Clínica de Fertilidade e Reprodução Humana. Tel: (11) 5053-2222 Av. Brasil 2283. São Paulo. e-mail

Poderia um tipo misterioso do vírus da herpes desencadear a infertilidade feminina?

É causa de infertilidade?

"O vírus misterioso pode ser causa de infertilidade inexplicada", informa o The Independent.

Pesquisadores italianos encontraram cópias do vírus HHV-6A - um tipo de vírus da herpes - no revestimento do útero de 43% das mulheres com infertilidade inexplicada, em comparação com 0% em mulheres com histórico de gravidez bem-sucedida.

Este pequeno estudo analisou células dos revestimentos de 30 mulheres com infertilidade sem explicação e 36 mulheres que tiveram uma gravidez bem sucedida. Os pesquisadores encontraram o vírus HHV-6A em células de quase metade das mulheres com infertilidade inexplicada, mas nenhuma das mulheres que tiveram bebês tinha o vírus HHV-6A.

Houve também alguma diferença nos níveis de certas moléculas do sistema imunológico, que os pesquisadores sugerem que poderiam afetar a capacidade de sustentar uma gravidez - mas isso é apenas especulação.

A maioria das pessoas é infectada com o vírus HHV-6 na primeira infância. Estes vírus (há um tipo A e B), causam uma erupção cutânea geralmente leve chamada roséola. Como outros vírus da herpes, eles vivem no corpo e permanecem inativos por muitos anos. No entanto, formas reativadas do vírus têm sido ligadas por diferentes pesquisadores, nos últimos anos, a mais de 50 condições diferentes, variando de amnésia a uveíte. Seu impacto nos resultados de saúde permanece incerto.  

Em última análise, esta é uma pesquisa em estágio inicial que deixa muitas perguntas sem resposta e mais estudos são necessários para descobrir se o HHV-6A realmente é uma causa de infertilidade e, em caso afirmativo, se tratar o vírus com antivirais melhoraria as chances de uma gravidez bem-sucedida.

De onde veio a história?

O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Genebra, Universidade de Ferrara e do Centro de Reprodução Humana do Hospital Brunico e foi financiado pela Regione Emila Romagna. O estudo foi revisado por pares e publicado na revista PLOS One, uma revista de livre acesso, e é grátis para ler online. O Independent fornece o resumo mais preciso do estudo. Outras fontes de notícias não funcionam tão bem. A história do Mail Online, embora basicamente correta, pode aumentar as esperanças de uma cura antes que a causa da fertilidade inexplicável seja estabelecida. Times diz: "Quase metade das mulheres com problemas inexplicáveis ​​de fertilidade estão infectadas com um vírus misterioso", embora não saibamos se a proporção de mulheres que tiveram infecção por HHV-6A neste pequeno estudo seria válida para todas as mulheres com infertilidade inexplicada. O Daily Telegraph tem uma manchete bizarra que assusta as pessoas a terem "Cuidado com quem você beija", com base no fato de que o vírus pode ser transmitido pela saliva, apesar do fato de que a maioria das pessoas é infectada quando criança. A história do Telegraph também diz que a infertilidade primária inexplicada significa "a incapacidade de gerar um filho", quando na verdade significa que uma mulher não conseguiu engravidar após um ano ou mais de tentativas, sem nenhuma causa óbvia.

Que tipo de pesquisa foi essa?

Este foi um estudo de coorte italiano no qual os pesquisadores pegaram células do revestimento do útero de mulheres com e sem infertilidade para procurar o DNA do vírus HHV-6. O HHV-6 (vírus do herpes humano 6) é um vírus com o qual a maioria das pessoas é infectada na infância e depois fica dormente no corpo. Foi descoberto em 1986 e pouco se sabe sobre o papel que ele pode desempenhar em relação à saúde humana.

A reativação do vírus tem sido associada a várias doenças, incluindo condições imunes e inflamatórias. Pesquisas anteriores sugeriram que o sistema genital e reprodutivo feminino poderia ser um local para o vírus ser reativado e esta foi a base para esta pesquisa.

Estudos de coorte podem mostrar diferenças entre grupos e ligações entre um fator (neste caso, infecção viral) e outro (infertilidade), mas eles não podem provar que um causa o outro.

O que a pesquisa envolveu?

A pesquisa envolveu a análise de amostras do útero tiradas de 30 mulheres que haviam comparecido a uma clínica para tratamento de infertilidade, para as quais nenhuma causa óbvia de infertilidade havia sido encontrada. Essas mulheres teriam participado de um ensaio randomizado, embora nenhuma outra informação sobre isso seja dada. Elas foram comparadas com outro grupo de 36 mulheres que tiveram pelo menos um filho, que estavam dentro da mesma faixa etária. O recrutamento do coorte de controle, ou o motivo de terem obtido amostras de útero, não é claro.  

