em centro cirúrgico com sedação e dura em média 15 a 20 minutos. A duração do DIU é de cerca de 5 anos e pode ser retirado a qualquer momento, a fertilidade volta ao normal no mês seguinte.

Por outro lado, o implante hormonal é um pequeno dispositivo de plástico colocado sob a pele do braço, que libera continuamente uma pequena quantidade de hormônio. Ele é indicado para mulheres que buscam uma proteção anticoncepcional de longo prazo, sem precisar se lembrar de tomar comprimidos diariamente. O implante hormonal é colocado em consultório geralmente com anestesia local e dura em média 15 minutos. A duração do implante hormonal é de cerca de 3 anos e é retirado a qualquer momento, a fertilidade volta ao normal logo no mês seguinte.

O vídeo trata sobre as diferenças entre o dispositivo intrauterino (DIU) e o implante hormonal. Ele explica que o DIU pode ser de prata ou cobre ou hormonal e que o DIU hormonal tem uma substância chamada levonorgestrel que impede a proliferação da camada endométrica, causando a falta de menstruação. Ele também menciona dois tipos de DIU hormonal, o Mirena e o Kyllena, e explica como é feita a colocação do DIU, geralmente em consultório com anestesia local ou em ambiente cirúrgico com sedação. O vídeo também menciona que é importante colocar o DIU menstruada para facilitar a colocação.

Olá! Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre as diferenças entre o DIU e o implante hormonal. Bem, aqui no consultório, eu sempre recebo muitas pacientes com muitas dúvidas a respeito de colocação de um ou de outro. Então vamos tirar algumas dúvidas hoje, começando um pouquinho sobre o dispositivo intra uterino, o famoso DIU. O DIU, ele tem duas opções, pode ser o DIU de prata ou de cobre e o DIU hormonal. A maioria das mulheres no consultório, elas não querem mais menstruar, então elas vêm atrás do DIU hormonal e esse hormonal como funciona? Esse DIU, ele tem em sua composição um estágio no chamado levonorgestrel. Esse levonorgestrel, ele não deixa aquela camada do útero de dentro do útero endométrio proliferar, essa camada, ela é responsável pela nossa menstruação a descamação dela e o sangue da nossa menstruação. Então quando a gente usa o hormonal, essa camada não prolifera, então ao longo do tempo, a gente não menstruar mais. Esse DIU é muito indicado em mulheres que não querem menstruar, em mulheres que têm endometriose e mioma, em mulheres que desejam um método anticoncepcional de longo prazo. O DIU hormonal, a gente tem no mercado o Mirena e o Kyllena. E qual é a diferença entre os dois? Na verdade, é o tamanho! O Mirena tem um tamanho um pouquinho maior, o Kyllena, um tamanho menor e a quantidade de hormônio que cada um tem também. O DIU Kyllena, ele veio para o mercado com o objetivo de suprir a necessidade de mulheres mais jovens usarem o dispositivo intrauterino, em adolescentes. A duração do DIU é de cerca de cinco anos, ele pode ser retirado a qualquer momento e a fertilidade, ela volta ao normal logo no mês seguinte. E como é feita a colocação do DIU? Ela pode ser feita em consultório com anestesia local ou em centro cirúrgico com sedação. E qual é a diferença? No consultório, ela é colocado como se você fosse colher um Papanicolau, coloca um aparelhinho ali, visualiza-se o colo do útero e ele é introduzido nesse canal do útero. No consultório a gente usa anestesia local, a anestesia local, ela diminui a sensação de dor da paciente, porém, ela não tira a dor por completo. A colocação dura em média de 15 a 20 minutos e a mulher pode ir embora para casa depois e manter suas atividades normalmente. Uma informação importante, quando a gente coloca o DIU, a gente coloca esse DIU menstruada, por que? Quando a gente está menstruada, o nosso colo do útero está mais amolecido. Ele está um pouquinho entreaberto e é mais fácil essa colocação. Em mulheres que estão no pós parto, em um puerpério, que não menstruam por alguma razão. O ideal é colocar o dispositivo intra uterino em ambiente cirúrgico, sob sedação, porque essa mulher dorme, tem os 20 minutos de anestesia e a gente consegue mesmo sem o sangramento, colocar esse DIU e a gente também indica a colocação com sedação em centro cirúrgico, quando a mulher não quer passar pela dor da colocação do DIU. E o implante hormonal? O implante hormonal é um outro método anticoncepcional que também tem esse progestágeno, porém ele é colocado na face posterior do braço. Ele tem uma colocação mais simples, porque ele não precisa ser introduzido no colo do útero, ele é de forma subcutânea bem abaixo da pele. É realizado um pequeno botão anestésico e ele é colocado através de um aplicador com uma agulha. Qual então é a diferença de um e de outro? O implante hormonal, ele tem duração de três anos. Então você coloca e fica três anos com ele, a diferença do DIU pro Implanon é o padrão do sangramento. No uso do DIU, a mulher ela vai entrar em amenorreia em alguma fase depois da colocação desse dispositivo, em média em cerca de 3 a 4 meses. Ela pode ainda ter um sangramento nesse período e depois, ela não menstruar mais. O padrão do implante é diferente. Essa mulher, ela pode ter o sangramento até seis meses e algumas mulheres podem ter esse sangramento durante vários meses, não cessar essa menstruação. E como saber se eu não vou mais sangrar com o Implanon? Na verdade a gente não tem como saber, porque isso depende de mulher para mulher, de organismo para organismo. Mas se isso acontecer, a gente tem outros métodos para parar esse sangramento, como um pró dele, a colocação dele não é tão invasiva, porque ele é mais fácil de ser colocado, ao contrário do dispositivo intra uterino. Mas a escolha de um dispositivo intra uterino ou de um implante hormonal tem que ser muito bem conversada, porque depende muito do perfil de cada mulher e a expectativa de cada uma. Se você gostou do nosso vídeo, inscreva-se no nosso canal, dê o seu link e ative o sininho de notificação!

