Pular para o conteúdo

A Importância do Sono na Manutenção do Peso Corporal

O sono é uma função biológica essencial que influencia diversos aspectos da nossa saúde, inclusive a capacidade de manter um peso corporal saudável. Com a vida moderna repleta de estímulos e obrigações, a qualidade do sono muitas vezes é negligenciada, o que pode ter consequências diretas na nossa saúde física e mental. Recentemente, tem se observado uma relação significativa entre a qualidade do sono e o controle do peso, um aspecto que merece atenção dada a crescente taxa de obesidade observada na população brasileira.

Sumário

O vídeo destaca a importância do sono na regulação do peso corporal, apontando como o sono afeta o metabolismo, a regulação hormonal, e as escolhas alimentares. Aborda o aumento da obesidade no Brasil, com dados do IBGE indicando um crescimento na proporção de pessoas obesas entre 2013 e 2019, especialmente notável em mulheres. Também relaciona os hábitos adquiridos durante a pandemia, como sedentarismo e alimentação inadequada, ao aumento de peso. Discute como o sono inadequado pode levar a um metabolismo mais lento, escolhas alimentares pobres, aumento do estresse e perda de massa muscular, aumentando o risco de obesidade, diabetes tipo 2, e doenças cardiovasculares. Finaliza incentivando os espectadores a compartilharem suas experiências e dicas para melhorar o sono, prometendo um próximo vídeo sobre higiene do sono.

Você sabia que o nosso sono? Ele é super importante para a manutenção do nosso peso corporal? Isso mesmo, o nosso sono. Ele é capaz de regular a quantidade de peso que a gente ganha. Interessante. E no vídeo de hoje a gente vai conversar um pouquinho sobre como esse sono influencia e de que maneira ele influencia pra gente ganhar esse peso tão indesejado. De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 60% da população ela está, de alguma forma, acima do peso. Fizeram um estudo há um tempo atrás. Entre os anos de 2013 e 2019 e foi até publicado pelo IBGE e depois falando que a proporção de pessoas obesas no Brasil ela tinha aumentado muito e ela aumentou muito na população de 20 anos para cima. E um dado interessante é que você sabia que os homens, eles tiveram um aumento na população de 9% de obesos para 12%. E pasmem, nas mulheres teve um aumento de 12% da população obesa para 30%. É muita coisa, né? Imagina, alguma coisa deve estar errado na nossa alimentação, nos nossos hábitos de vida. Para a população brasileira, ela estar obesa. E de acordo com esses dados, foi descrito que um entre quatro adultos estão obesos. No nosso país, hoje em dia é muita coisa. E depois, o que aconteceu com a população depois desse trabalho? Depois de 2019, a gente teve uma pandemia. E o que aconteceu nessa pandemia? As pessoas pararam de trabalhar fora de casa e ficaram em home office e tiveram uma alimentação totalmente modificada. Algumas pessoas, elas conseguiram manter um hábito de vida saudável, que aproveitaram o tempo para fazer a atividade física e preparar a sua própria alimentação. Mas muitas pessoas, elas ficaram muito ansiosas nessa fase, porque não sabia o que ia acontecer, se ia ter a vacina, se não ia ter a vacina. E isso gerou muita ansiedade. Então as pessoas também ficaram muito sedentárias em casa, com medo de sair para fazer alguma atividade física. Começaram a comer muito errado. Além disso, aumentou o número de casos de alcoolismo e, consequentemente, aumentou o número de casos de pessoas que tiveram uma alimentação não adequada e aumentou os casos de obesidade. Então, vamos conversar agora um pouquinho Quais os fatores que fazem com que o sono eles exerçam um papel importante no nosso peso? Durante o sono a gente tem o processo de regulação hormonal, então a gente é capaz de regular os hormônios relacionados com o apetite, como a grelina, que é um hormônio que aumenta o apetite, e a leptina, que é um hormônio relacionado à saciedade. O sono, também ele regula o nosso metabolismo e a nossa capacidade de gastar essas calorias. Então, pensar bem se o sono é capaz de fazer isso quando a gente dorme mal, o nosso metabolismo fica mais lento e a gente perde essa capacidade de queimar calorias adequadamente. E, consequentemente, a gente tem mais chance de ganhar peso. E olha que interessante! Quando a gente dorme mal, quando a gente tem uma noite de sono mal dormida, o sono é capaz de influenciar negativamente nas nossas escolhas alimentares. É isso mesmo. A gente tem uma ação e um desequilíbrio no córtex pré frontal do cérebro que está associado aos julgamentos. Então a gente começa a fazer escolhas ruins. Então você começa a fazer escolhas por alimentos mais açucarados dos alimentos gordurosos e que impactam negativamente na nossa saúde. Quando a gente dorme mais, a gente fica mais estressado. No dia seguinte a gente fica mais cansado e com isso o nosso metabolismo fica mais lento. A gente come mais por causa da ansiedade e ganha peso. E uma das funções do nosso sono é reparar a musculatura que a gente trabalhou durante o dia. Então, quando a gente não dorme direito, a gente não tem uma reparação muscular adequada e a gente pode perder massa muscular e uma noite bem dormida é capaz de prevenir certas doenças. Quando a gente dorme mal. A gente tem o risco maior de desenvolver obesidade, diabetes mellitus tipo dois e doenças cardiovasculares. Você conhecia os efeitos de uma noite mal dormida no nosso organismo? Por acaso você sofre de insônia? Você dorme mal? Como que são as suas noites de sono? Deixa aqui o seu comentario. Que dica que você dá para as pessoas para melhorar o sono. No próximo vídeo a gente vai conversar de dicas de higiene do sono. Vai ser um vídeo muito interessante. Fica aqui comigo no canal e se você gostou desse vídeo, inscreva se aqui no canal, dê o seu like, ative o sininho de notificação. Até a próxima!