Coletaram amostras de células do revestimento do útero de cada mulher, durante a mesma fase do período menstrual. Eles analisaram as células quanto à presença de HHV-6A e do vírus HHV-6B ativado, tanto nas células quanto no suprimento de sangue.

Em estudos posteriores, os pesquisadores observaram como as células infectadas pelo HHV-6A se comportavam e se isso era diferente das células não infectadas pelo HHV-6A. Eles também analisaram outros fatores, como níveis hormonais.

Quais foram os resultados básicos?

Os pesquisadores descobriram:

  • Um número similar de mulheres com e sem infertilidade tinha DNA de HHV-6B em suas células sanguíneas (8 inférteis, 10 férteis)
  • Nenhuma mulher com ou sem infertilidade tinha DNA de HHV-6B em suas células de revestimento do útero
  • Nenhuma mulher com ou sem infertilidade tinha DNA de HHV-6A no sangue
  • 13 mulheres (43%) com infertilidade tinham DNA de HHV-6A nas células do revestimento do útero em comparação com nenhuma sem infertilidade

Em pesquisas adicionais, eles descobriram que mulheres com DNA de HHV-6A em células de revestimento do útero também tinham níveis mais altos de um tipo de hormônio reprodutivo (estradiol) e diferentes níveis de certas moléculas de sinalização do sistema imune comparadas a mulheres sem DNA de HHV-6A em mulheres inférteis e férteis.  

Como os pesquisadores interpretaram os resultados?

Os pesquisadores dizem: "mais estudos são necessários para confirmar a associação", mas "nosso estudo indica que a infecção por HHV-6A pode ser um fator importante na inexplicada infertilidade primária feminina".

Eles sugerem que o vírus reativado no útero pode desencadear mudanças no sistema imunológico que promovem "um ambiente uterino disfuncional", ou em outras palavras, condições no útero que são inadequadas para a gravidez.

Conclusão

A infertilidade inexplicada causa sofrimento a milhares de casais que estão tentando engravidar. Pode ser difícil aceitar que os médicos não encontram razão para a incapacidade de um casal engravidar, e muitos casais gastam muito tempo e dinheiro tentando tratamentos de fertilidade.

Encontrar uma causa potencial para a infertilidade inexplicada pode levantar muitas esperanças nas pessoas. Este estudo tem resultados interessantes, mas foi muito pequeno e precisa ser replicado em uma escala maior para garantir que os resultados sejam verdadeiros. Também precisamos lembrar que este estudo pode não mostrar causalidade (nexo-causal) - não pode nos dizer se o vírus é uma causa de infertilidade, apenas que parece ser mais comum em mulheres com infertilidade que não é explicada de outra forma. O que pode ser uma coincidência por alguma razão.

Dito isto, estas mulheres tinham infertilidade inexplicada e ainda há muito que ainda não sabemos sobre isso. Os pesquisadores dizem que não tiveram endometriose, nenhum problema com a ovulação ou quaisquer anormalidades estruturais do sistema reprodutivo.

No entanto, não sabemos mais do que isso, como a exploração dos fatores masculinos para a infertilidade, por quanto tempo a mulher/casal estiveram tentando engravidar, abortos anteriores ou o sucesso do tratamento futuro para a fertilidade. Nós também não sabemos nada sobre o grupo de controle - por exemplo, como foram recrutadas ou por que amostras do útero foram coletadas - além de que elas tiveram um bebê. Elas mesmas podem ter tido problemas para engravidar, por tudo que sabemos.

No geral, não se pode dizer que as mulheres com problemas de infertilidade e HHV-6A teriam necessariamente menos probabilidade de engravidar ou obter um resultado bem-sucedido da reprodução assistida.

Mesmo se descobríssemos que o HHV-6A era responsável por alguns casos de infertilidade, isso não é o mesmo que ser capaz de curar a doença. Uma variedade de medicamentos antivirais foram usados ​​para tratar outras condições ligadas à reativação do HHV-6A, mas nenhum foi desenvolvido especificamente para este vírus e não sabemos se eles seriam úteis no tratamento da infertilidade.

Muito mais pesquisas são necessárias antes de sabermos se metade dos casos de infertilidade inexplicada, como afirmam algumas fontes de notícias, poderiam ser tratados com o objetivo de combater esse vírus.

O que você achou deste conteúdo?: 
0
Sem avaliações

Dra. Juliana Amato: Especialista em Reprodução Humana

Dra. Juliana Amato
Ginecologista, Obstetra. Chefe da Reprodução Humana do Instituto Amato
Tratamento de Infertilidade em Laboratório de Reprodução Humana(11) 5053-2222
Tudo sobre tratamento da infertilidade. Ajuda para Engravidar.
www.fertilidade.org
Clínica de Reprodução Humana: Ajuda para engravidarAv Brasil, 2283, São Paulo, SP
FacebookTwitterYoutubeLinkedin