Quanto custa para colocar um DIU? 

O DIU (dispositivo intrauterino) é uma opção de controle de natalidade cada vez mais popular entre as mulheres. Ele é um pequeno dispositivo em formato de T que é inserido no útero de forma simples, sem precisar de cirurgia. Existem dois tipos de DIU: o de cobre e o hormonal. O custo total para colocar um DIU pode variar dependendo do tipo de dispositivo e do material utilizado, além do próprio procedimento.

O DIU de cobre é ofertado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é o modelo mais popular e barato. Ele é seguido pelo DIU hormonal, como o Mirena e o Kyleena. No entanto, esses dispositivos hormonais podem ser três ou quatro vezes mais caros do que o DIU de cobre, mas eles podem ser cobertos pelo plano de saúde.

É importante notar que o custo da colocação de um DIU pode variar dependendo do local em que você mora. O custo do procedimento pode ser menor em clínicas públicas, enquanto pode ser mais alto em clínicas privadas. É importante pesquisar diferentes opções e comparar preços antes de decidir onde colocar o DIU.

Em geral, o custo para colocar um DIU varia entre R$ 150,00 e R$ 600,00, dependendo do tipo de dispositivo e do local em que você escolher colocá-lo. No entanto, se você tiver um plano de saúde, é importante verificar se ele cobre o procedimento e quais dispositivos estão incluídos na cobertura.

Além disso, é importante lembrar que o custo inicial da colocação de um DIU pode ser menor do que o custo total de outros métodos anticoncepcionais, como a pílula anticoncepcional, ao longo do tempo. O DIU pode durar até 10 anos, o que significa que o custo médio anual seria menor do que outros métodos anticoncepcionais.

Em resumo, o custo para colocar um DIU pode variar dependendo do tipo de dispositivo e do material utilizado, além do próprio procedimento. O DIU de cobre é ofertado pelo SUS e é o modelo mais popular e barato. No entanto, o DIU hormonal, como o Mirena e o Kyleena, pode ser três ou quatro vezes mais caro, mas pode ser coberto pelo plano de saúde. É importante pesquisar diferentes opções e comparar preços antes de decidir onde colocar o DIU.

 

Quanto tempo depois de colocar o DIU pode ter relação?

O DIU (dispositivo intrauterino) é uma opção de controle de natalidade cada vez mais popular entre as mulheres. Ele é um pequeno dispositivo em formato de T que é inserido no útero de forma simples, sem precisar de cirurgia. Após a colocação do DIU, é comum que as mulheres tenham dúvidas sobre quando podem retomar suas atividades sexuais.

De acordo com os profissionais de saúde, a vida sexual da mulher pode voltar à normalidade após, em média, 24 horas. Apesar disso, é importante que a paciente aguarde até que se sinta mais confortável e segura antes de ter relações sexuais. Esse período de espera pode ser mais longo ou mais curto, dependendo de cada indivíduo.

É importante notar que a colocação do DIU não atrapalha o momento do sexo. Não há risco de sangramentos ou qualquer outro efeito prejudicial, como corrimentos na vagina ou perda de libido. A insegurança que a paciente pode sentir é mais psicológica e pode ser superada com tempo e informação.

Além disso, é importante lembrar que o DIU é um método anticoncepcional eficaz, mas não protege contra doenças sexualmente transmissíveis. Portanto, é importante continuar usando preservativos para se proteger.

Em resumo, a vida sexual da mulher pode voltar à normalidade após, em média, 24 horas da colocação do DIU. No entanto, é importante que a paciente aguarde até que se sinta mais confortável e segura antes de ter relações sexuais. A colocação do DIU não atrapalha o momento do sexo e não há risco de sangramentos ou qualquer outro efeito prejudicial. É importante continuar usando preservativos para se proteger contra doenças sexualmente transmissíveis.

Precisa de anestesia para colocar o DIU?

A colocação do DIU (dispositivo intrauterino) é um procedimento simples que geralmente é realizado com anestesia local. No entanto, algumas mulheres podem sentir ansiedade ou medo em relação ao procedimento e, nesses casos, a sedação consciente com óxido nitroso pode ser uma opção.

A sedação consciente com óxido nitroso é um método de sedação que é administrado por inalação. É uma forma segura e eficaz de aliviar a ansiedade e o medo durante procedimentos médicos. O óxido nitroso é um gás inodoro, insípido e não tóxico que é inalado através de uma máscara. Ele age rapidamente, mas de forma temporária, e o paciente fica consciente e capaz de responder a comandos durante todo o procedimento.

Ao usar a sedação consciente com óxido nitroso, a paciente não sente dor e fica relaxada, o que facilita a colocação do DIU. Além disso, a sedação consciente com óxido nitroso é geralmente segura e eficaz, e os efeitos colaterais são raros.

É importante notar, no entanto, que a sedação consciente com óxido nitroso não é apropriada para todas as pessoas. Algumas condições de saúde, como problemas respiratórios ou problemas cardíacos, podem impedir o uso desse método. Por isso, é importante discutir essa opção com seu médico antes da colocação do DIU.

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

>
error: Alert: Content selection is disabled!!