LEIA TAMBÉM:  Tenho síndrome dos ovários policísticos e estou infeliz

A Epidemia de Obesidade

Dados do Ministério da Saúde indicam que cerca de 60% da população brasileira está, de alguma forma, acima do peso ideal. Entre 2013 e 2019, houve um aumento considerável na proporção de pessoas obesas no Brasil, especialmente entre os adultos com mais de 20 anos. Este aumento foi mais pronunciado entre as mulheres, passando de 12% para 30% da população feminina. Estas estatísticas alarmantes sugerem uma necessidade urgente de reavaliar nossos hábitos de vida, incluindo alimentação, atividade física e, crucialmente, nossos padrões de sono.

Sono e Regulação Hormonal

Durante o sono, nosso corpo passa por um processo de regulação hormonal essencial para manter o equilíbrio do organismo. Dois hormônios, em particular, desempenham papéis importantes na gestão do apetite e na sensação de saciedade: a grelina, que estimula o apetite, e a leptina, que nos ajuda a nos sentir satisfeitos após comer. Uma noite de sono inadequada pode perturbar o equilíbrio desses hormônios, levando a um aumento do apetite e uma preferência por alimentos calóricos e pouco nutritivos, contribuindo assim para o ganho de peso.

Impactos Metabólicos

A qualidade do sono também afeta diretamente o nosso metabolismo. Dormir mal ou por períodos insuficientes pode desacelerar o metabolismo, reduzindo a eficácia com que nosso corpo gasta energia. Isso não só torna mais difícil perder peso, como também aumenta o risco de ganhar peso adicional.

Escolhas Alimentares e Estresse

Uma noite mal dormida pode influenciar negativamente nossas escolhas alimentares no dia seguinte. O cansaço e o estresse resultantes de uma noite de sono insuficiente podem levar a um aumento da preferência por alimentos ricos em açúcares e gorduras, contribuindo para uma dieta desequilibrada e, por extensão, para o aumento de peso. Além disso, o estresse crônico e a ansiedade, agravados pela falta de sono, podem aumentar ainda mais a tendência a comer em excesso como forma de compensação emocional.

LEIA TAMBÉM:  Entendendo a Endometriose: definição e fatos importantes

Consequências a Longo Prazo

Além do impacto imediato no peso e na alimentação, a privação de sono a longo prazo pode levar a problemas de saúde mais graves, como obesidade, diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. Portanto, é vital reconhecer a importância de uma boa noite de descanso não apenas para o bem-estar imediato, mas também para a saúde a longo prazo.

Conclusão

A relação entre sono e peso é complexa e multifacetada, envolvendo aspectos hormonais, metabólicos e psicológicos. Promover hábitos de sono saudáveis pode ser uma estratégia eficaz na prevenção e no controle do excesso de peso, além de contribuir para uma vida mais saudável e equilibrada. Compreender e atender às necessidades do nosso corpo por descanso adequado é essencial para enfrentar os desafios da obesidade e outras condições de saúde relacionadas.

O que você achou?

0 / 5 Resultado 0 Votos 0

Your page rank:

Dra. Juliana Amato

Dra. Juliana Amato

Líder da equipe de Reprodução Humana do Fertilidade.org Médica Colaboradora de Infertilidade e Reprodução Humana pela USP (Universidade de São Paulo). Pós-graduado Lato Sensu em “Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida” pela Faculdade Nossa Cidade e Projeto Alfa. Master em Infertilidade Conjugal e Reprodução Assistida pela Sociedade Paulista de Medicina Reprodutiva. Titulo de especialista pela FEBRASGO (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e APM (Associação Paulista de Medicina).

Marcações:
>
error: Alert: Content selection is disabled!!